A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
RESUMO 1 - LIVE 06-10-2021

Pré-visualização | Página 1 de 1

RESUMO ATIVIDADE COMPLEMENTAR 
Live: Outubro Rosa: Prevenindo e enfrentando o câncer de mama. 
Data do Evento: 05/10/2021 
 No dia 05 de outubro de 2021 foi realizada a live apresentada pela jornalista Anézia 
Gomes com o tema: “outubro rosa: prevenindo e enfrentando o câncer de mama”. Esta 
live contou com a participação de 3 entrevistadas: Dra Flora Ulisses, médica mastologista 
e cirurgiã, Paola Braga: diretora presidente do instituto cultural Iracema que há 8 anos 
venceu o câncer de mama e Gessika Santos: Enfermeira especialista em UTI, saúde e 
segurança do trabalho, formada em Biologia e Pedagogia. 
 Falando um pouco sobre a doença, o câncer de mama, como o próprio nome diz, afeta 
as mamas, que são glândulas formadas por lobos, que se dividem em estruturas menores 
chamadas lóbulos e ductos mamários, essas glândulas são células cancerígenas que ao 
longo da vida sofrem mutações ou até mesmo podem surgir no corpo de forma hereditária. 
 Apesar dos dados alarmantes, sua ocorrência é relativamente rara antes dos 35 anos e 
nem todo tumor é maligno, pois, a maioria dos nódulos detectados na mama é benigna. 
Além disso, quando diagnosticado e tratado na fase inicial da doença, as chances de cura 
do câncer de mama chegam a até 95% se seguir o tratamento do início ao fim. De acordo 
com a Dra Flora Ulisses, os casos de câncer podem aparecer em homens, porém, os casos 
são bem raros, cerca de 1%. No entanto, na fase inicial da doença o tumor pode ser muito 
pequeno, podendo ter menos de um centímetro de tamanho, nesse caso, a doença só será 
detectada por um exame de imagem, como a mamografia. Por isso, é importante que a 
mulher vá ao ginecologista ao menos uma vez por ano e faça seus exames de rotina 
periodicamente e também fazer o autoexame em casa mesmo, apalpando os próprios seios 
no intuito de identificar carocinhos. 
 Conforme o decorrer da entrevista, Paola Braga contou um pouco do período em que 
enfrentou a doença, ela foi diagnosticada aos 38 anos de idade e antes disso, já havia 
pedido a mãe e a irmã para a mesma doença. Ela conta que fez vários tratamentos, retirou 
as mamas e fez 5 cirurgias de reparação e prótese mamaria. Hoje está curada da doença e 
muito bem consigo, pois, a doença a fez despertar para vida, cuidar de sua saúde e sua 
família. 
 A enfermeira Géssika Santos enfatizou um ponto importante que é conhecer o próprio 
corpo, os sinais e sintomas do câncer podem variar, e algumas mulheres que têm câncer 
podem não apresentar nenhum desses sinais e sintomas, por isso é importante a mulher 
conhecer suas mamas e saber conhecer as alterações para poder alertar seu médico. 
 Apesar da importância do diagnóstico precoce para aumentar e melhorar as chances de 
cura e sobrevida para as mulheres com câncer de mama, muitos casos ainda são 
diagnosticados em estágios avançados, inclusive com metástases, que é quando o tumor 
já se espalhou para outros órgãos do corpo. A conscientização do câncer de mama e o 
investimento em novas pesquisas sobre o tema ajudaram a criar diversos avanços no 
IES Universidade paulista 
Aluno: Larissa Tavares Rodrigues Matrícula: AP1712273 
Curso: Ciências Contábeis Semestre: 8º 
 
 
diagnóstico e tratamento da doença. Hoje, o câncer de mama não é mais uma sentença, 
pois, a taxa de cura é cada vez mais alta e a paciente pode levar sua rotina com qualidade 
de vida e bem-estar como qualquer outra. Fazer a prevenção é e sempre será a melhor 
forma de combater o câncer.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.