[HIST+ôRIA] DITADURA MILITAR
26 pág.

[HIST+ôRIA] DITADURA MILITAR


DisciplinaIntrodução à Arquivologia73 materiais2.386 seguidores
Pré-visualização8 páginas
Sites dão dicas de história
\uf0b7 História da República do Brasil 
Aqui você encontra todos os presidentes - eleitos, impostos ou depostos -, do marechal Deodoro da Fonseca a Luiz Inácio Lula da Silva, com dados fundamentais para a compreensão do processo sucessório. Em português. 
\uf0b7 A Concrete Curtain
O muro de Berlim, erguido em 1963, tinha 149 quilômetros de extensão e várias pessoas morreram ao tentar atravessá-lo. Este site traz vários outros fatos sobre um dos maiores marcos da Guerra Fria. Em inglês. 
\uf0b7 African History 
Site mais que completo sobre a história do continente africano, com imagens, programa de busca e textos interessantíssimos. Ideal para aqueles que querem ir além da África escravizada do século 16. Em inglês. 
\uf0b7 Amnesty International 
Neste mundo sem fronteiras, milhares de pessoas estão abandonando seus lares por puro medo. Entenda as causas e engaje-se na solução do problema dos refugiados no site oficial da Anistia Internacional. Em inglês. 
\uf0b7 City of Bits 
A revolução dos computadores afetou bem mais que as próprias máquinas. Conheça um pouco desse processo no livro "City of Bits", uma das obras de referência sobre o assunto. Em inglês. 
\uf0b7 Historical Map Web Sites 
Localize o fato histórico no espaço geográfico. Este site oferece centenas de mapas divididos pelos cinco continentes e o espaço sideral. Use e abuse! Com índice em inglês. 
\uf0b7 Information on the History of Bosnia-Herzegovina
Entenda melhor o conflito da Bósnia-Herzegovina com o auxílio deste mais que completo site. Você vai acabar concordando com a romancista portuguesa Agustina Bessa-Luís, que afirma: "cada gesto leva mais de cem anos para ser formado". Em inglês. 
\uf0b7 NetHistória 
Este site reuniu artigos sobre história do Brasil e história geral, além de um banco de biografias e arquivos de sons - há trechos de discursos famosos e até mesmo jingles de campanhas políticas. Ele também possui transcrições de documentos de valor histórico, como a carta de Pero Vaz de Caminha e a Lei Áurea. Em português. 
\uf0b7 Person fo the Century Poll 
A revista "Time" organizou uma pesquisa para eleger as personalidades que marcaram este século. Algumas das categorias são "Líderes e Revolucionários" e "Cientistas e Pensadores". Não deixe de votar. Em inglês. 
\uf0b7 QTVR Submarine Tour 
Subir periscópio, lançar torpedos! Conheça o interior de um submarino U2540, usado na Segunda Guerra pela Alemanha. O único porém é que alguns textos estão em alemão, mas isso não tira a graça do passeio. Para ver as imagens em três dimensões é preciso ter o plug-in QuickTime instalado. 
\uf0b7 The War Times Journal 
Interessado nas guerras que ajudaram a moldar nosso mundo? Este site é uma verdadeira radiografia dos conflitos fundamentais. Você pode inclusive participar de jogos que recriam os ambientes dos combates. Em inglês. 
\uf0b7 This day in history 
O History Channel colocou neste site boa parte do conteúdo veiculado nos programas de TV. Aqui é possível saber quais os acontecimentos históricos do dia e que fatos marcaram a data no mercado financeiro, na indústria automotiva e na Guerra Civil Norte-Americana. De quebra, o internauta pode procurar por eventos importantes escolhendo datas. Experimente saber o que marcou a história no dia do seu aniversário. Em inglês. 
\uf0b7 Vietnam Portfolio 
Coletânea contundente sobre a pedra no sapato norte-americano: a Guerra do Vietnã. Fotos, depoimentos, história e interpretação. Em inglês. 
\uf0b7 Women In American History
Tirada dos arquivos da "Encyclopaedia Brittanica", a linha do tempo deste site mostra todas as mulheres que ajudaram a construir a história norte-americana. Referência básica para aquelas que acreditam que há vida além do fogão. Em inglês 
Regime militar (1964-1985)
Da Página 3 Pedagogia & Comunicação
Entre 31 de março e 1º de abril de 1964, o presidente João Goulart - que havia assumido a presidência após a renúncia de Jânio Quadros, em 1961 - foi destituído do poder pelos militares, apoiados não só pelas classes conservadoras ou pela elite, mas também por amplos setores das classes médias, descontentes com a crescente influência política de lideranças sindicais esquerdistas no governo federal. 
A sublevação militar partiu de vários pontos do país. No dia 1º de abril, Goulart abandonou o poder, ordenou a cessação de toda e qualquer resistência e seguiu para o exílio no Uruguai. 
Depois de quinze dias em que a presidência foi ocupada pelo presidente Câmara dos Deputados, Pascoal Ranieri Mazzilli (sob a tutela do alto comando revolucionário), assumiu o poder o chefe do Estado Maior do Exército, general Humberto de Alencar Castelo Branco.
1) Governo Humberto de Alencar Castelo Branco
\uf0b7 abril de 1964 a julho de 1967; 
\uf0b7 suspensão dos direitos políticos dos cidadãos; 
\uf0b7 cassação de mandatos parlamentares; 
\uf0b7 eleições para governadores passam a ser indiretas; 
\uf0b7 dissolução dos partidos políticos e criação da Aliança Renovadora Nacional (Arena), que reuniu os governistas, e do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que reuniu as oposições.
\uf0b7 nova Constituição entrou em vigor (janeiro de 1967);
\uf0b7 proibição de greves.
2) Governo Arthur da Costa e Silva 
\uf0b7 março de 1967 a agosto de 1969; 
\uf0b7 enfrentamento da reorganização política dos setores oposicionistas;
\uf0b7 radicalização das medidas repressivas (promulgação do Ato Institucional nº 5); 
\uf0b7 Costa e Silva foi afastado por motivos de saúde e substituído, durante dois meses, por uma junta militar. 
3) Governo Emílio Garrastazu Médici 
\uf0b7 novembro de 1969 a março de 1974;
\uf0b7 o mais repressivo do período ditatorial;
\uf0b7 organizações clandestinas de esquerda foram dizimadas; 
\uf0b7 "milagre econômico": fase áurea de desenvolvimento do país, com recursos investidos em infra-estrutura; 
\uf0b7 crescimento da dívida externa.
4) Governo Ernesto Geisel 
\uf0b7 março de 1974 a março de 1979;
\uf0b7 crise mundial do petróleo, recessão mundial, escassez de investimentos estrangeiros no país; 
\uf0b7 MDB consegue expressiva vitória nas eleições gerais de 1974;
\uf0b7 início da distensão lenta e gradual; 
\uf0b7 militares extremistas ofereceram resistência à política de liberalização;
\uf0b7 revogação do AI-5 e restauração do habeas corpus. 
5) Governo João Baptista de Oliveira Figueiredo 
\uf0b7 março de 1979 a março de 1985;
\uf0b7 aceleração do processo de liberalização política (aprovação da Lei de Anistia); 
\uf0b7 restabelecimento do pluripartidarismo; 
\uf0b7 resistência de militares extremistas; 
\uf0b7 aumento dos índices de inflação;
\uf0b7 recessão; 
\uf0b7 movimento Diretas Já;
\uf0b7 Colégio Eleitoral (formado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal) escolheu o deputado Tancredo Neves como sucessor, que veio a falecer. Em seu lugar assumiu o vice-presidente, José Sarney.
Breve história do regime militar
Renato Cancian*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação 
As intervenções militares foram recorrentes na história da república brasileira. Antes de 1964, porém, nenhuma dessas interferências resultou num governo presidido por militares. Em março de 1964, contudo, os militares assumiram o poder por meio de um golpe e governaram o país nos 21 anos seguintes, instalando um regime ditatorial.
A ditadura restringiu o exercício da cidadania e reprimiu com violência todos os movimentos de oposição. No que se refere à economia, o governo colocou em prática um projeto desenvolvimentista que produziu resultados bastante contraditórios, tendo em vista que o país ingressou numa fase de industrialização e crescimento econômico acelerados, sem beneficiar, porém, a maioria da população, em particular a classe trabalhadora.
Antecedentes do golpe
Os militares golpistas destituíram do poder o presidente João Goulart, que havia assumido a presidência após a inesperada renúncia de Jânio Quadros, em 1961. Sua posse foi bastante conturbada e só foi aceita pelos militares e pelas elites conservadoras depois da imposição do regime parlamentarista. Essa fórmula política tinha como propósito limitar as prerrogativas presidenciais, subordinando o Poder Executivo ao Legislativo. Goulart, contudo, manobrou politicamente