Direito do Trabalho - Resumo completo
119 pág.

Direito do Trabalho - Resumo completo


DisciplinaDireito do Trabalho I36.480 materiais533.991 seguidores
Pré-visualização41 páginas
esse empregado comum é obrigado a aceitar a transferência do 469 paragrafo 3º,se eu sou empregado comum e há uma situação de real necessidade,o empregador vai me transferir provisoriamente e vai me remunerar com +25% por isso. Agora o que exerce cargo de confiança e o que foi contratado para mudar,é obrigado a aceitar.
	O que aconteceu na pratica foi que muitos empregados que ocupam cargo de confiança e que foram contratados para continuas transferências passaram a ter transferência provisória e queriam receber 25%,achando que o parágrafo 1º,seria conjugado com o 3º.Então surge a dificuldade de diferenciar transferência definitiva,provisória e uma simples viagem. A discussão era que será que o empregado que ocupa cargo de confiança e aqueles que ocupam cargos de transferências contínuas, seja elas definitivas ou provisórias. Porém existe a questão do adicional. 
Ex:O gerente jurídico fala para ir a Brasília e acompanhar 2 julgamentos,vai na terça,volta na sexta,o tempo é pouco e a situação é transitória.Isso é viajar.Nem transferência permanente,nem provisória.É uma simples viagem a trabalho.Somos obrigados a cumprir,e nessa viagem o empregador paga diárias da viagem,porque estou em outro lugar a trabalho. É uma simples viagem.Não é transferência definitiva, nem provisória. Acaba viajando para executar determinado trabalho a mando do empregador. Vai para um local e lá instala qualquer infraestrutura sem nenhum animo de permanecer por mais tempo,não cria qualquer estrutura maior.Nessa viagem,o empregador determina que faça o trabalho.
Transferência definitivaQuando eu vou ter um novo local de trabalho que por hora é o local de trabalho por prazo certo,se o meu empregador me tira do rio e me coloca em Macapá e não sei por quanto tempo ficarei,é uma mudança definitiva. Às vezes,o animo era de ficar 10 anos,mas ficou 1 ano.A pessoa vai para outra cidade,e lá encontra um local para moradia,é um animo definitivo,marca a transferência definitiva,em regra leva-se a família e cria uma estrutura lá. Às vezes,a família fica no rio,e só o sujeito vai,mas o animo dele é ficar lá e levar a família com ele posteriormente. Os empregados comuns só vão se eles aceitarem, essa aceitação é valido desde que não haja prejuízos. Para os empregados do parágrafo primeiro, é obrigatória. 
Transferência provisóriaSei que aquilo é provisório,sei que estou lá por um prazo que vai se esgotar e sei que vou voltar tenho uma certeza de retorno,tenho uma duvida quanto a data,mas sei que a situação que estou é provisória.Se a pessoa foi transferida provisoriamente cria uma instalação mínima ou paga m hotel por mês,aluga um espaço por mês.O tempo de permanência é superior a de uma simples viagem. O animo é fundamental.Exemplo:Contratou serviço da NET é sinal de que iria ficar mais que uma simples viagem. Pode ser obrigatória quando houver necessidade do serviço tanto para os empregados comuns quanto para os empregados de carga de confiança. Entretanto, para qualquer empregado há a remuneração de 25% porque é oneroso ao empregado ter sua vida em um local e trabalhar em outro.
Empregado ComumIusvariandi ou uma transferência provisória para atender uma real situação de serviço e enquanto essa situação existir recebo + 25%.
Uma transferência definitiva para ele só se ela aceitar e se não for prejudicial para ele.
Cargo de confiança ou uma atividade que implica transferências contínuasUma transferência definitiva é obrigatória,assim como a mera iusvariandi e uma transferência provisória.Esses por mais que sejam obrigados a aceitar a transferência definitiva,pela orientação jurisprudencial 113 da sessão de dissídios individuais 1 do TST.Esse empregado quando transferido de maneira provisória,faz jus aos 25%.
Para receber os 25% não é por quem é o empregado,e sim que foi uma transferência provisória.
	O parágrafo 2º do artigo 469diz a respeito da interpretação que os livros dão e que o professor vai ousar discordar. Os livros dizem que se o empregador transfere o estabelecimento,o empregado tem que ir,e isso quem decide é o empregador iusvariandi,se não quiser que peça demissão. O professor discorda desse paragrafo por conta das consequências fraudulentas que poderão ser acarretadas.
Ex:Estabelecimento no rio e em Manaus,um belo dia falo que vou fechar odo rio e vou para Manaus,quem não quiser que peça demissão,para transferir é porque é o mesmo estabelecimento.Se eu vou para oura cidadeoutro estado é um estabelecimento que vou abrir do zero,deveria então pagar para os empregados o aviso prévio e indenização. Extinguir em um bairro para abrir em outro é perfeito.
Agora fechar em uma cidade para abrir na hora,se o empregado não quiser ir tem de dar aviso prévio e indenizar.
	O artigo 469 parágrafo segundo dá margem para a ideia de que ao fechar o estabelecimento isso poderá gerar ao empregador o poder de transferir o empregado para onde ele quiser. O empregado no fundo pede demissão e fica sem todas as suas vantagens. Quando o empregador fecha o estabelecimento, ele poderá transferir para onde bem quiser. Para o professor esse artigo merece uma interpretação restritiva. 
Exemplo: Vai que o empregador vai bem das pernas,e tem sua loja,seu estabelecimento,no centro,zona sul. Ele se situou numa área valorizada,mas um dia a situação acaba ficando critica,melhor seria ele ir para o local mais barato,vão todos para do bairro x para o bairro y. Se mudou o local,o empregado vai para onde funciona o estabelecimento. O risco do negocio convive com o poder de iusvariandi que o empregador tem,fechou um local para abrir em outro.Desfavorável ao empregado, porém necessária.Se ele muda isso é impositivo para quem trabalha naquela estrutura.
	Fazendo exame de ordem e concurso público, devemos dizer que se o empregador fechar o estabelecimento,ele pode transferir para onde quiser e o empregado se não aceitar que saia.No fundo o empregador tem o animo dispensar,para que o empregado manifeste e o empregador se livre dele.Fechando num bairro para abrir em outro sim.Mas fechar no rio para abrir em são Paulo e porto alegre,fecho aqui,dou aviso prévio e indenização.
Suspensão e interrupção do contrato de trabalho:
Pela relação de empregado e empregador temos a relação em que o empregado é sempre pessoa física e um dia ele poderá vir a adoecer, se for mulher poderá engravidar e ter filho. Todo contrato que envolve de um dos lados um ser humano trabalhando, poderá ser relacionado a doença, ao voto, a gravidez. Assim entra a figura da suspensão e a interrupção.
	Tanto a suspensão quanto a interrupção são certo lapso do tempo. A transitoriedade é o traço comum entre as duas. Onde estará a diferença? Em alguns casos o empregado não trabalha, mas o empregador deve a ele o respectivo salario, como por exemplo, as férias que são um exemplo clássico de interrupção de trabalho, onde mesmo que eu não trabalhe, o empregador continuará pagando o salário. 
	Na suspensão, por certo lapso de tempo eu não estou trabalhando e meu empregador não me deve salario. O poder disciplinar do empregador tem como três punições ao empregador: advertência, punição ou suspensão. O artigo 474 diz que a suspensão por motivo disciplinar é por no máximo de 30 dias. 
	Qualquer contrato de trabalho,algum prolongamento no tempo eu tenho,seja prazo determinado e indeterminado,é um vinculo que se prolonga no tempo.Nesse contrato,uma das partes o empregado tem sempre trabalho a prestar,ele pessoalmente é empregado de uma pessoa física e tem tarefas a cumprir,esse contrato é lidar com condições próprias da vida humana,casamento,gravidez,situações especificas nas quais a pessoa não pode mais trabalhar.
	É levar em conta se o contrato se prolonga no tempo,se ele se prolonga,o empregado trabalha com pessoalidade,e não pode repassar tarefas para outro.
Em alguns casos o empregado não trabalha e não recebe,e outros trabalham e o salário é pago.
	Numa linha doutrinaria esta nisso a diferença de interrupção e suspensão.Se por certo período,não trabalha e não faz jus ao trabalho é a
Mariane
Mariane fez um comentário
alguem me envia por email quero imprimir
0 aprovações
Paulo Lucas
Paulo Lucas fez um comentário
ótimo...
0 aprovações
maria
maria fez um comentário
Obrigado por disponibilizar o seu material, estou sem material de apoio, está sendo de grande valia, um abraço.
0 aprovações
Daiana
Daiana fez um comentário
perfeito!
0 aprovações
Nicolle
Nicolle fez um comentário
otimo
0 aprovações
Carregar mais