Processo Administrativo
14 pág.

Processo Administrativo


DisciplinaIntrodução à Administração32.641 materiais795.398 seguidores
Pré-visualização3 páginas
A escolha da estrutura organizacional adequada para a operacionalização de determinada estratégia pode representar o sucesso ou o fracasso da ação da organização.
		A estrutura organizacional fornece papéis e status, relacionados com os cargos ou as funções do indivíduo na organização formal, é importante a empresa desenvolver e cultivar valores que darão aos funcionários significados pessoais, tornando-os mais seguros e conscientes das posições que ocupam.
		A estrutura organizacional será modelada para cada organização, dependendo do seu tamanho, objetivos, missão, etc.
		O que influencia a modelagem da estrutura organizacional é a amplitude administrativa, que diz respeito ao número de subordinados que um chefe pode supervisionar com eficiência.
		Os fatores que interferem na determinação da amplitude administrativa ideal são: Tecnologia utilizada; Interdependência entre os subordinados; Similaridade entre as funções; Qualificação dos subordinados.
A função de organização também estabelece a inter-relação entre os órgãos, que pode ser uma relação hierárquica ou coordenativa. Podem-se construir os seguintes modelos de estruturas organizacionais, baseando se no tipo de autoridade disponível:
		Organização Linear: é uma estrutura simples, baseada na autoridade linear, em que as funções geralmente são dispostas em \u201cuma organização de linha em que a cadeia de comando é clara e descendente através dos níveis gerenciais\u201d. Comporta chefes que devem entender um pouco de tudo; essa estrutura promove e facilita a tomada de decisões, estabelecendo relações funcionais e hierárquicas pouco complexas.
		Organização Linha-Staff: permite a convivência da assessoria com as posições de linha, existe uma equipe de especialistas capaz de resolver questões mais específicas, que demandem um nível de conhecimento mais profundo; Os órgãos de linha concentram suas atividades no alcance dos objetivos e os órgãos de staff concentram suas atividades na prestação de serviços especializados, aconselhamento e consultoria técnica, auxiliando a linha por meio de sugestões.
		Cabendo assim autoridade hierárquica para os administradores de linha e autoridade técnica ou funcional para os administradores de assessoria.
		Há meios pelo qual a empresa opta para alcançar objetivos, em razão de determinadas estratégias como o desenho de cargos e tarefas, especialização e enriquecimento de cargos e desenho de cargos e pessoa.
		Há também a organização formal e informal, a organização formal compreende numa divisão racional do trabalho, na integração dos participantes segundo um critério estabelecido por aqueles que detêm a autoridade, ela possui normas e regulamentos, em geral escritos, determinados pela própria organização e são compostas por cargos, funções, relações hierárquicas e funcionais, ou seja, profissionais, sem levar em conta sentimentos ou emoções. A organização informal surge naturalmente entre as pessoas que ocupam cargos na organização formal, há uma inter-relação entre as pessoas que não se restringe ao espaço físico da empresa, existem normas, porém não estabelecidas pela empresa e sim pelas pessoas.
	4. DIRIGIR
	Segundo Fayol o papel da Direção consiste em Dirigir e Conduzir a empresa no sentido de atingir os objetivos visados, razão de ser da empresa. Devendo haver um único plano e um só diretor para dirigir todas as operações que tiveram o mesmo objetivo. Todos os esforços dirigidos ao mesmo alvo, devem estar coordenados para uma autoridade.
	Para que o planejamento e a organização possam ser eficazes, precisam ser complementados pela orientação a ser dada ás pessoas por meio da liderança, e essa orientação é dada pelo administrador no desempenho da função de direção, função que se refere á relações interpessoais dos administradores com seus subordinados.
	A função de direção está diretamente ligada a autoridade e poder. Poder é o potencial para exercer influência, autoridade é o poder institucionalizado, inerente ao papel de um cargo, a autoridade proporciona o poder, entretanto o poder não proporciona necessariamente a autoridade. Mas ambos são manifestações de influência.
	A função de direção nos diversos níveis hierárquicos assume aspectos diferenciados, a forma de exercer a função dependera das características específicas das tarefas desempenhadas nos diferentes níveis.
[... A responsabilidade direta dos administradores dos níveis institucional e gerencial é sobre o trabalho de outros administradores...] Stephen P. Robins·.
	A função de direção no nível operacional é chamada de supervisão e suas as características específicas são:
Representação da administração diante do pessoal não administrativo: aplicam regras, regulamentos e procedimentos sobre o pessoal não administrativo;
Dependência da perícia técnica: precisam de peritos e profundos conhecedores das técnicas e tarefas especializadas;
Comunicação em duas linguagens distintas: dos administradores e dos não administradores.
	Há vários sistemas de administração, nunca é igual em todas as empresas, há alguns modelos de sistemas administrativos e por se tratar de modelos, dificilmente serão encontrados, na realidade, exatamente conforme descritos:
Sistema Autoritário Coercitivo: sistema autoritário, forte, coercitivo, arbitrário, que utiliza controles rígidos, apresentando sistema duro e fechado;
Sistema Autoritário Benevolente: sistema autoritário, porém mais suave e menos rígido;
Sistema Consultivo: adota lado participativo e um gradativo abrandamento organizacional;
Sistema Participativo: é democrático por excelência, representando o mais aberto do sistema.
A função de direção requer atividade conjunta, grupal, solidária e plena de comprometimento que caracteriza a gestão participativa, daí o trabalho em equipe, e para que a gestão administrativa funcione é fundamental o exercício da democracia, para que todos possam participar. O resultado desta gestão é a obtenção de melhores decisões, porque são tomadas em consenso.
	As pessoas que participam dessas decisões se sentem motivadas e isso impulsiona a pessoa a agir de determinada maneira, ou seja, é a causa de um comportamento específico.
Dentro do processo de dirigir temos a Liderança, que é a influência interpessoal exercida em uma situação, podemos considerar a Liderança sobre dois aspectos: capacidade presumida de levar as pessoas a fazer aquilo que precisa ser feito e tendência dos liderados a seguir aqueles que eles percebem como capazes de satisfazer suas necessidades.
	O processo de comunicação encontra-se ligado principalmente á direção, pois representa intercâmbio de pensamentos e informações para proporcionar confiança e compreensão mútuas e bom relacionamento entre as pessoas.
5. CONTROLAR
	Para o Fayol o controle significa verificar se os procedimentos do pessoal se acordam com as regras e os princípios estabelecidos na empresa. 
	Estabelecendo padrões e medidas de desempenho que permitam assegurar que as atitudes empregadas são as mais compatíveis com o que a empresa espera. O controle das atividades desenvolvidas permite maximizar a probabilidade de que tudo ocorra conforme as regras estabelecidas e ditadas.
	O controle compreende a verificação da compatibilidade entre a ação organizacional e o plano que a determinou.
	O controle é a última função desempenhada, porque só é possível ocorrer depois que as demais funções forem completadas, ele está intimamente ligado ao planejamento, pois estabelece metas e métodos para atingi-las.
	A função de controle é importante porque complementa as demais funções, procurando garantir que os rumos da ação individual e grupal sejam compatíveis com os objetivos organizacionais.
	O Processo de controle envolve quatro etapas:
Estabelecer padrões de desempenho: pontos de referência para avaliar o desempenho
Medir o desempenho: medição por meio de relatórios, gráficos, tabelas, fluxos e outros recursos.
Comparar o desempenho com os padrões e determinar desvios: identificação das diferenças existentes no processo de operação, indicando