apostila_completa_Silvia
272 pág.

apostila_completa_Silvia


DisciplinaParasitologia Veterinária1.857 materiais35.607 seguidores
Pré-visualização50 páginas
CICLO BIOLÓGICO GERAL DE 
TOXOCARINAE: 
As fêmeas fazem a postura dos ovos que saem 
nas fezes e forma-se a L1, L2 e L3 dentro do 
ovo. O HD se infecta de 4 maneiras: 
 
1) Via oral - o hospedeiro definitivo ingere o ovo 
com a forma infectante, que é liberada no tubo 
digestivo e penetra na mucosa do intestino 
delgado e pela circulação porta vai ao fígado, 
depois coração e alvéolos pulmonares, onde faz 
a muda para L4, chega a glote sendo deglutida 
e indo novamente ao intestino, onde muda para 
L5 e torna-se adulta. Esse é o ciclo de Loss (ou 
Figura 209. Ovo de Toxascaris sp. 
Figura 207. Ovo de Toxocara 
Figura 208. Adultos de Toxocara canis. 
183
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Nematóides 
hepatotraqueal) que ocorre em cães jovens (até 
três meses), pois em cães adultos as larvas 
chegam ao pulmão como L3 e pegam a 
circulação de retorno para o coração e são 
bombeadas pela aorta para diferentes partes do 
corpo onde mantêm-se ativas por anos. 
 
PPP = Quatro a cinco semanas. 
 
2) Via transplacentária - Em fêmeas gestantes 
as larvas passam pelo sangue arterial podendo 
contaminar o feto. Se a cadela contaminar-se 
antes da gestação e possuir as larvas na 
musculatura, em função das alterações 
hormonais elas podem ser reativadas e 
contaminar o feto. É a forma de contaminação 
mais importante nos cães, mas em gatos não 
ocorre. 
 
3) Via transmamária - As fêmeas passam as 
larvas aos filhotes através do leite. Não há 
migração pulmonar no filhote por essa via. 
 
4) Via hospedeiros paratênicos - Pode haver 
contaminação através da ingestão de roedores e 
aves (no caso de cães) e outros animais (no 
caso de gatos). 
 
IMPORTÂNCIA EM MEDICINA VETERINÀRIA: 
A ingestão do ovo com a L3, no caso de 
Toxocara, pelo homem faz com que essa larva 
passe pelo fígado e desencadeie reações de 
corpo estranho, podendo causar lesões 
hepáticas conhecidas como larvas migrans 
visceral. Em cães a infecção pode levar à 
pneumonia, enterite mucóide e até oclusão 
parcial ou completa do intestino, e nos casos 
mais raros, perfuração com peritonite. 
 
ORDEM STRONGYLIDA 
SUPERFAMÍLIA STRONGYLOIDEA 
-Macho com bolsa copuladora que se 
movimenta para auxiliar o movimento da cópula. 
-Ovos de casca dupla e fina com várias células 
no seu interior (ovo morulado). 
 
FAMÍLIA STRONGYLIDAE 
CARACTERÍSTICAS: 
Figura 210. Ciclo biológico de Toxocara canis. 
Figura 211. Cão com aparência típica 
de infecção por ascarídeo. 
184
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Nematóides 
-Presença de cápsula bucal. 
-Presença de esôfago claviforme. 
 
SUBFAMÍLIA STRONGYLINAE 
-Cápsula bucal com formato subglobular. 
-Adultos hematófagos. 
 
GRANDES STRONGYLÍDEOS: 
GÊNERO Strongylus 
ESPÉCIE: Strongylus vulgaris 
 
HOSPEDEIRO DEFINITIVO: Eqüinos. 
 
LOCAL: Intestino grosso. 
 
CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS: 
\u2022 Tamanho de pequeno a médio (\u2640 - 2 a 2,5 
cm, \u2642 - 1 a 1,6 cm). 
\u2022 Adultos hematófagos. 
\u2022 Cápsula bucal grande, com coroa franjada, 
apresentando dois dentes arredondados e um 
ducto da glândula esofagiana. 
\u2022 Esôfago claviforme. 
\u2022 Machos com bolsa copuladora e 2 espículos 
de tamanho médio. 
\u2022 Fêmeas terminando afiladamente. 
 
S. equinus
Figura 212. Adultos de Strongylus. 
Figura 214. Da Esquerda para direita: Cápsula 
bucal de Strongylus edentatus, S. equinus e S. 
vulgaris. 
Figura 215. Ciclo biológico de Strongylus. 
Figura 213. Cápsula bucal de 
Strongylus vulgaris. 
185
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Nematóides 
CICLO BIOLÓGICO: 
O hospedeiro definitivo ingere a L3 nas 
pastagens ou na água contaminada. No 
intestino delgado a larva perde a bainha de 
proteção e vai ao intestino grosso penetrar na 
mucosa (pode penetrar no delgado mesmo). Vai 
então à íntima da artéria mesentérica e 
atravessa a art. mesentérica anterior (cranial) 
fazendo aí as mudas para L4 e L5 e formando 
nódulos e lesões chamadas de arterite. Quando 
a L5 se desprende, atravessa a parede do 
ceco/cólon caindo na luz intestinal. Nesse local 
ocorre a diferenciação sexual (machos e 
fêmeas). Após a cópula as fêmeas colocam os 
ovos que saem nas fezes e se desenvolvem no 
meio ambiente. 
 
PPP = Seis a sete meses. 
 
IMPORTÂNCIA EM MEDICINA VETERINÀRIA: 
É a espécie mais patogênica para eqüinos, 
porque os nódulos formados na artéria 
mesentérica anterior são responsáveis por 
tromboembolias que levam a cólicas, o que 
pode até matar o animal por hemorragia interna 
pelo rompimento da artéria. 
 
ESPÉCIE: Strongylus equinus 
HOSPEDEIRO DEFINITIVO: Eqüinos. 
 
LOCAL: Intestino grosso. 
 
CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS: 
-Tamanho de pequeno à médio (\u2640 - 3,5 a 5,5 
Figura 218. Cápsula bucal 
de Strongylus equinus. 
Figura 216. L3 de Strongylus vulgaris 
obtida de coprocultura. 
Figura 217. Ovo de Strongylus sp. Pode-se 
contar os blastômeros 
186
______________________________________________________________________________________________ 
_____________________________________________________________________________________________ 
Livro didático de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria 
Profa Silvia Gonzalez Monteiro 
Nematóides 
cm, \u2642 - 2,5 a 3,6 cm). 
-Adultos hematófagos. 
-Cápsula bucal grande, com coroa franjada e 
apresentando três dentes pontiagudos (sendo 
um deles com ponta bífida) e um ducto da 
glândula esofagiana. 
-Esôfago claviforme. 
-Ovos medindo 98 µm de comprimento. 
 
CICLO BIOLÓGICO: 
O hospedeiro definitivo ingere a L3 nas 
pastagens ou na água contaminada. No 
intestino delgado a larva perde a bainha de 
proteção e vai ao intestino grosso penetrar na 
mucosa (pode penetrar no delgado mesmo). 
Atinge então a subserosa formando nódulos e 
após 11 dias atinge a cavidade peritonial (já 
como L4) e migra para o fígado onde provoca 
lesões. Após ± 3 meses, vai ao intestino grosso 
como L5 e aí amadurece virando adulto com 
260 dias. Após a postura os ovos saem nas 
fezes e se desenvolvem em meio ambiente. 
 
PPP = 9 meses. 
 
IMPORTÂNCIA EM MEDICINA VETERINÀRIA: 
Dependendo da quantidade de L3 ingerida o 
animal pode apresentar emagrecimento, dor, 
cólica devido a função hepática ou pancreática 
estar anormal. 
 
ESPÉCIE - Strongylus edentatus 
 
HOSPEDEIRO DEFINITIVO: Eqüinos. 
 
LOCAL: Intestino grosso. 
 
CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS: 
-Tamanho de pequeno a médio (\u2640 - 3,3 a 4,4 
cm, \u2642 - 2,3 a 2,8 cm). 
-Adultos hematófagos. 
-Cápsula bucal grande, com coroa franjada, um 
ducto da glândula esofagiana e sem apresentar 
dentes. 
-Esôfago claviforme. 
 
CICLO BIOLÓGICO: 
O Hospedeiro definitivo ingere a L3 nas 
pastagens ou na água contaminada. No 
intestino delgado a larva perde a bainha de 
proteção e vai ao intestino grosso penetrar na 
mucosa (pode
Kiara
Kiara fez um comentário
alguem poderia me enviar por email, pfvr?? obrigada kiara-nc@hotmail.com
0 aprovações
Juliana
Juliana fez um comentário
Como faço download?
0 aprovações
Isabella
Isabella fez um comentário
teria como por gentileza me enviar este material por email ?
0 aprovações
Gianini
Gianini fez um comentário
Consegui fazer download e o material é de ótima qualidade
1 aprovações
Carregar mais