Apo - aula Introdução à Adm da Produção e Operação
45 pág.

Apo - aula Introdução à Adm da Produção e Operação


DisciplinaAdministração da Produção e Operações I7.409 materiais48.983 seguidores
Pré-visualização16 páginas
que a gerência deve assumir maior 
responsabilidade por: 
 
1. Encaixar os funcionários no cargo mais apropriado. 
2. Proporcionar o treinamento adequado. 
3. Fornecer métodos e ferramentas de trabalho apropriados. 
4. Estabelecer incentivos legítimos para a realização das tarefas. 
Em 1913, Henry Ford e Charles Sorensen combinaram o que sabiam sobre peças padronizadas com 
as quase-linhas de montagem das atividades de empacotamento de carnes e de reembolso postal e 
adicionaram o conceito revolucionário da linha de montagem onde os empregados permaneciam no 
mesmo lugar e o material é que se movimentava. O controle da qualidade é outra contribuição 
historicamente significativa no campo da GO. Walter Shewhart (1924) combinou seus 
conhecimentos de estatística com a necessidade do controle da qualidade e forneceu os 
fundamentos da amostragem estatística no controle da qualidade. W. Edwards Deming (1950) 
acreditava, como Frederick Taylor, que a administração deve fazer mais para aprimorar o ambiente 
de trabalho e os processos de modo a que a qualidade possa ser melhorada. 
A gestão de operações continuará a progredir com contribuições de outras disciplinas, como a 
engenharia industrial e a ciência da administração. Estas disciplinas, juntamente com a estatística, 
a administração e a economia, contribuíram substancialmente para o aumento da produtividade. 
Inovações oriundas das ciências físicas (biologia, anatomia,química, física) também contribuíram 
para os avanços da GO. Estes avanços incluem novos adesivos, processos químicos para placas de 
circuitos impressos, raios gama para esterilizar produtos alimentícios, mesas de estanho derretido 
para esfriar vidro de alta qualidade. O projeto de produtos e processos muitas vezes depende das 
ciências biológicas e físicas. Uma contribuição especialmente importante para a GO provém das 
ciências da informação, que definimos como sendo processamento sistemático de dados visando à 
produção de ir,formações. As ciências da informação estão contribuindo como um importante meio 
de se melhorar a produtividade e se oferecer maior variedade de bens e serviços. As decisões na 
área da gestão de operações exigem pessoas versadas na ciência da administração, na ciência da 
informação, muitas vezes, nas ciências biológicas ou físicas. 
 
- POR QUE ESTUDAR GO? 
 
Estudamos GO por quatro motivos: 
 
1. GO é uma das três principais funções de qualquer organização, e relaciona-se integralmente com 
todas as outras funções do negócio. Todas as organizações comerciam (vendem), financiam 
(contabilizam) e produzem (operam) e é importante saber como o segmento de GO funciona. Desta 
forma, portanto, estudamos como as pessoas se organizam para os empreendimentos produtivos. 
 
2. Estudamos GO porque queremos saber como os bens e serviços são produzidos. A função de 
produção é o segmento de nossa sociedade que cria os produtos que utilizamos. 
 
3. Estudamos GO para sabermos que operações os gerentes executam. Conhecendo o que os 
gerentes fazem, podemos desenvolver as habilidades necessárias para nos tomarmos gerentes. Isso 
nos auxiliará a desenvolvermos as numerosas e lucrativas oportunidades de carreira em GO. 
 
4. Estudamos GO porque é uma parte dispendiosa das organizações. Uma grande percentagem da 
receita da maioria das empresas é gasta com a função de GO. Na verdade, a GO proporciona uma 
importante oportunidade para que uma organização melhore sua lucratividade e seus serviços para a 
sociedade. O Exemplo 1 mostra como uma empresa pode aumentar sua lucratividade por meio da 
função de produção. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
EXEMPLO 1 
A Fisher Technologies é uma pequena empresa que precisa dobrar sua margem de contribuição em dinheiro para os 
custos fixos e para os lucros a fim de ser suficientemente lucrativa e poder adquirir a geração seguinte de equipamentos 
de produção. A alta administração sabe que, se a empresa não conseguir aumentar a margem de contribuição, o banco 
não concederá o empréstimo e o equipamento não poderá ser adquirido. Se a empresa não puder comprar o 
equipamento, as limitações do equipamento antigo obrigarão a Fisher a sair do negócio, e, com isso, seus funcionários 
ficarão desempregados e a produção de bens e serviços para os clientes será descontinuada. A Tabela 1.1 apresenta uma 
demonstração de lucros e perdas simples e três opções estratégicas para a empresa. A primeira é uma opção de 
marketing na qual um gerenciamento bem-feito pode aumentar as vendas em 50%. Este aumento de 50% aumentará a 
margem de contribuição em 71%, mas aumentar as vendas em 50% pode ser muito difícil e talvez impossível. A 
segunda opção é a de finanças/contabilidade, em que os custos financeiros são cortados pela metade mediante um bom 
gerenciamento financeiro. Porém mesmo uma redução de 50% ainda é insuficiente para gerar o necessário aumento da 
margern de contribuição. Esta aumenta em apenas 21%. A terceira opção é uma opção de GO na qual a administração 
reduz os custos de produção em 20% e aumenta a margem de contribuição em 114%. Dadas as condições de nosso 
breve exemplo, a Fisher Technologies aumentou sua margem de contribuição de $10.500 para $22.500 e agora terá um 
banco disposto a emprestar-lhe novos fundos. 
 
 
 
O Exemplo 1 ressalta a importância de se desenvolver uma estratégia eficaz para a atividade de 
operações da empresa. Esta também é a abordagem utilizada por muitas empresas que enfrentam 
a crescente concorrência global. 
 
- O QUE OS GERENTES DE OPERAÇÕES FAZEM 
 
Todos os bons gerentes executam as funções básicas do processo de gerenciamento. O processo de 
gerenciamento consiste em planejar, organizar, recrutar, liderar e controlar. Os gerentes de 
operações aplicam o processo de gerenciamento às decisões que tomam na função de GO. Os 
gerentes contribuem para a produção e para as operações por meio das decisões mostradas na 
Tabela 1.2.O sucesso em cada uma dessas decisões exige planejar, organizar, recrutar, liderar 
e controlar. Questões típicas relevantes para essas decisões e o capítulo em que cada uma delas é 
discutida também estão mostrados. 
 
Como Este Livro É Organizado 
 
As dez decisões mostradas na Tabela 1.2 são atividades exigidas dos gerentes de operações. A 
capacidade de tomar boas decisões nessas áreas e de alocar recursos para garantir sua execução 
efetiva contribui consideravelmente para uma função de operações eficiente. O texto está 
estruturado em tomo dessas 10 decisões. Em toda a extensão do livro, discutiremos os problemas 
e as ferramentas que auxiliam os gerentes a tomar essas 10 decisões. Também será considerado o 
impacto que essas decisões podem ter na estratégia e na produtividade de uma empresa. 
 
 
 
 
 
DEZ DECISÕES DE GO: 
 
1 - Gestão da Qualidade 6 - Recursos Humanos 
2 - Projeto de Bens & Serviços 7 - Administração da Cadeia de Fornecedores 
3 - Estratégia de Processos 8 - Administração de Estoque 
4 - Estratégias de Localização 9 - Programação 
5 - Estratégias de Arranjo Físico 10 - Manutenção 
 
- ORGANIZANDO PARA PRODUZIR BENS E SERVIÇOS 
 
Para criar bens e serviços, todas as organizações desempenham três funções (ver Fig. 1.2). Estas 
funções são os elementos necessários para a sobrevivência da produção e também da organização. 
São elas: 
1. Marketing, que cria a demanda, ou pelo menos obtém os pedidos, de um produto ou serviço 
(nada acontece até que haja uma venda). 
 
2. Produção/operações, que cria o produto. 
 
3. Finanças/contabilidade, que acompanha o quão bem a organização está indo, paga as contas e 
arrecada o dinheiro. 
 
Universidades, igrejas ou sinagogas e empresas, todas desempenham essas funções. 
 Qualquer instituição, mesmo um grupo de voluntários, como os Boy Couto of. America, é 
organizada para executar essas três funções básicas. A Fig. 1.2 mostra como um banco, uma 
empresa aérea e uma empresa de manufatura se