A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Análise das Demonst Financeiras - APOSTILA  introdução

Pré-visualização | Página 8 de 10

apenas a estética, sem detalhar a classificação contábil baseada pela essência econômica, que é base das normas internacionais de contabilidade, segue uma forma simplificada da demonstração para comparação de como era na Lei 6404/76 e como ficou com a Lei 11638/07:
	 BALANÇO PATRIMONIAL - LEI 6.404/76
	
	
	ATIVO
	PASSIVO
	 
	 
	Circulante
	Circulante
	 
	 
	Realizável a Longo Prazo
	Exigível a Longo Prazo
	 
	 
	Permanente
	Resultado do Exercício Futuro
	 
	 
	 Investimentos
	 
	 
	Patrimonio Líquido
	 Imobilizado
	 
	 
	 Capital Social
	 Diferido
	 
	 
	 Reservas de Capital
	 
	 
	 
	 Reservas de Reavaliação
	 
	 
	 
	 Reservas de Lucros
	 
	 
	 
	 Lucros ou Prejuízos Acumulados
	 
	 
	
	
	BALANÇO PATRIMONIAL - LEI 6.404/76 após LEI 11.638/07
	
	
	ATIVO
	PASSIVO
	 
	 
	Circulante
	Circulante
	 
	 
	Realizável a Longo Prazo
	Exigível a Longo Prazo
	 
	 
	Permanente
	Resultado do Exercício Futuro
	 
	 
	 Investimentos
	 
	 
	Patrimonio Líquido
	 Imobilizado
	 
	 
	 Capital Social
	 Intangível
	 
	 
	 Reservas de Capital
	 Diferido
	 
	 
	 Ajustes de Avaliação Patrimonial
	 
	 
	 
	 Reservas de Lucros
	 
	 
	 
	 Prejuízos Acumulados
	 
	 
	
	
Após tramitar no Congresso Nacional Brasileiro por 7 (sete) anos o Projeto de Lei 3741/2000 foi deveras congratulado no findar de 2007 na Lei 11638/07, diploma esse que altera parte da Lei 6404/76, a então dita “Lei das Sociedades Anônimas” e que serve de base para todos os tipos societários elencados pela Lei 10406/02, Código Civil.
A Lei 11638/07 , promulgada em 28 de dezembro de 2007 que entrou em vigor em primeiro de janeiro de 2008, apresenta em seu texto mudanças que muitos empresários e, contabilistas e controllers comentam, mas na realidade a grande virtude da norma não está compreendida em seu todo pelo empresariado, pelos contabilistas e correlatos. A transição de uma contabilidade meramente fiscal muda seu objetivo para uma contabilidade voltada ao mercado, onde gestores usarão para suas decisões, fortalecendo assim a classe contábil.
As regras de classificação contábil são de fato muito diferentes e sem dúvida deverão ser feitos cursos, treinamentos e desenvolvimento de processos em diversas  Entidades para que todos os profissionais compreendam exatamente o que são as normas internacionais de contabilidade, sua funcionalidade e seu desenvolvimento com base na Lei 11638/07, Pronunciamentos Contábeis emitidos pelo CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis - e normas emitidas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), sem esquecer do CFC - Conselho Federal de Contabilidade. 
Já a Lei 11638/07 inovou, instituindo a adoção das normas internacionais de contabilidade, precisamente o IFRS - International Financial Reporting Standards - que os países da União Européia e vários outros já haviam aderido em 2005, data de sua implementação, porém com obrigatoriedade a partir de 2010, como por exemplo:
 Substituição da demonstração das origens e aplicações de recursos (DOAR), pela demonstração do fluxo de caixa (art. 176, IV).
As sociedades anônimas de capital fechado deverão publicar as demonstrações de fluxo de caixa e se for sociedade anônima de capital aberto além da demonstração de fluxo de caixa  deverão publicar a demonstração do valor adicionado que de acordo com a NBCT a demonstração do valor adicionado e a demonstração contábil destinada a evidenciar, de forma concisa os dados e as informações do valor da riqueza gerada em determinado período e sua distribuição.
Balanço Patrimonial.
Assim, além da mudança de critério, não mais pela forma, ou seja, contabilidade deixa de ser baseada pelo registro do valor original e domínio de normas tributárias - fiscais, para ser uma  contabilidade voltada à essência econômica demonstrando de fato o patrimônio da Entidade. Por outro lado, a Lei 11638/07 não remodelou o Balanço Patrimonial na sua estética conforme as normas internacionais e ainda deixando o ativo diferido, o resultado de exercícios futuros e algumas lacunas.
 Assim, a Medida Provisória 449/08, publicada no Diário Oficial da União em 04/12/2008, em seu art. 36, altera o art 178, da Lei 6404/76 e em conseqüência a Lei 11638/07, art.1º, mais precisamente os grupos do Ativo e Passivo que assim são: grande grupo Ativo e grupos Ativo Circulante e Ativo Não Circulante contendo neste o longo prazo, Investimentos, Imobilizado e Intangível, desaparecendo as figuras do Ativo Realizável a Longo Prazo e Ativo Permanente como grupo, sendo agora subgrupo do Ativo Não Circulante, sendo que o termo “Ativo Permanente” não figurará mais no Balanço Patrimonial. Além disso o subgrupo “Ativo Diferido” de fato desaparece deste relatório, porém vale ressaltar que a  Medida Provisória 449/08 informa que poderá amortizar o saldo do mesmo até seu findar. 
Já o grande grupo Passivo, também teve modificações em sua estética conforme determina a Medida Provisória 449/08 , sendo o grupo Passivo Circulante e Passivo Não Circulante, desaparecendo os grupos Passivo Exigível a Longo Prazo, Resultado de Exercícios Futuros , pois todos os citados foram incorporados pelo  Passivo Não Circulante; detalhe, não deixaram de existir, apenas são subgrupos no Passivo Não Circulante. Já o Patrimônio Líquido continua sendo considerado grupo conforme determina a Lei 11638/07, dividido em Capital social, Reservas de Capital, Ajustes de Avaliação Patrimonial, Reservas de Lucros, Ações em Tesouraria e Prejuizos Acumulados.
Alteração no critério de avaliação de coligadas art. 248. No balanço patrimonial da companhia, os investimentos em coligadas cuja administração tenha influência significativa, ou de que participe com 20% ou mais do capital votante (ações ordinárias) em controladas e em outras sociedades que façam parte de um mesmo grupo ou estejam sobre controle comum serão avaliadas pelo método da equivalência patrimonial, ou seja, em decorrência da sua avaliação pelo seu valor justo.
	 BALANÇO PATRIMONIAL - LEI 6.404/76 e LEI 11.638/07 após a MP 449/08
	
	
	ATIVO
	PASSIVO
	 
	 
	Circulante
	Circulante
	 
	 
	Não Circulante
	Não Circulante
	 
	 
	 Realizável a Longo Prazo
	 Exigível a Longo Prazo
	 
	 
	 Investimentos
	 Patrimonio Líquido
	 
	 
	 Imobilizado
	 Capital Social
	 
	 
	 Intangível
	 Reservas de Capital
	 
	 
	 
	 Ajustes de Avaliação Patrimonial
	 
	 
	 
	 Reservas de Lucros
	 
	 
	 
	 Prejuízos Acumulados
	 
	 
	 
	 
	 
	 
	
	
Assim, para uma comparação segue:
	BALANÇO PATRIMONIAL - LEI 6.404/76 após LEI 11.638/07
	
	
	ATIVO
	PASSIVO
	 
	 
	Circulante
	Circulante
	 
	 
	Realizável a Longo Prazo
	Exigível a Longo Prazo
	 
	 
	Permanente
	Resultado do Exercício Futuro
	 
	 
	 Investimentos
	 
	 
	Patrimonio Líquido
	 Imobilizado
	 
	 
	 Capital Social
	 Intangível
	 
	 
	 Reservas de Capital
	 Diferido
	 
	 
	 Ajustes de Avaliação Patrimonial
	 
	 
	 
	 Reservas de Lucros
	 
	 
	 
	 Prejuízos Acumulados
	 
	 
	
	
Observando as comparações, o Balanço Patrimonial já apresenta algumas características das normas internacionais, em sua estética, porém algumas figuras com por exemplo, Resultados de Exercícios Futuros, acreditamos que ainda haverão tratamentos a respeito.
 
ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
A análise das demonstrações financeiras, ou como é mais conhecida, a análise de balanço só é possível ser realizada após finalizado o trabalho da contabilidade. De posse das demonstrações financeiras, o analista irá decompô-las através do exame minucioso de cada uma das contas que compõem essas demonstrações, transcrevendo-as em mapas padronizados, para facilitar o processo de análise. A partir dos dados extraídos da contabilidade, o analista financeiro pode aplicar suas metodologias e técnicas para realizar a análise sobre os dados coletados e chegar a alguma conclusão. 
	QUADRO 06