A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
CICLO MENSTRUAL, GRAVIDEZ E LACTAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Cicl� Menstrua�, Gravid� � Lactaçã�
Introdução:
● o ciclo reprodutor feminino se divide em
preparação para a gravidez e a gravidez em
si;
● processo cíclico: ciclo ovariano e ciclo
endometrial;
Hormônios:
● eixo hipotálamo-hipófise:
○ hipotálamo: secreta GnRH, que
estimula a produção de
gonadotrofinas;
○ adenohipófise: secreta LH e FSH,
que são hormônios folículo
estimulantes;
● eixo ovariano:
○ Estrogênio (estrógenos): grupo de
hormônios com características
semelhantes ao Estradiol, que é a
versão mais ativa do estrogênio no
organismo;
○ Progesterona;
Ciclo Ovariano:
● fase folicular: desenvolvimento de folículos
por aumento de LH e FSH;
○ folículo primordial → f. primário
→ f. secundário (ou vesicular) →
folículo maduro de Graaf (ou
folículo pré-ovulatório);
○ a mulher já nasce com todos os seus
folículos primordiais;
○ as células da granulosa se
diferenciam até chegar no folículo
maduro (pré-ovulatório);
○ as células da teca surgem no
folículo secundário mais externas do
que as células granulares e possuem
a função de produzir estrogênio;
○ o folículo maduro de Graaf é
aquele que consegue produzir um
maior número de receptores de FSH;
○ obs.: na SOP há uma diminuição de
folículos disponíveis a receber FSH;
● ovulação: pico de LH;
○ alta produção de LH desencadeada
pela alta produção de estrogênio
pelas células da tecta dos folículos
ovarianos;
○ pico de LH desencadeia a ovulação
(liberação do ovócito 2);
○ aumento de 1°C da temperatura
basal do indivíduo;
● fase lútea: maior produção de progesterona;
○ após a ovulação, o resto celular do
folículo maduro se transforma em
corpo lúteo;
○ o corpo lúteo produz a
progesterona;
○ obs.: quando não há fecundação, o
LH cai, não ocorre a produção de
𝛽HCG e o corpo lúteo involui e para
de produzir a progesterona;
Ciclo Endometrial:
● proliferação: reepitelização e
espessamento do estroma endotelial - pela
influência dos estrógenos no início do ciclo;
● secretora: desenvolvimento das glândulas
do endométrio e aumento da sua reserva
nutricional - pela influência da
progesterona do corpo lúteo;
● menstruação: descamação do endométrio
devido à queda de progesterona e aos
vasoespasmos do endométrio;
Obs.:
● puberdade: aumento da secreção dos níveis
de estrogênio;
● menarca: primeira menstruação devido ao
aumento de responsividade dos folículos ao
FSH (↑gordura ↑cedo será a menarca);
● menopausa: diminuição da resposta folicular
aos hormônios;
Obs.: durante a menstruação, a enzima
fibrinolisina é liberada juntamente com o
endométrio para evitar a formação de coágulos;
Estrogênio (Estrógenos):
● desenvolvimento sexual feminino na
puberdade, agindo sobre o útero e os órgãos
sexuais femininos externos;
● aumenta a deposição de gordura nas mamas
após a puberdade;
● aumenta a quantidade de ductos mamários
durante a gravidez;
● cessa o aumento da altura após a puberdade
ao causar a união das epífises às hastes dos
ossos longos;
● desenvolvimento do esqueleto pela ação
osteoblástica;
● aumento da gordura corporal total feminina;
● sua ação anabólica proteica é mais
específica, atingindo quase que
exclusivamente tecidos-alvo em detrimento
do ganho de massa proteica no corpo
inteiro;
● fazem a pele ficar mais vascularizada que o
normal;
Progesterona:
● diminui a motilidade uterina - a sua queda
abrupta causa a contração endometrial, ou
seja, cólicas menstruais;
● promove alterações secretoras no
endométrio para prepará-lo para a nidação
do óvulo fertilizado;
● aumento da atividade secretora da mucosa
das trompas uterinas para nutrir o óvulo
enquanto não há a nidação;
● faz com que as células alveolares mamárias
proliferem, aumentem de tamanho e
assumam natureza secretora, preparando a
mama para a produção de leite na gravidez;
● aumenta o tamanho das mamas;
Gravidez:
● fases:
○ formação do óvulo: ovócito
secundário completa a meiose após a
fecundação (quando o
espermatozóide perfura a corona
radiata);
○ fertilização: degeneração da corona
radiata e junção dos pró-núcleos;
○ passagem do zigoto até o corpo do
útero: normalmente leva de 3 a 4
dias e ocorre através de uma leve
corrente de líquido na trompa
causada por seu epitélio ciliado;
○ nidação: implantação na fase de
blastocisto através das células
trofoblásticas;
■ pode ocorrer um leve
sangramento (por ± 3 dias) já
que, na nidação, o zigoto
colabora para o processo de
descamação de pequenas
partes do endométrio, que
são expelidas pelo
organismo;
■ nesse momento há a
produção de 𝛽HCG para
manter a produção de
progesterona até a 5ª semana
de gestação, quando a própria
placenta produz
progesterona;
● alimentação do zigoto:
○ antes da nidação, o zigoto é
alimentado pelo líquido intra-uterino
e pela mucosa das trompas uterinas;
○ após a nidação, o zigoto passa a se
alimentar das células deciduais do
endométrio;
○ entre a 2ª e a 8ª semanas o zigoto é
alimentado pelo endométrio e
placenta;
○ após a 8ª semana o feto se alimenta
exclusivamente através da placenta;
● placenta:
○ produção de hormônios sexuais;
○ cordões e vilos placentários;
○ transporte sanguíneo: 2 artérias
umbilicais (sangue venoso) e 1 veia
umbilical (sangue arterial);
○ passagem de glicose, eletrólitos e
ácidos graxos por difusão
placentária;
○ excreção de metabólitos fetais;
○ transporte de oxigênio para o feto:
■ difusão por diferença de
PO₂ e PCO₂:
● PO₂mãe > PO₂feto;
● PCO₂mãe < PCO₂feto;
■ maior afinidade da Hb fetal
por O2 (para aumentar a
eficiência de captação de
O2);
■ duplo efeito Bohr: quando o
tecido do feto libera CO₂,
este se transforma em
bicarbonato e libera H⁺, essa
diminuição no pH estimula a
liberação de oxigênio pela
Hb para os tecidos,
equilibrando novamente os
níveis de acidez sanguíneos;
● ocorre no córion;
● hormônios na gravidez:
○ gonadotropina coriônica humana
(HCG):
■ se liga aos receptores de LH
no corpo lúteo;
○ estrogênio:
■ secretado pelas células
sinciciais trofoblásticas da
placenta;
■ aumento do útero, mama e
genitália externa;
○ progesterona:
■ secretada pela placenta;
■ desenvolvimento de células
endometriais e tuba uterina;
■ diminui contratilidade
uterina;
■ desenvolvimento dos
alvéolos das mamas;
○ somatotropina:
■ diminui a sensibilidade à
insulina nos tecidos para
aumentar a disposição de
glicose no sangue que vai até
o bebê - perigo de diabetes
gestacional;
Parto:
● aumento da excitabilidade uterina;
● aumento da excreção de estrogênios a partir
do sétimo mês de gestação - início das
contrações;
● distensão uterina - músculo liso;
● contrações de Braxton-Hicks:
○ a partir do sexto mês;
○ devido ao aumento da excitabilidade
uterina;
○ ocorre um feedback positivo por
causa da queda da progesterona e
aumento do estrogênio;
● contrações de parto: pico de queda da
progesterona e produção da ocitocina;
● o próprio feto produz hormônios para o
parto:
○ a hipófise produz ocitocina;
○ as adrenais produzem cortisol
(excitabilidade uterina);
○ as membranas fetais produzem
prostaglandinas;
Lactação:
● preparo das mamas: estrogênio e
progesterona;
● produção de leite: prolactina produzida
pela adenohipófise;
● liberação do leite: ocitocina produzida pela
adenohipófise;
● colostro: leite com menos gorduras e
nutrientes pois já havia sido produzido antes
do parto;
● no parto cessa a produção e liberação de
leite momentaneamente;
● estimulação mecânica da amamentação:
prolactina (produção) e ocitocina
(liberação);
● a lactação interrompe o ciclo ovariano e a
menstruação;

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.