Aulas - Direito Civil I - atualizado

Aulas - Direito Civil I - atualizado


DisciplinaDireito Civil I66.341 materiais712.553 seguidores
Pré-visualização12 páginas
diz-se que houve transferência de domicílio. Basta, pois, outro local de residência ou moradia e a intenção de ali se fixar. 
INDIVIDUALIZAÇÃO DA PESSOA NATURAL
1.6	DOMICÍLIO DAS PESSOAS JURÍDICAS
Artigo 75, CC:
Da União -> o DF.
Dos Estados e Territórios -> respectivas capitais.
Do Município -> lugar onde funciona a administração Municipal.
Das demais pessoas jurídicas -> lugar onde funcionam as respectivas diretorias e administrações, ou domicílio especial determinado.
INDIVIDUALIZAÇÃO DA PESSOA NATURAL
1	INTRODUÇÃO \u2013 estudamos antes a pessoa natural; pessoa física, como sujeito de direitos e obrigações. 
	Trata-se de pessoa abstrata; diversa da pessoa natural, constituída pela vontade humana, passando a ter personalidade e patrimônio próprios e distintos dos de seus constituintes. 
	As pessoas jurídicas são criadas para atender determinadas finalidades. 
DAS PESSOAS JURÍDICAS
As pessoas jurídicas são tratadas nos artigos 40 ao 69, do CC.
O artigo 40 dispõe: As pessoas jurídicas são: a) de direito público; e b) de direito privado.
De direito público (interno): União, Estados, DF, Territórios, Municípios, Autarquias (inclusive associações públicas), as demais entidades de caráter público criadas por lei \u2013 artigo 41, CC.
De direito público (externo): Estados estrangeiros e todas as pessoas que forem regidas pelo direito internacional público. 
De direito privado: artigo 44, CC. 
DAS PESSOAS JURÍDICAS
As pessoas jurídicas de direito público interno classificam-se em: 
1) de administração direta: União, Estados, DF, Territórios, Municípios; e 
2) de administração indireta: autarquias, fundações públicas e demais entidades de caráter público criadas por lei (agências reguladoras).
DAS PESSOAS JURÍDICAS
2	CONCEITO: entidades que a lei empresta personalidade, capacitando-as como sujeito de direitos e obrigações. 
	É o agrupamento de pessoas físicas, dotada de vida própria, reconhecida por lei como sujeito de direitos e obrigações na ordem civil. A sua existência é ABSTRATA.
 
3	REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS: A partir do artigo 40, CC dispõe: As pessoas jurídicas são de direito público interno, ou externo, e de direito privado. 
DAS PESSOAS JURÍDICAS
4	PRINCIPAL CARACTERÍSTICA \u2013 atua na vida civil com personalidade DIVERSA da dos indivíduos que a integram. O Código Civil novo garante em favor das pessoas jurídicas a proteção legal referente aos direitos da personalidade \u2013 art. 52, CC novo. 
 
5	REQUISITOS PARA A CONSTITUIÇÃO DA PESSOA JURÍDICA \u2013 A vontade humana; consenso de seus integrantes; observância das condições legais; e a licitude de seus objetivos. Objetivos ilícitos ou nocivos dão causa à extinção da pessoa jurídica, já que se houver prática de atos contrários aos seus fins ou nocivos ao bem público tal poderá ocorrer.
DAS PESSOAS JURÍDICAS
6	DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS \u2013 ART. 45, CC. A existência legal das pessoas jurídicas de DIREITO PRIVADO começa com a inscrição de seus contratos, atos constitutivos, estatutos e compromissos no seu registro competente, ou com a autorização ou aprovação do Poder Executivo, quando necessária.
 
Encaminham ao registro competente as pessoas jurídicas de direito privado: as associações (sem fins lucrativos) o seu estatuto; As sociedades civis e comerciais (empresariais), o contrato social; as fundações, através de escritura pública ou de testamento; as organizações religiosas \u2013 seus estatutos; e os partidos políticos \u2013 regidos pela Lei n. 9.096/95. 
DAS PESSOAS JURÍDICAS
7	CLASSIFICAÇÃO AS PESSOAS JURÍDICAS DE DIREITO PRIVADO:
A)	AS ASSOCIAÇÕES \u2013 São Aquelas constituídas de PESSOAS que reúnem seus esforços para a realização de fins não econômicos \u2013 artigo 53 e seguintes, CC. 
B)	AS SOCIEDADES \u2013 O CC atual unificou as obrigações civis e comerciais no Livro II, no Direito de Empresa, a partir do artigo 981. 
-	Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens e serviços, para o exercício de atividade econômica e partilha, entre si, dos resultados. As sociedades podem ser simples e comerciais.
DAS PESSOAS JURÍDICAS
As sociedades simples são constituídas, em geral, por profissionais que atuam em uma mesma área ou por prestadores de serviços técnicos \u2013 clínicas médicas e dentárias, escritórios de advocacia, instituições de ensino, entre outras.
	As sociedades empresárias (conceituadas no artigo 966, CC) também visam lucro, mas distinguem-se das sociedades simples porque têm por objeto o exercício de atividade própria de empresário, sujeita ao registro previsto no artigo 967, CC. 
DAS PESSOAS JURÍDICAS
C)	AS FUNDAÇÕES \u2013 artigo 62 e seguintes, CC \u2013 Constituem em um acervo de BENS, que recebe personalidade jurídica para a realização de fins determinados, de interesse público, de modo permanente e estável. 
D)	AS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS \u2013 O CC seguiu orientação constitucional. Tem fins pastorais, de evangelização, envolvendo fé. Aplicam-se a elas as normas referentes às associações, desde que compatíveis. 
E)		PARTIDOS POLÍTICOS \u2013 Têm natureza jurídica própria (associativa). Seus fins são políticos. São regidos pela Lei n. 9.096/95, que regulamenta os artigos 14, § 3º, V, e 17, CF. 
		
DAS PESSOAS JURÍDICAS
1	INTRODUÇÃO \u2013 Estudamos a relação jurídica, depois, os sujeitos do direito (pessoas naturais e jurídicas) de Direito. Agora, estudaremos o objeto sobre o qual recai um direito: os bens. Todo direito tem o seu objeto. Como o direito subjetivo se constitui no poder conferido a um titular, requer um objeto. Em regra, esse poder recai sobre um bem. O novo CC, ao contrário do CC de 1916, que não distinguia bem de coisa, usa apenas a palavra bem. 
1.1 CONCEITO DE BEM \u2013 é tudo que satisfaz uma necessidade da pessoa (sentido genérico). Pelo novo CC: bem é tudo aquilo \u2013 material ou imaterial - útil à pessoa, possuindo ou não expressão econômica e que pode servir de objeto numa relação jurídica.
DOS BENS NO CÓDIGO CIVIL
	Todo bem econômico é bem jurídico, mas a recíproca não é verdadeira, pois existem bens jurídicos que não podem ser avaliáveis economicamente. Daí, bem jurídico \u2013 material ou imaterial \u2013 economicamente apreciável ou não, é objeto de direitos subjetivos.
QUESTIONAMENTO: O terreno é objeto de meu direito de propriedade. A minha imagem é objeto de meu direito da personalidade. Ambos podem ser medidos economicamente? 
DOS BENS NO CÓDIGO CIVIL
	Os direitos também podem ser objeto de outros direitos (cessão de crédito, etc.) como também determinados atributos da personalidade, como o direito à honra, etc. Os Direitos da personalidade, inerentes à pessoa humana, são direitos subjetivos não pertencem ao âmbito patrimonial no sentido restrito (pois estão fora do comércio), haja vista que são intransmissíveis, inalienáveis, imprescritíveis e irrenunciáveis \u2013 art. 11, CC. 
	Segundo GONÇALVES: Os direitos da personalidade, por não terem conteúdo econômico imediato e não se destacarem da pessoa de seu titular, distinguem-se dos direitos de ordem patrimonial. 
DOS BENS NO CÓDIGO CIVIL
O conjunto de bens, de qualquer ordem, pertencentes a um titular, constitui o seu PATRIMÔNIO \u2013 em sentido amplo. Em sentido estrito, corresponde APENAS às relações jurídicas ativas e passivas de que a pessoa é titular, aferíveis economicamente. O patrimônio de alguém vai refletir no Direito obrigacional. Por quê? A princípio, o patrimônio do devedor responde por suas dívidas. É o garante de seus credores. 
Qualquer bem de um devedor responderá por suas dívidas? Não, somente aqueles suscetíveis de apreciação econômica, e que a lei permita que seja objeto de expropriação judicial. E se o devedor não tiver bens penhoráveis, o que acontecerá com o crédito de seu credor? A princípio, este ver inviabilizado o seu crédito. 	
DOS BENS NO CÓDIGO CIVIL
 1.2 CLASSIFICAÇÃO DOS BENS. O legislador levou em consideração para classificar os bens os seguintes aspectos:
	Os bens considerados em sua individualidade, independentemente