Apostila-de-Contabilidade-Gerencial-e-de-Custos
79 pág.

Apostila-de-Contabilidade-Gerencial-e-de-Custos


DisciplinaContabilidade Gerencial10.869 materiais199.076 seguidores
Pré-visualização12 páginas
das implicações de eventos históricos e esperados e ajuda na escolha do curso 
ótimo de ação; inclui a tradução de dados em tendências e relações: comunicação das 
conclusões derivadas, efetivamente e prontamente, das análises. 
 
 
\u2022 CONTROLE 
Assegurar a integridade da informação financeira relativa às atividades e aos recursos da 
empresa; monitoramento e medição do desempenho e indução a qualquer ação corretiva 
exigida para retornar a atividade a seu curso intencional; fornecimento de informações aos 
executivos que operam em áreas funcionais que possam usá-las para alcançarem o 
desempenho desejável. 
 
\u2022 ASSEGURAR RECURSOS DE RESPONSABILIDADE 
Implementar um sistema de reportar o que está alinhado com as responsabilidades 
organizacionais e contribuir para o uso efetivo de recursos e de medidas de desempenho da 
administração; transmitir os objetivos e as metas da administração ao longo da empresa na 
forma de responsabilidades nomeadas, que são base para identificar responsabilidades; sistema 
que fornece, contabiliza, reporta e que acumulará e informará receitas apropriadas, despesas, 
ativos, obrigações e informação quantitativa relacionada para gerentes que terão, então, 
melhor controle sobre estes elementos. 
 
\u2022 RELATÓRIOS 
Preparação de relatórios financeiros baseados em princípios de contabilidade geralmente 
aceitos, ou em outras bases apropriadas, para grupos não administrativos, como acionistas, 
credores, agências regulamentadoras e autoridades tributárias; participação no processo de 
desenvolver os princípios de contabilidade que estão subjacentes ao relatório externo. 
 
Fonte: adaptado de ATKINSON et al (2000, p.67). 
 
 
 
 
 
 
Curso a Distancia de Graduação em Administração
Módulo
NICEUMA@u
V I R T U A L
II
CAPITAL DE GIRO
MÓDULO 02. Capital de Giro 
 
Toda Organização sofre o efeito da ambiência externa e, um dos principais fatores 
desta ambiência é o mercado, nesse sentido é necessário utilizar a Contabilidade Gerencial como 
instrumento no processo de decisão estratégica. 
O gestor empresarial irá deparar-se com problemas de ordem financeira e a ele deverá 
ser delegada a capacidade de obter sucesso na resolução de problemas ou obtenção de 
resultados, portanto, para ter sucesso na empresa, não basta a situação patrimonial presente e 
muito menos a passada, mas a capacidade que a empresa terá de gerar e gerir o fluxo de caixa 
no futuro. 
A lógica do mercado está respaldada em variáveis que se relacionam entre si: Risco; 
Preço e Retorno. (ver detalhe no desenvolver deste trabalho). O gerente precisa entender a 
lógica do mercado e associar a contabilidade gerencial. 
Ele deve acompanhar os retornos que os ativos estão fornecendo e medir sua 
variabilidade em detrimento ao retorno esperado ou ao retorno médio. 
O risco do Ativo é comparado ao retorno esperado, para se verificar se são 
compatíveis, podendo acontecer 03 (três) situações: 
a) Retorno esperado é compatível com o nível de risco, isso indica que o mercado 
entende que o preço pelo qual o ativo está sendo negociado é justo; 
b) Retorno esperado está acima do que parece ser razoável para tal nível de risco e, 
nesse caso, os agentes do mercado se sentirão atraídos pelo ativo e começarão a comprá-lo, 
ocasionando uma pressão de demanda que tenderá a aumentar o preço do ativo e diminuir o 
retorno esperado; 
c) Retorno esperado está abaixo do que parece razoável para o nível de risco do ativo, 
e os agentes que o tem na carteira irão ao mercado vendê-lo, acarretando, assim, uma pressão 
de oferta que tenderá a baixar o preço do ativo e aumentar o seu retorno. 
O Capital de Giro, também conhecido como capital em giro, de uma empresa 
corresponde aos valores aplicados em seu circulante. 
 As empresas, na sua atividade normal, se do segmento do comércio, compra, estoca, 
vende e recebe, ou se do segmento da indústria, compra , estoca, processa , vende e recebe 
valores monetários decorrentes do produto oriundo do processo. Este ciclo é repetido 
permanentemente objetivando a manutenção do Giro dos Negócios. 
 
Contabilidade Gerencial e de Custos
2.1 DETERMINAÇÕES DO GIRO DOS NEGÓCIOS QUE VAMOS DENOMINAR 
DE NCG = NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO 
 
Para determinar o NCG temos que ter o ativo circulante operacional e o passivo 
circulante operacional. 
 
 ATIVO CIRCULANTE OPERACIONAL \u2013 ACO 
 
É o investimento que decorre automaticamente das atividades de compra / produção 
/ estocagem/venda. 
PASSIVO CIRCULANTE OPERACIONAL \u2013 PCO 
 
É o financiamento, também automático, que decorre das atividades do ACO. 
 
A diferença entre esses investimentos (ACO ) e financiamentos ( PCO ) é quanto a 
empresa necessita de capital para financiar o giro, ou seja, a NCG. 
 
PORTANTO: NCG = ACO - PCO 
NCG - NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO 
ACO \u2013 ATIVO CIRCULANTE OPERACIONAL 
PCO \u2013 PASSIVO CIRCULANTE OPERACIONAL 
 
 
As situações básicas que ocorrem numa empresa, com relação ao ACO/PCO podem 
ser assim resumidas 
 
ACO > PCO 
 
É a situação normal na maioria das empresas. Há uma NCG para a qual a empresa 
deve encontrar fontes adequadas de financiamentos. 
ACO = PCO 
 
Neste caso a NCG é igual a zero e, portanto a empresa não tem necessidade de 
financiamento para o giro. 
ACO < PCO 
 
A empresa tem mais financiamentos operacionais do que investimentos operacionais. 
Sobram recursos das atividades operacionais, os quais poderão ser usados para 
aplicação no mercado financeiro ou outras operações que se fazem necessárias à 
 empresa. 
 
 
Curso a Distancia de Graduação em Administração
 
2.2 QUADRO DEMONSTRATIVO DOS EFEITOS DO ACO E PCO 
 
 MÊS 01 MÊS 02 MÊS 03 
ACO 300 400 350 
 
CLIENTES 100 200 100 
ESTOQUES 200 200 250 
 
PCO 200 400 400 
 
 FORNECEDORES 150 300 300 
OUTRAS OBRIGAÇÕES 50 100 100 
 
 
 
CIRCULANTE 
LÍQUIDO 
=NCG 100 - 0 - ( 50 ) 
 
Observa-se nessa planilha que nos 03 meses citados há uma diferença entre os 
resultados dos circulantes operacionais, isto é, uns apresentando um ACO > que o PCO ( mês 
01) em que a empresa tem mais investimentos que financiamento o que normalmente 
acontece nas empresas. NO mês 02 onde o ACO = PCO onde mostra uma situação de 
acomodação da administração ( nem tanto investimento e nem tanto financiamento, estão 
satisfeitos com seus resultados operacionais). E no mês 03 onde o ACO < PCO que 
demonstra uma viabilidade econômica de capital de giro, isto é, a empresa apresenta sobra de 
financiamentos sobre os investimentos, podendo então aplicá-lo em outras áreas e segmentos 
operacionais, na verdade é um aspecto visto num âmbito econômico, o que não deve retratar 
com a visão estática do que se tem no caixa. Daí então observa que é uma situação 
interessante de viabilidade de capital de giro. 
 
 
2.3. Custo de Capital de Giro ou CCG 
 
O Custo de Capital de Giro também chamado de Custo de Oportunidade, não deve 
ser confundido com custo contábil. Na contabilidade custo é o consumo de um bem ou 
serviço atribuído aos produtos de uma empresa, que de forma direta ou indireta produzirá 
receita. Um custo contábil implica desembolso, já custo de capital de giro ou custo de 
oportunidade, se relaciona com possíveis desembolsos ou embolsos que a empresa poderia 
incorrer se decidisse por determinada alternativa. 
Contabilidade Gerencial e de Custos
 
O custo de capital de giro ou custo de oportunidade é de categoria conceitual 
econômica, que representa a quantidade de recursos que uma empresa está disposta a abrir 
mão em decorrência de outra alternativa disponível naquele momento. O que vamos 
denominar de CCG = Custo de Capital de Giro. 
 
2.4 \u2013 PLANILHAS EXPLICATIVAS PARA ANÁLISE DA DRE-GERENCIAL E DA 
PLANILHA
silvia
silvia fez um comentário
Gostei
0 aprovações
Leonardo
Leonardo fez um comentário
muito bom
0 aprovações
Carregar mais