4_Umidade_Condensação_Nuvens
19 pág.

4_Umidade_Condensação_Nuvens


DisciplinaIntrodução Às Ciências Atmosféricas68 materiais306 seguidores
Pré-visualização7 páginas
de orvalho pode indicar se a umidade relativa 
é baixa ou alta. Quando a temperatura do ar e o 
ponto de orvalho estão muito afastadas, a umidade 
relativa é baixa; quando elas estão com valores 
próximos, a umidade relativa é alta. Quando as 
temperaturas do ar e do ponto de orvalho são 
iguais, o ar está saturado e a umidade do ar é de 
100%. Mesmo quando a umidade relativa é de 
100%, o ar, sob certas condições pode ser 
considerado como \u201cseco\u201d. Mais informação sobre 
isto é dada na seção Focus na pagina 81 
denominada \u201cAr seco com alta umidade\u201d. 
 
Medindo a Umidade \u2013 O instrumento mais 
comum usado para se obter o ponto de orvalho e a 
umidade relativa é o psicrômetro, que consiste de 
dois termômetros de líquido-em-vidro montados lado 
a lado em um suporte metálico (figura 4.7). Os 
termômetros são absolutamente iguais exceto pelo 
fato de que um deles tem um pedaço de tecido 
(musselina) cobrindo seu bulbo. O termômetro 
coberto com a musselina \u2013 chamado de bulbo úmido 
\u2013 é umedecido com água limpa, enquanto que o 
outro termômetro é mantido seco. Ambos os 
termômetros são bem ventilados por alguns minutos, 
tanto através do giro do instrumento (psicrômetro de 
funda) ou através de um ventilador (psicrômetros 
aspirados). A água evapora da musselina e o 
termômetro esfria. Quanto mais seco o ar, maior a 
quantidade de evaporação e de resfriamento. 
Depois de alguns minutos, o termômetro de bulbo 
úmido terá estabilizado sua temperatura e atingido 
seu valor mais baixo. Lembre da seção anterior que 
esta é a temperatura do bulbo-úmido \u2013 a menor 
temperatura que se pode atingir pela evaporação da 
água para o ar. 
 O termômetro seco (geralmente chamado de 
termômetro seco) dá a temperatura do ar, ou 
temperatura do bulbo-seco. A diferença de 
temperatura entre o bulbo-seco e o bulbo-úmido é 
conhecida como depressão do bulbo-úmido. Uma 
grande depressão indica que uma grande 
quantidade de água pode evaporar para o ar e que a 
umidade relativa é baixa. Uma pequena depressão 
indica que pouca evaporação de água é possível, 
deste modo o ar está próximo à saturação e a 
umidade relativa é alta. Se não houver depressão, o 
bulbo-úmido e o bulbo-seco têm o mesmo valor; o ar 
está saturado e a umidade relativa é de 100%. 
 Os instrumentos que medem a umidade são 
normalmente chamados de higrômetros. Um tipo \u2013 
chamado de higrômetro de cabelo \u2013 usa cabelo 
humano (ou de cavalo) para medir a umidade 
relativa. Ele é construído sob o princípio de que, na 
medida em que cresce a umidade relativa, o 
comprimento do cabelo aumenta e, na medida em 
que a umidade relativa decresce, do mesmo modo 
varia o comprimento do cabelo. Um conjunto de fios 
de cabelo (sem vestígio de óleo) é fixado a um 
sistema de alavancas. Uma pequena variação no 
comprimento do cabelo é amplificado por um 
sistema adequado e transmitido a um indicador 
calibrado para mostrar a umidade relativa, que pode 
então ser lida diretamente ou registrada em um 
gráfico. (Geralmente um gráfico é fixado em um 
sistema de relojoaria que gira de tal modo que se 
pode fazer um registro contínuo da umidade 
relativa). Como o higrômetro de cabelo não é tão 
preciso quanto o psicrômetro (especialmente em 
umidades relativas muito altas ou muito baixas) ele 
requer calibrações freqüentes, principalmente em 
áreas submetidas a grandes variações diárias de 
umidade relativa. 
 O higrômetro elétrico é outro instrumento 
usado para medir a umidade. Consiste de uma 
placa coberta com uma película de carbono. Uma 
corrente elétrica é passada através da placa. Na 
medida em que varia a quantidade de umidade do 
ar, a resistência elétrica da cobertura de carbono 
varia. Esta mudança é convertida em umidade 
relativa. Este instrumento é normalmente usado nas 
radiossondas, que mede as condições atmosféricas 
em vários níveis acima do solo. Um outro 
instrumento \u2013 o higrômetro infravermelho \u2013 mede a 
umidade atmosférica pela medida da quantidade de 
 
6
 A geada branca visível se forma em manhãs 
frias, calmas e claras quando a temperatura do 
ponto de orvalho é igual ou abaixo do ponto de 
congelamento. Quando a temperatura do ar cai até 
o ponto de orvalho (aqui chamado de ponto de 
geada) e a temperatura cai ainda mais, o vapor 
d\u2019água pode mudar diretamente para gelo sem 
passar pelo estado líquido primeiro - um processo 
chamado de deposição2. Os delicados cristais de 
gelo que se formam desta maneira são chamados de 
geada branca, (ou \u201choarfrost\u201d), ou simplesmente de 
geada. A geada tem uma aparência de ramos ou 
galhos como em uma árvore que é facilmente 
distinguível do caso de orvalho congelado (ver figura 
4.9). 
energia infravermelha absorvida pelo vapor d\u2019água 
em uma amostra de ar. Finalmente, a célula de 
orvalho (\u201cdew cell\u201d) mede a quantidade de vapor no 
ar medindo a pressão real de vapor do ar. 
 Nas últimas seções nós vimos que, na 
medida em que o ar resfria, a temperatura do ar se 
aproxima da temperatura do ponto de orvalho e a 
umidade relativa aumenta. Quando a temperatura 
do ar atinge o ponto de orvalho, o ar se torna 
saturado de vapor d\u2019água e a umidade relativa está 
em 100%. Continuando o resfriamento parte do 
vapor se condensará e se tornará água líquida. O 
resfriamento pode ocorrer um uma porção 
relativamente pouco espessa da atmosfera, ou pode 
ocorrer perto da superfície. Nas próximas seções, 
iremos examinar a condensação que se forma perto 
do solo. 
 Em tempo muito seco, o ar pode ficar 
bastante frio e cair abaixo do ponto de congelamento 
sem que atinja o ponto de geada e, deste modo, 
nenhuma geada se formará. Geada negra é o nome 
que se dá a esta situação \u2013 uma situação que pode 
causar sérios danos às plantas. 
 
Orvalho e Geada 
 
Em noites claras e calmas, os objetos perto da 
superfície da terra resfriam-se rapidamente pela 
emissão de radiação infravermelha. O solo e os 
objetos sobre ele tornam-se mais frios do que o ar 
circundante. O ar que fica em contato com estas 
superfícies frias resfria-se por condução. 
Eventualmente, o ar se resfria até o ponto de 
orvalho. Na medida em que as superfícies (tais 
como twigs, folhas e blades of grass) resfriam abaixo 
desta temperatura, o vapor d\u2019água começa a se 
condensar sobre elas, formando uma fina cobertura 
de água chamada de orvalho. Se a temperatura do 
ar cair até atingir o ponto de congelamento ou abaixo 
dela, o orvalho irá se congelar, tornando-se uma fina 
camada de gelo chamada de orvalho congelado. 
Como o ar mais frio é geralmente encontrado ao 
nível do solo, o orvalho é mais fácil de se formar nas 
folhas das gramíneas do que em objetos a uma 
distância razoável do solo. Esta fina camada de 
orvalho não só molha os pés das pessoas mas é 
uma valiosa fonte de umidade para muitas plantas 
durante períodos de baixa precipitação. 
 Na medida que uma camada de ar se resfria 
durante a noite, sua umidade relativa aumenta. 
Quando a umidade relativa do ar atinge 75%, parte 
do vapor d\u2019água começa a se condensar sobre 
pequenas partículas de sal marinho ou outras 
substâncias \u2013 núcleos de condensação \u2013 que sejam 
higroscópicas (que \u201ccapturam água\u201d) de tal modo 
que elas permitem que o vapor se condense sobre 
elas quando a umidade relativa está 
consideravelmente abaixo de 100%. Na medida em 
que a água é coletadas sobre estes núcleos, seu 
tamanho aumenta e as partículas, embora ainda 
pequenas, são agora grandes o suficiente para 
espalhar a luz visível em todas as direções, 
tornando-se névoa úmida ("haze") \u2013 uma camada 
de partículas dispersas em uma porção de atmosfera 
(ver figura 4.10). 
 Na medida em que a umidade relativa 
gradualmente se aproxima de 100%, as partículas 
de névoa úmida ficam maiores, e a condensação 
começa sobre os núcleos menos ativos. Agora uma 
grande fração dos núcleos disponíveis