UNIDADE 3
68 pág.

UNIDADE 3


DisciplinaModelagem de Dados3.282 materiais41.049 seguidores
Pré-visualização9 páginas
\u25baO uso de agregação torna possível expressar \u201crelacionamento entre relacionamentos\u201d! 
 
 
 
 
 A idéia da entidade associativa é tratar um relacionamento como se ele fosse uma entidade. 
Observe o modelo abaixo: 
 
 
 
 
 Se desejarmos controlar os medicamentos receitados pelo médico em determinada consulta, 
temos que relacionar a entidade medicamento com o fato de ter havido uma consulta 
relacionamento consulta. 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
58
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
58
 
 
z Como não podemos fazer isso diretamente, indicamos que o relacionamento consulta é uma 
entidade associativa, através de um retângulo em volta do relacionamento. 
 
 
 
z Uma entidade associativa nada mais é que a redefinição de um relacionamento, que passa a 
ser tratado como se fosse também uma entidade. 
z Graficamente, basta adicionar um retângulo ao redor do próprio losango do relacionamento. 
z Caso não se deseje utilizar o conceito de entidade 
 associativa, seria necessário transformar o relacionamento CONSULTA em uma entidade, 
 que então poderia ser relacionada a MEDICAMENTO. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
59
 
Exemplo: 
 
 Os alunos de determinado curso participam de um projeto, durante o qual eles têm um 
uadro de avaliações que contém a participação dia a dia, suas notas, horários e produções; um 
lu
situ
As dúvidas surgem nos relacionamentos: 
 
z No diagrama, há dois relacionamentos para associar as entidades Avaliações, Alunos e 
Projetos. As dúvidas surgem nos relacionamentos como mostra a figura a. 
z As avaliações pertencem a alunos e projetos quando os alunos estão trabalhando nos 
projetos, então, percebemos que o diagrama não nos informa com clareza o relacionamento 
existente, podendo trazer problemas futuros. 
 
figura a: 
 
 
 
Outra opção é mostrada na figura b, em que colocamos um relacionamento ternário, mas 
ainda incompleto, pois as avaliações ocorrem durante os projetos. Assim, esse diagrama pode ficar 
confuso. Neste caso devemos optar pela agregação. 
 
 
figura b: 
 
 
q
a no pode ter várias avaliações, pois ele pode participar de vários projetos. Para representar essa 
ação no diagrama pensamos nas entidades: Alunos, Projetos e Avaliações. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
60
te caso é possível mostrar que é preciso o relacionamento entre duas entidades para ter a 
avaliação necessária. A agregação possui uma restrição: ela só é possível quando temos uma 
z Para representar o relacionamento entre Projetos, Alunos e Avaliação, utilizamos a 
 
 
 
Para representar o relacionamento entre Clientes, Conta Corrente e Cartão Magnético, utilizamos a 
agregação: 
 
z Nes
cardinalidade muitos para muitos (N:N). Se houver alguma restrição nesse conjunto de 
relacionamentos, ocorrendo uma cardinalidade muitos para um ou vice-versa, ou ainda um 
para um, concluímos que não é uma agregação. Como o próprio nome diz é uma junção de 
relacionamentos. 
 
 
agregação: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
61
 
strutura de agregação outra representação: 
 
 
 
 
E
 
 
ERIAL está no estoque: 
 
 
z Solução: 
Decompor MRP em 2 relacionamentos: 
1) MATERIAIS - REQUISIÇÃO 
2) PEDIDO e o relacionamento 1. 
z O relacionamento MRP não permite que uma REQUISIÇÃO seja atendida quando o 
MAT
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
62
Outro exemplo: 
 
 
 
 
 
 
utro e
 
 
 
entrevistas resultem em EMPREGOS. 
 
 
 
 
 
 
 
 
O xemplo: 
 
z Considere agora que algumas 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
63
 
 
 
 
 
 
Uma solução: 
 
 
 
 
 
 
INCORRETO 
INCORRETO 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
64
z A outra solução é representar ENTREVISTA como um Tipo de Entidade-Fraca 
 
 
 
 
Outro exemplo: 
 
 
Exercícios: 
 
1) Criar entidade associativa do modelo abaixo: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
65
 
2) Considere a modelagem de dados em um banco BX. Clientes do BX estão relacionados a agência 
e conta. 
 
 
 
 
 
 
Esquemas Gráficos e Textuais 
z A descrição de um modelo é chamada de esquema de banco de dados. 
 
 
binar as duas formas de representar esquemas ER: a diagramática e a 
textual. 
z Normalmente são representadas de forma gráfica: 
\u2013 Entidades e Relacionamentos; 
\u2013 Generalização / Especialização. 
z Normalmente são representadas de forma textual, para não sobrecarregar o diagrama: 
\u2013 Atributos das entidades e dos relacionamentos, juntamente com seu tipo e tamanho; 
\u2013 Definição dos atributos identificadores. 
 
 
 
 
z Um esquema de BD pode ser tanto gráfico, como mostrado até o momento, quanto 
textual, como abaixo. 
 
z Na prática, é usual com
 
 
 
 
 
CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
DISCIPLINA: MODELAGEM DE DAODS 
PROFESSORA: GELLARS TAVARES 
 
MODELAGEM DE DADOS \u2013 Professora Gellars Tavares \u2013 ano 2012 
 
66
Verificação do modelo ER 
 
 
 Modelo deve ser correto 
 
 Um modelo está correto quando não contém erros de modelagem, isto é, quando os 
conceitos de modelagem ER são corretamente empregados para modelar a realidade em questão. 
 
 Podem-se distinguir entre dois tipos de erros, os erros sintáticos e os erros semânticos. 
Erros sintáticos ocorrem quando o modelo não respeita as regras de construção de um 
odelo ER. 
Exemplo: associar relacionamentos a outros relacionamentos. 
Erros semânticos ocorrem quando o modelo, apesar de obedecer as regras de construção de 
odelos ER (estar sintaticamente correto) reflete a realidade de forma inconsistente. 
xemplos de erros semânticos: 
stabelecer associações incorretas.
 
 
 
m
 
 
 
m
 
 
E
 
 E
 Um exemplo é associar a uma entidade um atributo que na realidade pertence a outra 
entidade. Por exemplo, em um modelo com entidades CLIENTE e FILIAL, associar a CLIENTE o 
nome da filial com o qual o cliente trabalha usualmente (nome de filial é um atributo de FILIAL). 
 
 Usar uma entidade do modelo como atributo de outra entidade. 
 Um exemplo seria ter, em um modelo, uma entidade BANCO e usar banco como atributo de 
uma outra entidade CLIENTE. Cada objeto da realidade modelada deve aparecer uma única vez no 
modelo ER. 
sar o número incorreto de entidades em um relacionamento
 
U . 
Um exemplo é o de fundir em um único relacionamento ternário em dois relacionamentos 
inários independentes. 
odelos são equivalentes, quando expressam o mesmo, ou 
eja
 
 
esmo esquem
 Para entender perfeitamente este conceito de equivalência de modelos, o leitor deve 
conhecer as regras de tradução de modelo ER para modelo relacional. 
 
 
 
 
 
 
b
 
e maneira informal, diz-se