A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Atividade Estrutura de Fundamentos de SI - Parte I

Pré-visualização | Página 1 de 2

ATIVIDADES ESTRUTURADAS 
	NOME DA DISCIPLINA:
	 FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
	 
	 
	 
	 
	 
	 
	 
	 
	 
	 
	CÓDIGO:
	 CCT0004
	TÍTULO DA ATIVIDADE ESTRUTURADA: 
	 ESTUDO DE CASO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO – parte I
	OBJETIVO:
	 Relacionar os conteúdos trabalhados na disciplina com a sua profissão e com a realidade do mercado
	
	
	
	
	COMPETÊNCIAS/HABILIDADES: 
	 Analisar o mercado local em realção a utilização de Tecnologia da Informação
	
	
	DESENVOLVIMENTO:
	Este desafio é composto por três etapas. A entrega da primeira etapa será na 4ª aula do semestre, a segunda etapa será entregue na 8ª. e a última etapa do estudo de caso será entregue na 12ª. aula. 
Leia o Texto Abaixo
Desde o início da era industrial, o valor de uma empresa estava diretamente relacionado ao seu patrimônio e a sua capacidade de produção (bens tangíveis). Nesta época, a ampliação das capacidades físicas era o principal fator de valorização de uma empresa, isto é, valia mais que obtivesse maior número de coisas no menor espaço de tempo. 
Com a revolução digital e a redução de custos dos produtos de tecnologia, empresas de diversos portes informatizaram seus serviços. Motivado pela globalização (maior competitividade gerada pela abertura dos mercados e a chegada de novos produtos), o mercado assumiu uma postura mais competitiva, assim, apenas recursos de tecnologia da informação e comunicação já não eram suficientes para serem diferenciais competitivos (ser melhor naquilo que os clientes valorizam), mas, sim, um
pré-requisito para que estas empresas sobrevivessem. 
Na atual era do conhecimento, o valor da empresa está relacionado à capacidade de inovação. Assim, presenciamos empresas, como a Google, que possui um valor muito maior que seu patrimônio físico e seus principais produtos são bens intangíveis (bens intangíveis podem ser: marcas, patente, conhecimento contido em uma solução de software, de medicamentos, dentre outros), resultado do conhecimento adquirido pela empresa. 
Dessa forma, podemos assegurar que a Google teve a capacidade de transformar os dados e as informações que possui em algo útil e muito valorizado pela sociedade. Como conclusão, a partir da história desta gigante, é possível afirmar que as tecnologias de informação e comunicação são fundamentais para melhorar o desempenho e controle dos diversos negócios, além delas serem fontes de dados e informações que serão utilizadas como matéria prima para a tomada de decisão e inovação competitiva.
No entanto, quando se avalia papel social, empregabilidade dentre outros números, são as Micros, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) que impressionam. Segundo dados do Sebrae (www.sebrae.com.br), “em conjunto as micros e pequenas empresas respondem [...], por mais de 99% do número total de empresas formais, por 57,2% dos empregos totais e por 26,0% da massa salarial”. No total, as micro, pequenas e médias representam 98 % das empresas brasileiras, são responsáveis por 20% do PIB e empregam 60 milhões de pessoas.
Em virtude desse cenário, grandes empresas de tecnologia da informação, como Hewlett-Packard (HP), International Business Machines (IBM), Dell e Microsoft já desenvolveram iniciativas específicas para esse mercado de MPMEs. Segundo a página da internet da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, mantida pelas Organizações Globo, a HP possui uma plataforma, denominado Smart Office. Esse programa inclui o desenvolvimento de produtos específicos para as PMEs, o financiamento das compras de equipamentos e o treinamento de empreendedores. Promove, também, palestras gratuitas acerca dos benefícios proporcionados pela utilização dessa tecnologia.
Em contrapartida, a DELL desenvolveu um equipamento de armazenamento de dados, em parceria com a EMC2 (empresa de grande porte na área de persistência de dados), com o objetivo de atender os pequenos negócios. E a mesma DELL, agora em parceria com a Unisys – empresa de consultoria e de serviços de tecnologia – passou também a oferecer diagnóstico gratuito para montagem de redes de computadores. 
Já a Intel – Integrated Electronics Corporation – promove treinamentos gratuitos junto aos empresários, na perspectiva de evidenciar os benefícios que essa máquina, capacitada para receber, armazenar e enviar dados, pode trazer para os próprios negócios. A Microsoft, por sua vez, não poderia ficar fora dessa conscientização da importância da tecnologia nos empreendimentos. Para tanto, desenvolveu um programa com vistas especialmente às pequenas empresas, o Small Business Server. Trata-se de um serviço apropriado para o gerenciamento de redes com até 75 computadores. E mais: lançou, em 2006, em parceria com a HP, uma série de guias contendo tecnologias específicas para empreendedores.
No Brasil, também existem algumas iniciativas governamentais que visam a minimizar a exclusão digital das pequenas e médias empresas – PMEs. Como exemplos de tal iniciativa, pode-se citar a criação dos Telecentros Digitais – (http://www.telecentros.desenvolvimento.gov.br) – que, em conjunto com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, criou um ambiente voltado para a oferta de cursos e treinamentos presenciais e à distância, informações, serviços e oportunidades de negócios, visando ao fortalecimento das condições de competitividade das micro e pequenas empresa, além do estímulo à criação de novos empreendimentos. Esses Telecentros compõem-se de vários computadores interligados em rede local e conectados à Internet, e têm como objetivo inserir a micro e pequena empresa na sociedade da informação. Outro órgão público, que também participa do movimento que tenta levar a tecnologia da informação aos pequenos
empresários, são os Correios.  Trata-se de um organismo que disponibiliza vários serviços às pequenas e médias (maiores  informações também podem ser obtidas em www.correiosnetshopping.net).
Há também o Sebrae, organização privada que recebe financiamento público em seus
projetos, participa ativamente na colaboração para difundir a tecnologia da informação – TI – nas pequenas e médias empresas – PMEs. Possui uma unidade específica para gerenciar as atividades dessa modalidade e um programa, o SebraeTec, cujo objetivo é criar condições para que as micro e pequenas empresas tenham acesso às inovações tecnológicas (e não apenas as referentes à tecnologia da informação, mas às tecnologias em geral).
Outra iniciativa do governo federal é o portal do Software Público Brasileiro (www.softwarepublico.gov.br ) que tem como objetivo  facilitar a implantação de novas ferramentas nos diversos setores administrativos dos estados, promovendo a integração entre as unidades federativas e oferecer um conjunto de serviços públicos para sociedade com base no bem software.  O que demonstra a importância das TICs nos diversos setores, inclusive na administração pública.
O Desafio
A partir deste texto que descreve o cenário da Tecnologia da Informação no contexto das micro e pequenas empresas e a preocupação das grandes em desenvolver tecnologia para as mesmas, apresentamos a você um desafio composto pelos passos abaixo:
Avalie as micro e pequenas empresas, sediadas na sua cidade, e que já prestaram algum serviço para você e sua família. Por exemplo: Mini-mercado, padaria, lavanderia, pet shop, consultórios dentários, clínicas médicas, entre outros
Escolha uma delas. Na sua escolha, priorize aquela que você possui um bom relacionamento com o dono: O Empreendedor.
Agende uma visita e faça uma entrevista com este Empreendedor. Nesse bate-papo, você deverá lembrar-se de questioná-lo quanto:
Sua empresa utiliza alguma tecnologia? Por exemplo: computador, email, internet, sistema de controle de clientes, etc.
Quais os benefícios que a tecnologia trouxe para o pequeno negócio?
Quais as dificuldades que o empresário teve que superar ao decidir investir em tecnologia da informação e comunicação? Entre outras
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	PRODUTO/RESULTADO:
	Deverá ser entregue um texto de no mínimo