WL-P & R-51-TGE-10-A Dimensão Internacional do Estado-001
2 pág.

WL-P & R-51-TGE-10-A Dimensão Internacional do Estado-001


DisciplinaCiência Política I30.883 materiais579.435 seguidores
Pré-visualização1 página
\ufffd INCLUDEPICTURE "http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTlzEsfAOs7FECPBSYbP4fZ1u_R0PVj8ClaiZWCstsE3GSAzZYC" \* MERGEFORMATINET \ufffd\ufffd\ufffd\ufffdWaldeck Lemos
Perguntas & Respostas\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTlzEsfAOs7FECPBSYbP4fZ1u_R0PVj8ClaiZWCstsE3GSAzZYC" \* MERGEFORMATINET \ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffdDisciplina:
Teoria Geral do Estado\ufffdFolha:
\ufffdPAGE \* MERGEFORMAT \ufffd1\ufffd de \ufffdNUMPAGES \* MERGEFORMAT \ufffd2\ufffd\ufffd\ufffd
\ufffd INCLUDEPICTURE "http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTlzEsfAOs7FECPBSYbP4fZ1u_R0PVj8ClaiZWCstsE3GSAzZYC" \* MERGEFORMATINET \ufffd\ufffd\ufffd\ufffdWaldeck Lemos
Perguntas & Respostas\ufffd\ufffd INCLUDEPICTURE "http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTlzEsfAOs7FECPBSYbP4fZ1u_R0PVj8ClaiZWCstsE3GSAzZYC" \* MERGEFORMATINET \ufffd\ufffd\ufffd\ufffd\ufffdDisciplina:
Teoria Geral do Estado\ufffdFolha:
\ufffdPAGE \* MERGEFORMAT \ufffd2\ufffd de \ufffdNUMPAGES \* MERGEFORMAT \ufffd2\ufffd\ufffd\ufffd
Questões
	
	Fonte: CRETELLA JUNIOR, J. e CRETELLA NETO, J. - 1.000 Perguntas e Respostas Sobre Teoria Geral do Estado \u2013 Editora Forense Jurídica (Grupo GEN).
	
	CAPÍTULO 10 - A DIMENSÃO INTERNACIONAL DO ESTADO
	
	01) Quais os fundamentos da sociedade internacional?
R.: Três correntes doutrinárias procuram explicar os fundamentos da sociedade internacional: a) a positivista (de Arrigo Cavaglieri), que baseia a existência da sociedade internacional no acordo de vontades dos Estados; b) a jusnaturalista (de Giorgio Del Vecchio), que afirma que, uma vez que o homem só se realiza em sociedade (pois é um ser "ontologicamente social"), é a sociedade internacional sua forma mais ampla; e c) lógica-jurídica (de Hans Kelsen), que considera a coletividade internacional como a ordem superior e comum que torna possível aos Estados se relacionarem.
02) Quais as principais características da sociedade internacional?
R.: As principais características da sociedade internacional são: a) é universal, porque abrange todos os entes do mundo; b) é paritária, pois nela existe igualdade jurídica; c) é aberta, no sentido de que basta a um ente apresentar determinadas características ou elementos, para dela se tornar membro, sem a necessidade de ser aprovada pelos outros membros; d) é descentralizada, não possuindo organização institucional, tal como as sociedades internas dos Estados, ou seja, não é dotada de poderes executivo, judiciário ou legislativo; e e) o direito que nela se manifesta é originário, não se fundamentando em nenhum outro ordenamento positivo. A idéia de sociedade internacional é ponto de partida para a de comunidade internacional.
03) Quais as principais forças contrárias ao estabelecimento de uma verdadeira comunidade internacional?
R.: São contrárias ao estabelecimento de uma verdadeira comunidade internacional as seguintes forças, todas de conteúdo nacionalista: a) as revoluções, que se contrapõem à estabilidade proporcionada pela ordem pública; b) a noção de soberania, oposta à de cooperação entre os povos do mundo; e c) o direito à autodeterminação dos povos, que contraria a divisão do mundo em zonas de influência.
04) Quais as principais diferenças entre as ordens jurídicas internacional e nacional?
R.: As principais diferenças entre elas são: a) na ordem internacional, o Estado é o principal sujeito de direito; na ordem interna, é o homem; b) o Direito Internacional tem por fonte a vontade coletiva dos Estados, que se manifesta de for\u200bmá expressa nos tratados-leis, e de forma tácita no costume internacional; o Direito interno resulta da vontade de um único Estado; e c) a ordem internacional baseia-se numa relação de coordenação; a ordem interna, numa relação de subordinação.
05) Em que consiste a denominada teoria da incorporação?
R.: A teoria da incorporação estabelece que, para que uma norma internacional seja aplicável no plano interno de um Estado, deve ser "transformada" em norma de Direito interno desse Estado.
06) Que correntes doutrinárias se formaram para explicar a incorporação da norma internacional ao Direito interno?
R.: Formaram-se duas correntes: a) a dualista, que considera a norma internacional e a interna como autônomas, sendo, portanto, necessário que um procedimento legislativo complexo autorize a norma internacional a vigorar no ordenamento jurídico interno; e b) a monista, que sustenta a unidade da ordem jurídica, razão pela qual a norma internacional é imediatamente aplicável no ordenamento interno.
07) Que críticas são feitas à corrente dualista?
R.: São formuladas, principalmente, as seguintes críticas: a) a corrente deveria, na realidade, denominar-se pluralista, já que são muitas as ordens jurídicas internas; b) o homem é também sujeito de Direito Internacional, tendo direitos e obrigações diretamente outorgados pela ordem internacional; c) o costume internacional (que é obrigatório) não se origina na vontade de um Estado nem de diversos Estados; e d) coordenação é mera subordinação a uma terceira ordem; daí resulta que a diferença entre a ordem interna e a internacional é de estrutura, e não de natureza, ou seja, a diferença entre ambas é diferença de grau.
08) Quais as diferentes concepções do monismo?
R.: O monismo, teoria oposta ao dualismo, apresenta-se sob duas concepções: uma, que defende a primazia do Direito interno sobre o Direito Internacional, e outra, que considera a superioridade do Direito Internacional sobre o interno.
09) Qual das duas concepções melhor reflete a prática internacional? 
R.: A prática internacional reflete a primazia do Direito Internacional sobre o Direito interno. Essa predominância fica evidente com os seguintes exemplos: a) promulgada uma lei contrária ao Direito Internacional, terá o Estado, cujo direito tiver sido por ela violada, a faculdade de iniciar processo de responsabilidade internacional; b) estabelecida uma norma de Direito Internacional,
contrária ao Direito interno de determinado Estado, não terá ele o direito de iniciar processo de responsabilidade internacional; c) diversas leis internacionais passaram diretamente a vigorar no ordenamento interno, como era o caso das decisões da CECA-Comunidade Européia do Carvão e do Aço; atualmente, o Direito Europeu, de caráter comunitário e supranacional, tem imediata aplicação no ordenamento jurídico interno nos países da EU - União Européia; d) a jurisprudência internacional consagra a primazia do Direito Internacional sobre o Direito interno.
10) Quais teorias procuram harmonizar a corrente dualista e a monista?
R.: Os internacionalistas espanhóis criaram teorias denominadas, genericamente, de conciliadoras, sendo o principal grupo delas, as que defendem a independência entre as ordens jurídicas nacional e internacional, sendo ambas, no entanto, submetidas ao Direito Natural.
==XXX==
Perguntas & Respostas/WLAJ/DP
Perguntas & Respostas/WLAJ/DP