WL-P & R-51-TGE-10-A Dimensão Internacional do Estado-011
2 pág.

WL-P & R-51-TGE-10-A Dimensão Internacional do Estado-011


DisciplinaCiência Política I30.947 materiais580.376 seguidores
Pré-visualização1 página
Waldeck Lemos 
Perguntas & Respostas 
 
Disciplina: 
Teoria Geral do Estado 
Folha: 
1 de 2 
 
Perguntas & Respostas/WLAJ/DP 
QUESTÕES 
 
Fonte: CRETELLA JUNIOR, J. e CRETELLA NETO, J. - 1.000 Perguntas e Respostas Sobre Teoria Geral do 
Estado \u2013 Editora Forense Jurídica (Grupo GEN). 
 
CAPÍTULO 10 - A DIMENSÃO INTERNACIONAL DO ESTADO 
 
01) O que ocorre com a dívida pública de um Estado, quando ocorre a anexação total, por outro? 
R.: A doutrina sustenta a tese de que, em caso de não pagamento, ficariam os credores prejudicados, ao mesmo 
tempo em que o Estado anexante teria um enriquecimento sem causa. No entanto, em caso de anexação total, a 
prática internacional mostra que o Estado anexante não assume a dívida do anexado, contrariamente ao que 
prega a doutrina. 
 
02) O que ocorre com a dívida pública de um Estado, quando ocorre a anexação parcial, por outro? 
R.: Em caso de anexação parcial, a doutrina tem sustentado que o Estado que anexa parte de um outro, deveria 
assumir sua quota-parte na dívida total. No entanto, a prática internacional revela que o Estado anexante não 
assume parcela da dívida do território anexado, exceto se isso for previsto em tratado. 
 
03) O que ocorre com a dívida pública de um Estado, quando alcança sua independência? 
R.: Em caso de independência, os empréstimos são, normalmente, garantidos pela antiga metrópole. Na maioria 
dos casos, os Estados independentes honram suas dívidas, mas em outras ocasiões (ex.: o antigo Congo Belga, 
cujas dívidas foram pagas pela Bélgica). 
 
04) O que ocorre com a dívida pública de um Estado, quando ocorre sua fusão com outro Estado? 
R.: Em caso de fusão, o Estado formado assume as dívidas dos Estados que se uniram. No caso da República 
Democrática da Alemanha, sua dívida foi entregue a um fundo especial, subordinado ao Ministério das Finanças 
da atual República Federal da Alemanha. 
 
05) Que correntes doutrinárias procuraram explicar a existência de direitos fundamentais dos Estados? 
R.: A primeira corrente (jusnaturalista) que surgiu no século XVIII, sustentava que os Estados, à semelhança dos 
indivíduos, possuem direitos inatos, pelo simples fato de existirem, ou seja, esses direitos seriam preexistentes ao 
Direito positivo; a corrente atual, resultado de mais de dois séculos de evolução do pensamento jurídico, considera 
que esses direitos derivam da personalidade internacional dos Estados, e sua falta implicaria na existência de uma 
pessoa internacional desprovida de plena capacidade. 
 
06) Quais os principais direitos fundamentais dos Estados? 
R.: Segundo um projeto de declaração elaborado pela Comissão de Direito Internacional da ONU em 1949, os 
direitos fundamentais dos Estados são: a) à independências; b) ao exercício de sua jurisdição no território 
nacional; c) à igualdade jurídica com os demais Estados; e d) à legítima defesa. Além desses, considera-se que 
todos os Estados têm, também, o direito ao desenvolvimento cultural, político e econômico e o direito à 
inviolabilidade do território. 
 
07) Quais os principais deveres dos Estados, perante a comunidade internacional? 
R.: Os principais deveres dos Estados perante a comunidade internacional são o de: a) respeitar os direitos dos 
demais Estados; b) cumprir os tratados; c) não intervenção; d) não utilizar a força, exceto em legítima defesa; e) 
não permitir que em seu território se prepare revolta ou guerra civil contra outro Estado; f) respeitar os direitos do 
Homem; g) evitar que em seu território sejam praticados atos contrários à paz e à ordem internacionais; h) 
resolver os litígios em que estiver envolvido por meios pacíficos; i) não utilizar a força como ameaça à integridade 
de outro Estado; j) não reconhecer aquisição de território havida com o descumprimento do item "i"; k) não utilizar 
da guerra como instrumento de política nacional; l) não auxiliar Estado que tiver descumprido os deveres 
constantes no item "k" e contra a qual a ONU estiver exercendo ação de política internacional; m) relacionar-se 
com a comunidade internacional com base no Direito Internacional. 
 
08) A igualdade jurídica na ordem internacional é absoluta? 
R.: Não. Determinados Estados têm maior peso no cenário político internacional, razão pela qual não existe, 
ainda, plena igualdade jurídica, no sentido estrito. Prova desse fato é que, no Conselho de Segurança da ONU, 
 
Waldeck Lemos 
Perguntas & Respostas 
 
Disciplina: 
Teoria Geral do Estado 
Folha: 
2 de 2 
 
Perguntas & Respostas/WLAJ/DP 
somente os chamados "cinco grandes" (EUA, Rússia, sucessora da URSS, Grã-Bretanha, França e China), têm o 
direito de veto. 
 
09) O que é imunidade de jurisdição? 
R.: Imunidade de jurisdição é o direito de um Estado independente (extensível a determinadas funções ou 
cargos de alguns de seus nacionais) à não submissão às leis de outro Estado. 
 
10) De quais direitos decorre a imunidade de jurisdição? 
R.: A imunidade de jurisdição decorre dos direitos: a) à independência; e b) à igualdade jurídica internacional. 
 
 
==XXX==