CAPÍTULO 4 - CÓDIGOS DE TRANSMISSÃO
11 pág.

CAPÍTULO 4 - CÓDIGOS DE TRANSMISSÃO


DisciplinaPropagação e Antenas126 materiais1.651 seguidores
Pré-visualização3 páginas
da mensagem. As informações do cabeçalho podem ser relacionadas, também, a prioridade, data e hora de envio, identificação da linha de comunicação utilizada, informações de segurança, etc.
\ufffd
Figura 4.4 - Mensagem segmentada em 4 blocos.
	Uma mensagem típica, consistindo de 4 blocos de texto, pode ser transmitida no formato mostrado na figura 4.5. Esta figura mostra o primeiro bloco de texto sendo transmitido com um cabeçalho (HEADER) que descreve as informações necessárias sobre a mensagem. Os blocos subseqüentes são transmitidos sem cabeçalho. Neste caso, o terminal receptor deve ser hábil para relacionar os blocos subseqüentes aos blocos de texto precedentes.
\ufffd
Figura 4.5 - Mensagem segmentada.
	Passaremos agora a dar uma breve descrição de cada um dos caracteres de controle de transmissão do código ASCII. Nesta descrição, além de mostrarmos a \u201cutilidade\u201d do caracter, indicaremos sua posição na carta mostrada na figura 4.3.
TC1 \ufffd
(0/1)\ufffd
SOH\ufffd
(START OF HEADING): Caracter utilizado como primeiro caracter do cabeçalho (início de cabeçalho).\ufffd
\ufffd
TC2\ufffd
(0/2)\ufffd
STX\ufffd
(START OF TEXT): Caracter de controle que é utilizado para iniciar um texto e terminar um cabeçalho.\ufffd
\ufffd
TC3\ufffd
(0/3)\ufffd
ETX\ufffd
(END OF TEXT): Caracter que indica término de um texto\ufffd
\ufffd
TC4\ufffd
(0/4)\ufffd
EOT\ufffd
(END OF TRANSMISSION): Caracter de controle utilizado para indicar 	a conclusão da transmissão de um ou mais textos.\ufffd
\ufffd
TC5\ufffd
(0/5)\ufffd
ENQ\ufffd
(ENQUIRY): Utilizado como um pedido de resposta para uma estação remota - a resposta pode incluir a identificação da estação e/ou o status da mesma.\ufffd
\ufffd
TC6\ufffd
(0/6)\ufffd
ACK\ufffd
(ACKNOWLEDGE): Caracter enviado pelo receptor como uma resposta afirmativa.\ufffd
\ufffd
TC7
\ufffd
(1/0)\ufffd
DLE\ufffd
(DATA LINK ESCAPE): Caracter utilizado para modificar o significado de um ou mais caracteres que estão localizados imediatamente a seguir. Pode ser utilizado para prover controles suplementares, ou 	permitir o envio de caracteres de dados possuindo qualquer combinação de bits.\ufffd
\ufffd
TC8\ufffd
(1/5)\ufffd
NAK\ufffd
(NEGATIVE ACKNOWLEDGE): Caracter enviado pelo receptor como 		uma resposta negativa.\ufffd
\ufffd
TC9
\ufffd
(1/6)\ufffd
SYN\ufffd
(SYNCHRONOUS IDLE): Caracter de controle utilizado em sistemas de	transmissão síncrona, na ausência de qualquer outro caracter 		(condição de ociosidade), para fornecer um sinal que permita a 	obtenção, ou manutenção, de sincronismo entre terminais (equipamentos).\ufffd
\ufffd
TC10\ufffd
(1/7)\ufffd
ETB\ufffd
(END OF TRANSMISSION BLOCK): Caracter que indica o fim da 		transmissão de um bloco de dados, onde os dados são divididos em blocos, para a transmissão.\ufffd
\ufffd
	O caracter SOH (START OF HEADER) é colocado antes do cabeçalho da mensagem, indicando ao receptor que a informação a seguir deve ser interpretada como cabeçalho. Similarmente, STX (START OF TEXT) é colocado no início do texto, e indica ao receptor que a informação após STX é o texto da mensagem. Note que STX é, também, utilizado para terminar o cabeçalho.
	Se admitirmos que a mensagem será segmentada, o primeiro bloco de dados terminará com ETB (END OF TRANSMISSION BLOCK). O caracter ETB indica ao receptor que o primeiro bloco está completo e, também, que outros blocos serão enviados para completar a mensagem composta de 4 blocos.
\ufffd
Figura 4.6 - Transmissão de mensagem com 4 blocos.
	Olhando ainda para a figura 4.6, vemos que o segundo e terceiro blocos iniciam com STX e terminam com ETB, indicando que existe(m) outro(s) bloco(s) a ser(em) enviado(s). Já o bloco de N. 4, que é o último bloco da mensagem, se inicia com STX e termina com ETX, indicando o fim do texto.
	Em alguns sistemas um cabeçalho é colocado no início de cada bloco de mensagem; ou seja, cada bloco fica da forma:
	[SOH] (HEADER) [STX] (TEXTO) [ETB]
	Se olharmos para o código Baudot, veremos que ele não possui caracteres especiais de controle, como o código ASCII, tais como SOH e ETX. Neste caso, utilizamos determinadas strings para sinalização. Estas strings devem ser escolhidas de forma que não haja ocorrência da mesma no texto a ser transmitido. Por exemplo, é usual utilizarmos o caracter ZCZC para início de mensagem e NNNN para fim de mensagem.
3.1.2. CONTROLE DE FORMATO (FORMAT EFFECTORS)
	Temos 6 caracteres de controle de formato, designados FE0 - FE5, que estão localizados na coluna zero, linhas 8 - 13 da carta da figura 4.3. O primeiro caracter, FE0, corresponde ao caracter Back Space (BS), e causa o movimento do mecanismo de impressão, ou do cursor do display, uma posição para trás. FE1 é o caracter de tabulação horizontal (HT), que faz com que o mecanismo de impressão, ou cursor do display, avance para uma posição pré-determinada na direção horizontal. FE2 é o caracter Line Feed (LF); este caracter faz com que o mecanismo de impressão, ou cursor do display, avance para a mesma posição da próxima linha. FE3 é o caracter de tabulação vertical (VT), que faz com que o mecanismo de impressão, ou cursor do display, avance um número pré-determinado de linhas, na mesma posição. VT usualmente opera dentro da mesma página, enquanto FE4, Form Feed (FF), causa o avanço do mecanismo de impressão, ou cursor do display, para uma linha pré-determinada de um outro formulário, ou página, mantendo a mesma posição do caracter. FE5 é o caracter de Carriage Return (CR), e faz com que o mecanismo de impressão, ou cursor, retorne para a primeira posição da mesma linha.
	Em alguns terminais, existe uma função de controle que executa as funções de Line Feed e Carriage Return (CR) ao mesmo tempo. Quando isto é implementado, a função é comumente conhecida como New Line (NL) e é usualmente executada por FE2 + FE5.
3.1.3. CONTROLE DE DISPOSITIVO
	Temos 4 caracteres de controle de dispositivo, designados DC1 - DC4. Esses caracteres são geralmente utilizados para controlar funções físicas do terminal. Por exemplo, DC1 e DC2 podem ser utilizados para ligar/desligar um gravador cassete acoplado ao terminal. DC3 pode fazer com que o conteúdo da tela (ou display) seja impresso em uma impressora auxiliar. DC4 pode ser utilizado para \u201ctravar\u201d o teclado, não permitindo a entrada de dados. A implementação dos caracteres de controle do dispositivo depende, usualmente, de cada fabricante.
3.1.4. SEPARADOR DE INFORMAÇÕES
	Os separadores de informação são em número de 4, e são designados IS1 - IS4. Esses separadores são utilizados para delimitar a informação, de forma a facilitar o manuseio dos registros pelo computador. Esses separadores são utilizados, geralmente, de forma hierárquica, onde IS1 é utilizado para delimitar uma \u201cunidade\u201d de informação, e é chamado de separador de unidade (US). IS2 é utilizado para delimitar um \u201cregistro\u201d de informação, onde um registro consiste de várias unidades, sendo chamado de separador de registro (record separator - RS). IS3 é utilizado para delimitar um grupo de informações, onde um grupo é composto de vários registros, sendo por isso denominado separador de grupo (GS). Finalmente, IS4 é utilizado para delimitar um arquivo, onde um arquivo consiste de vários grupos de dados, sendo por isso conhecido como separador de arquivos (FS).
3.2. BIT DE PARIDADE
	Os bits de 1 a 7 de cada caracter ASCII contém as informações que desejamos transmitir, e o bit 8 é o bit de paridade. O objetivo do bit de paridade é possibilitar alguma capacidade de detecção de erro. O bit de paridade pode ser zero ou um, a escolha é feita de modo que o número total de bits um no caracter, incluindo o bit de paridade, seja par (para paridade par) ou ímpar (para paridade ímpar). Para exemplificar, seja o caracter da posição 3/07 da \u201ccarta\u201d da figura 4.3 (caracter 7), cujos 7 primeiros bits são 0110111. Neste caso, o bit de paridade (bit 8) deverá ser 1 para paridade par ou 0 para paridade ímpar.
	O transmissor é responsável pela geração do bit de paridade, segundo a paridade escolhida, e o adiciona aos 7 bits do caracter, na posição do oitavo bit. O receptor, por sua