apostila_completa_Silvia
272 pág.

apostila_completa_Silvia


DisciplinaParasitologia Veterinária1.858 materiais35.702 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de animais domésticos com 
ciclo biológico parecido ao descrito dos 
piolhos humanos. 
 Fêmeas põem ovos nos pêlos dos 
hospedeiros fixando-os com uma substância 
cimentante. 
 Fêmea põe em média 3 a 6 ovos/dia. 
 Ciclo de 9 a 19 dias. Adultos vivem 30 dias. 
 Concentra-se em pêlos longos. 
 Três estádios ninfais, cada estádio: três a 
quatro dias. 
 Hemimetabólicos. 
 
PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
É de 9 a 19 dias dependendo da espécie, das 
condições de temperatura e umidade e do meio 
em que são mantidos os animais (ovos não se 
desenvolvem em temperatura inferior a 25o). 
 
PERÍODO DE PRÉ-OVIPOSIÇÃO: 
É em média de três dias, a fêmea inicia postura 
que dura vários dias. 
Número de ovos varia com a espécie (um a 
quatro por dia). H. suis (mais ou menos 90 ovos, 
cerca de 3 a 6 por dia). 
 
CICLO TOTAL-20 a 40 dias dependendo da 
espécie e fatores ambientais. 
 
IMP.MED.VET: 
-Leva a perda de produtividade dos animais. 
-A picada do piolho, com inoculação de saliva 
irritante, provoca prurido, obrigando o animal a 
se coçar e morder o local da picada para se 
livrar do inseto. O ato de coçar pode provocar 
ferida que se agrava pela invasão de germes, 
com evidente prejuízo para saúde dos animais. 
A pele pode se tornar seca com aspecto de 
sarna. Os animais parasitados, injuriados 
permanentemente pelos piolhos, não se 
alimentam direito nem descansam, o que origina 
queda de produção e prejuízo para os 
fazendeiros. 
 
FAMÍLIA LINOGNATHIDAE 
GÊNERO Linognathus 
Linognathus setosus (cães) 
L. vituli (bovinos) 
L. pedalis (ovinos) 
 
HOSPEDEIROS: Cães, ruminantes. 
 
CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS: 
 Sem placas quitinizadas. 
 Abdômen membranoso. 
 Primeiro par de patas é menor que o 
segundo e o terceiro. 
 Cinco segmentos nas antenas. 
 
HOSPEDEIROS: 
Figura 63. Linognathus sp., piolho sugador 
de cães e ruminantes. 
74
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Phthiraptera-Piolhos 
L. vituli - bovinos leiteiros e animais novos. 
Encontrados no pescoço, barbelas, espáduas, 
períneo, etc.. 
L. setosus - Cães (novos e velhos)- mais 
comum em cães de pêlos longos do que de 
pelagem curta. 
 
BIOLOGIA: 
 Parecida com Haematopinus. 
 Fêmeas depositam ovos nos pêlos do 
hospedeiro. 
 Três estádios ninfais. 
 Duração do ciclo 30 a 40 dias (depende da 
espécie). 
 
TRATAMENTO DOS PIOLHOS EM GERAL: 
-Medidas de higiene. 
-Aplicação de inseticida. 
-Alguns Inseticidas não agem sobre lêndeas, 
então, recomenda-se uma segunda aplicação 
após 10 a 14 dias. 
 
ESPECIFICIDADE PARASITÁRIA: 
Identificação das espécies, direcionar o 
tratamento para a espécie afetada (hospedeiro). 
Importante para o diagnóstico e medidas de 
controle. 
 
CICLO BIOLÓGICO DOS PIOLHOS EM 
GERAL: 
 No hospedeiro (Anoplura e Mallophaga): 
ovo- ninfa- adulto (macho e fêmea). 
 Hemimetábolos. 
 Completa-se em 25 a 35 dias. 
 Ovos (lêndeas) são colocados presos ao 
pêlo e em contato com a pele eclodem as 
ninfas, passam a adultos que se locomovem 
pelo corpo do animal (Mastigadores) ou 
permanecem presos ao pelo (Anoplura). 
 
LOCALIZAÇÃO NO HOSPEDEIRO: 
Preferencialmente na parte superior do corpo, 
desde a cabeça até a cauda. 
Há exceções: 
 H. quadripertusus (vassoura da cauda). 
 H. suis (nas dobras da pele atrás da orelha 
e região púbica= início da infestação). 
 Menopon/Menacanthus - (penas que 
cobrem o corpo). 
 
SAZONALIDADE: 
Mais freqüente no inverno. 
O pêlo cresce e forma um micro-habitat. 
No RS há problemas nesta época do ano por 
causa do frio (animais ficam mais próximos uns 
dos outros ou são estabulados). Deve-se tratar 
antes os animais. 
 
IMPORTÂNCIA DOS PIOLHOS: 
Os anopluras são mais patogênicos do que os 
mastigadores, pois provocam perda de sangue, 
tem capacidade de transmitir agentes 
patogênicos, abrem uma porta de entrada para 
infecções secundárias, há o enfraquecimento 
dos animais e irritações na pele. 
 
CONTROLE DOS PIOLHOS: 
-Produtos químicos em banhos de imersão ou 
aspersão com pressão. Repetir em 10 a 14 dias. 
-Pente fino. 
-Inseticida em pó nos ninhos. 
-Limpeza e esterilização dos fômites. 
-Produtos pour-on. 
-Ivermectinas para sugadores. 
75
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Phthiraptera-Piolhos 
 
Principais Piolhos de Importância Médica Veterinária
Trichodectes Heterodoxus Felicola
Linognathus
Haematopinus
Bovicola
Struthiolipeurus
Lipeurus
Columbicola
Pediculus
Chelopistes
Goniodes
Pthirus
76
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Hemípteras \u2013 Barbeiros e 
percevejos 
ORDEM HEMÍPTERA 
CONCEITOS BÁSICOS: 
\u2022 Dois pares de asas. 
\u2022 Corpo grande e achatado dorso ventralmente. 
\u2022 Alimentação: podem ser hematófagos (rostro 
curto e reto com três segmentos), predadores ou 
entomófagos (rostro curvo em forma de arco) e 
fitófagos (rostro (hipostômio + quelíceras) longo 
e com quatro segmentos). 
\u2022 Olhos bem grandes. 
\u2022 Geralmente apresentam dois pares de asas 
um par anterior do tipo hemiélitro, ou seja, asa 
com parte apical membranosa e parte basal 
coriácea (dura), que serve para proteção das 
asas posteriores (membranosas, destinadas ao 
vôo) quando em repouso. 
\u2022 Hemimetabólicos (metamorfose incompleta): 
ovo - ninfa (cinco fases) \u2013 adulto. 
 
SUBORDEM CRYPTOCERATA \u2013 aquáticos. 
 
SUBORDEM GIMNOCERATA 
FAMÍLIA REDUVIIDAE - barbeiros 
SUBFAMÍLIA TRIATOMINAE 
 
NUTRIÇÃO: 
São hematófagos em todos os estágios de 
evolução (ninfas, fêmeas e adultas). Após a 
alimentação defecam. 
 
CICLO BIOLÓGICO: 
Depois da última muda para adultos, a fêmea e 
o macho copulam. Não precisa alimentação 
prévia. A fêmea copula apenas uma vez e faz 
postura parcelada (1 a 40 ovos em cada 
postura) num total de quase duzentos ovos em 
toda a sua vida. O macho copula várias vezes. 
Após a postura os ovos são brancos e 
operculados. Depois escurecem e quando o 
embrião está formado ficam rosados. Período de 
incubação: 15 a 30 dias. 
Os ovos do gênero Triatoma e Panstrongylus 
são isolados, os do gênero Rhodnius são 
aderidos. 
A duração do ciclo depende da temperatura, 
PARTE VII 
 Hemípteras 
____________________________________________________________________________________ 
Figura 64. Asa em hemiélitro. 
Parte 
coriáceaParte 
membranosa
Figura 65. Adulto, ovos e ninfas de barbeiro. 
Conexivo 
77
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Hemípteras \u2013 Barbeiros e 
percevejos 
alimentação, umidade relativa e espécie de 
barbeiro.
Kiara
Kiara fez um comentário
alguem poderia me enviar por email, pfvr?? obrigada kiara-nc@hotmail.com
0 aprovações
Juliana
Juliana fez um comentário
Como faço download?
0 aprovações
Isabella
Isabella fez um comentário
teria como por gentileza me enviar este material por email ?
0 aprovações
Gianini
Gianini fez um comentário
Consegui fazer download e o material é de ótima qualidade
1 aprovações
Carregar mais