A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Modelos_Dinâmica_de_Grupo

Pré-visualização | Página 4 de 7

ao trabalho em equipe e gestão de conflitos.
1 - A dinâmica de grupo é uma ferramenta valiosa para a Gestão de Pessoas. Por esse motivo, quem a aplica deve estar preparado para conduzir os trabalhos e isso requer que o facilitador mantenha-se atualizado: faça cursos, leia sobre as tendências relacionadas às dinâmicas.
2 - O local para a condução da dinâmica deve ser adequado com as atividades que serão realizadas. Imagine um grupo de candidatos participando de atividades em uma seleção, onde a porta da sala em que se encontram esteja aberta. Se o local tiver um fluxo razoável de pessoas, não faltará um curioso para dar uma “paradinha” e ver o que está acontecendo. Isso desviará a atenção tanto dos participantes quanto dos candidatos, comprometendo os resultados da atividade.
3 - Ao escolher uma dinâmica para ser aplicada, seja em um processo seletivo ou em algum trabalho específico da empresa, leve em consideração a reação de quem participará das atividades. Tenha o foco voltado para seu público-alvo. Não são raros os casos em que as pessoas se sentem constrangidas com situações mais condizentes a uma festinha de crianças.
4 - Quando a dinâmica de grupo for selecionada para determinada finalidade, verifique se haverá material necessário e suficiente para todos os participantes. Isso evitará correria para suprir as necessidades das atividades. Não custa fazer um check-list com todos os recursos necessários à sua aplicação.
5 - Outro fato relevante: se o facilitador marcou um horário para realizar as atividades, deve chegar com antecedência ao local para preparar o material que será utilizado com calma e receber os participantes. Essa é uma questão de respeito e as pessoas se sentirão valorizadas.
6 - No início da atividade, explique às pessoas que participarão da dinâmica as fases do processo e o motivo delas estarem participando daquele processo. Isso mostrará que a dinâmica não é uma brincadeira, mas sim uma atividade que agrega valor à Gestão de Pessoas.
7 - Depois que a condução das atividades for apresentada ao grupo, o facilitador pode perguntar se algum dos participantes tem alguma dúvida sobre como a dinâmica será realizada. Isso evitará que alguém argumente que não entendeu o que seria realizado e comprometa o andamento e o resultado dos trabalhos.
8 - A dinâmica de grupo deve estar próxima à realidade organizacional, pois os participantes revelarão comportamentos que podem se tornar um diferencial para a empresa. Seja em um processo seletivo ou não, os participantes devem “sentir” o momento que vivenciam.
9 - O facilitador deve ficar sempre atento às respostas dadas pelas pessoas que participam da dinâmica. Por isso, um bloco de notas discreto e uma caneta certamente serão bons aliados, pois as anotações devem registrar fatos relevantes ao momento e à proposta da atividade.
10 - Caso a dinâmica seja realizada para trabalhar questões relacionadas a conflitos, trabalho em equipe, estímulo à comunicação, criatividade, processo decisório, entre outros, se as atividades forem conduzidas por um facilitador terceirizado, a área de RH deve procurar informações sobre esse profissional. Contratar alguém completamente “desconhecido” é um risco que pode levar à falta de credibilidade de quem apresentou a proposta à organização.
A Máquina Registradora
Objetivos:
1. Demonstrar como a busca do consenso melhora a decisão.
2. Explorar o impacto que as suposições têm sobre a decisão.Tamanho do grupo: Subgrupos formados com cinco a sete membros; sendo possível, orientar vários subgrupos, simultaneamente.
Tempo exigido: quarenta minutos, aproximadamente.
Material utilizado:
- Uma cópia da história da “Máquina Registradora”, para cada membro participante e para cada grupo.
- Lápis ou caneta.
Procedimento:
1. O animador distribui uma cópia da história da “Máquina Registradora” para cada membro participante que durante sete a dez minutos, deverá ler e assinar as declarações consideradas verdadeiras, falsas ou desconhecidas.
2. A seguir, serão formados subgrupos de cinco a sete membros, recebendo cada subgrupo uma cópia da história da “Máquina Registradora”, para um trabalho de consenso de grupo, durante doze a quinze minutos, registrando novamente as declarações consideradas verdadeiras, falsas ou desconhecidas.
3. O animador, a seguir, anuncia as respostas corretas. (a declaração número 3 é falsa, e a do número 6 é verdadeira, e todas as demais são desconhecidas).
4. Em continuação, haverá um breve comentário acerca da experiência vivida, focalizando-se sobretudo o impacto que as suposições causam sobre a decisão e os valores do grupo.
Exercício da “Máquina Registradora”
A HISTÓRIA: Um negociante acaba de acender as luzes de uma loja de calçados, quando surge um homem pedindo dinheiro. O proprietário abre uma máquina registradora. O conteúdo da máquina registradora é retirado e o homem corre. Um membro da polícia é imediatamente avisado.
Declaração acerca da história: Verdadeiro - Falso - Desconhecido
1. Um homem apareceu assim que o proprietário acendeu as luzes de sua loja de calçados ……….. V F ?
2. O ladrão foi um homem……… V F ?
3. O homem não pediu dinheiro………. V F ?
4. O homem que abriu a máquina registradora era o proprietário……………..V F ?
5. O proprietário da loja de calçados retirou o conteúdo da máquina registradora e fugiu ……..V F ?
6. Alguém abriu uma máquina registradora……… V F ?
7. Depois que o homem que pediu o dinheiro apanhou o conteúdo da máquina registradora, fugiu……. V F ?
8. Embora houvesse dinheiro na máquina registradora, a história não diz a quantidade………… V F ?
9. O ladrão pediu dinheiro ao proprietário ……………… V F ?
10. A história registra uma série de acontecimentos que envolveu três pessoas: o proprietário, um homem que pediu dinheiro é um membro da polícia ………… V F ?
11. Os seguintes acontecimentos da história são verdadeiros: alguém pediu dinheiro - uma máquina registradora foi aberta - seu dinheiro foi retirado …… V F ?
Mega Sena Premiada
Indicadores:
Capacidade de argumentação e persuasão;
Relacionamento Interpessoal;
Negociação e criatividade;
Flexibilidade;Cargos Indicados:
Trainee, estagiário;
Vendas;
Operadores de telemarketing;
Analistas e assistentes de comunicação, marketing, RH;
Número de participantes: 10 a 20 participantes;
Comentários:
O facilitador poderá intervir durante a discussão questionando colocações ou mesmo perguntando a um participante menos ativo qual a posição dele sobre o que um determinado colega acabou de falar. Esta estratégia pode ser eficaz principalmente em grupos com um grande número de pessoas.
Caso o facilitador perceba que o grupo não está chegando a um consenso pode comentar que às vezes devemos nos mostrar um pouco flexíveis diante de determinadas situações a fim de que possamos chegar a conclusões que sejam adequadas para o senso comum.
Toda empresa possui normas e regras que devem ser respeitadas. Muitas vezes poderemos nos ver diante de uma situação onde não concordamos com um procedimento ou não acreditamos que aquela seja a melhor coisa a ser feita. Sugestões podem ser colocadas em momento oportuno, contudo, devemos procurar nos adaptar e sermos flexíveis a essas regras e normas a fim de que possamos cumprir o nosso papel profissional.
Mercado Alvo
Indicadores:
Capacidade de comunicação e expressão;
Habilidade de argumentação e contra-argumentação;
Capacidade de manter diálogo e persuasão;
Iniciativa/pró-atividade;
Flexibilidade e negociação e Capacidade analítica;Cargos Indicados:
Trainee, estagiário;
Vendas, analistas/assistentes de marketing;
Operadores de telemarketing;
Assistente jurídico, estagiário de Direito;
Número de participantes: 10 a 20 participantes;
Comentários:
O facilitador poderá intervir durante a discussão questionando colocações ou mesmo perguntando a um participante menos ativo qual a posição dele sobre o que um determinado colega acabou de falar. Esta estratégia pode ser eficaz principalmente em grupos com um grande número de pessoas.
Em muitas organizações o processo decisório é algo que