Processo Administrativo
14 pág.

Processo Administrativo


DisciplinaIntrodução à Administração32.641 materiais795.531 seguidores
Pré-visualização3 páginas
\ufffdPAGE \ufffd
O PROCESSO ADMINISTRATIVO: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO, DIREÇÃO E CONTROLE.
 
 
 
1. INTRODUÇÃO
	O presente trabalho tem como objetivo possibilitar o conhecimento do processo administrativo, segundo Henry Fayol.
	Henri Fayol foi o fundador da Teoria Clássica. Viveu de 1841 a 1925, passando pelas conseqüências da Revolução Industrial e depois da I Guerra Mundial. Foi engenheiro de Minas e aos 19 anos entrou para uma empresa metalúrgica e carbonífera onde desenvolveu toda a sua carreira. Aos 47 anos assumiu a gerência geral da companhia que se encontrava em difícil situação. Fez uma administração muito sucedida e entregou o cargo ao seu sucessor em 1918. 
	Fayol expôs a sua teoria em seu livro Teoria da Administração. Afirmou que o seu sucesso não se devia somente as suas qualidades pessoais, mas as técnicas que empregava.
	Desenvolveu uma teoria que visava aumentar a eficiência das empresas através da organização e da aplicação de princípios de administração. Enquanto Taylor observava os operários a trabalhar, Fayol refletia sobre os comportamentos que deveriam ser seguidos para se atingir uma boa prática administrativa. Segundo Fayol, os gestores valorizavam apenas o trabalho técnico, esquecendo-se de administrar as fábricas.
 	A fim de delinear a capacidade administrativa, Fayol apresenta 14 princípios:
\u2022 Divisão do Trabalho \u2013 especialização das tarefas e pessoas para a máxima eficiência;
\u2022 Autoridade e Responsabilidade - Uma pessoa responsável pelo resultado de uma operação deve ter autoridade para tomar as medidas necessárias para o sucesso dessa operação;
\u2022 Disciplina \u2013 obediência, respeito aos acordos;
\u2022 Unidade de Comando - um empregado deve receber ordens de apenas um superior;
\u2022 Unidade de Direção - deve haver \u201cuma cabeça e um plano\u201d para um grupo de atividades que cumpre o mesmo objetivo;
\u2022 Interesses Gerais \u2013 sobrepostos aos interesses particulares
\u2022 Remuneração do Pessoal \u2013 retribuição justa para a organização e para seus colaboradores;
\u2022 Centralização \u2013 concentração da autoridade no topo da pirâmide hierárquica;
\u2022 Cadeia de Comando \u2013 linha única de autoridade, do topo à base;
\u2022 Ordem \u2013 \u201cum lugar para cada coisa, cada coisa (ou pessoa) em seu lugar\u201d;
\u2022 Eqüidade \u2013 amabilidade e justiça para obter lealdade
\u2022 Estabilidade \u2013 quanto mais tempo em um cargo, melhor;
\u2022 Iniciativa \u2013 visualizar um plano e garantir seu sucesso;
\u2022 Espírito e Equipe \u2013 união e harmonia entre as pessoas.
	A teoria clássica também é conhecida como Gestão Administrativa, do qual identifica as funções do administrador:
 
PLANEJAMENTO
ORGANIZAÇÃO
DIREÇÃO
CONTROLE
	A Administração compreende no processo de planejar, organizar, dirigir e controlar os esforços realizados pelos membros da organização para alcançar objetivos estabelecidos.
				
				
						
							
2. PLANEJAR
		O planejamento é como uma locomotiva que puxa o trem das ações de organizar, liderar e controlar.
		Trata-se de uma função importante, porque contribui para o sucesso da organização como um todo e possibilita à organização adotar um comportamento pro ativo em relação ao futuro.
		Sem planos os administradores encontrariam bastantes dificuldades na sua liderança e tornaria-se um exercício sem consistência, o que consequentemente afetariam toda a organização.
		Pode-se concluir que o planejamento é um processo complexo e abrangente, que envolve uma série de elementos que se superpõe.
		O Planejamento é um processo consciente e sistemático de tomar decisões sobre o objetivo que buscará no futuro, para tanto há diferentes níveis de organizacionais.
		No nível institucional ou estratégico, o planejamento envolve a determinação dos objetivos;
		No nível intermediário, trata-se da alocação de recursos, traduzindo e interpretando as decisões estratégicas, transformando-as em planos concretos em nível departamental;
		No nível operacional, o planejamento desdobra os planos de táticos, de cada departamento, em planos operacionais, de cada tarefa.
		Os recursos disponíveis deverão ser distribuídos continuamente, pois eles são limitados aos objetivos traçados.
		As empresas direcionam seus negócios e operações de maneira racional, por meio de padrões próprios, ou seja, determinando ações organizacionais e comportamentos diferenciados, definindo sua estratégia: definição para alcançar os objetivos, através de um plano unificado, compreensível e integrado.
		A estratégia empresarial é formada pelos componentes: Ambiente: Conjuntos de negócios, mercados ou setores em que as organizações competem.
Empresa: distribuição dos recursos disponíveis, capacidades e habilidade entre esses negócios.
Adequação entre ambos: posição que a empresa deve adotar para compatibilizar seus objetivos.
		No topo da hierarquia dos objetivos está a missão, a razão da existência da organização, do qual descreve os valores e razão de ser de ser.
		Os objetivos são importantes porque as organizações existem para uma finalidade definida e estabelecida por elas.
		São utilizadas as políticas para a tomada de decisão, elas orientam em direção ao objetivo, em situações que requeiram julgamentos.
		O planejamento estratégico consiste em planos gerais que moldam o destino da organização, deverá ser feito respeitando uma seqüência de etapas que vão da determinação dos objetivos, até a implementação através de planos táticos e operacionais.
		A tomada de decisões consiste em decidir ou optar, entre várias alternativas, aquela que mais favoreça a organização e pareça adequada a situação, sabendo dos riscos que corre e das conseqüências. 	
		\u201cAs estratégias devem estar subordinadas aos objetivos, isto é, elas só são relevantes na medida em que ajudam a alcançar os objetivos.\u201d
				
									J.Scott Armstrong
	3. ORGANIZAR
		Organização significa uma unidade social, representando um agrupamento de pessoas que interagem para alcançar um objetivo comum e específico.
		A função de organização é o instrumento de operacionalização do planejamento, é a estrutura organizacional que possibilita a transformação de um modelo teórico, traçado no planejamento, em ação organizacional para o alcance dos objetivos.
		Para desempenhar a função de organização, o administrador deve listar o trabalho que precisa ser realizado, dividir o trabalho em tarefas que possam ser realizadas de modo lógico e eficiente, por indivíduos ou grupos, efetuar a departamentalização, ou seja, agrupar as tarefas segundo um critério determinado e criar mecanismos de integração de esforços dos indivíduos, grupos e órgãos da empresa para facilitar o alcance dos objetivos.
		A vantagem da divisão do trabalho é facilitar a realização de tarefas complexa, por meio da execução de uma série de tarefas pequenas, simples e separadas, do qual se atribuindo ao trabalhador seria possível sua especialização, com reflexos imediatos sobre o aumento da produtividade.
		A especialização é a forma de um indivíduo conhecer apenas uma parte do processo produtivo global. Entretanto, deverá ser observada a necessidade de buscar modos para evitar a monotonia que a realização de uma única tarefa pode provocar, levando assim ao indivíduo ficar propício a cometer erros e não pode ignorar o fato de que o indivíduo perde a noção da contribuição para o alcance do objetivo levando assim a alienação, desinteresse e desmotivação. 
		Os administradores devem ter uma visão do conjunto administrativo para avaliar as implicações globais do processo administrativo, aplicar técnicas de rotatividade no trabalho, ampliação e enriquecimento de cargos, para que possa minimizar os efeitos negativos da especialização.
		No processo de organização, é necessária a delegação de autoridade, pois uma pessoa não consegue supervisionar e realizar todas as atividades necessárias para o alcance do objetivo.
		Deve-se considerar que autoridade é o direito de dar ordens e a responsabilidade é o dever de responder pelas ações praticadas.