LIVRO - Redes e Sistemas de Telecomunicações
256 pág.

LIVRO - Redes e Sistemas de Telecomunicações


DisciplinaPropagação e Antenas116 materiais1.613 seguidores
Pré-visualização48 páginas
11
Introdução
Por estar atuando ultimamente em uma área nova de tecnologia associada
a telecomunicações (Customer Care), mas que, por outro lado, não tem
me permitido tempo no local de trabalho para manter-me atualizado em
novas tecnologias, comecei a acessar em casa a Internet, buscando res-
postas para as diversas dúvidas que me surgiam a respeito de assuntos
novos que ora ouvia meus colegas tratando no dia-a-dia, ora percebia em
anúncios que lia semanalmente no caderno de empregos nos requisitos
exigidos dos profissionais de telecomunicações e que tinha dificuldades no
entendimento de diversas siglas como SMS, SS7, OSS, VPN, DWDM, etc.
Com essa busca na Internet, fui juntando informações, adotando a meto-
dologia de traduzir para melhor entender e escrever para melhor aprender
e terminei compondo o trabalho que apresento a seguir e que julgo poderá
ajudar a outros colegas, que igualmente necessitem buscar informações
atualizadas na área de telecomunicações, encontrando-as aqui reunidas.
O assunto não se esgota aqui, requerendo que a todo momento estejamos
atentos aos avanços tecnológicos e uma boa fonte de informações, com
certeza, é a Internet. Assim, recomendo fortemente que usem esse novo
veículo para futuras pesquisas, o que aliás carrega um forte elemento mo-
tivador que é a possibilidade de se obter a informação de forma inteira-
mente gratuita. É claro que o leitor neste caso necessita ter cuidado espe-
cial com a credibilidade da "fonte", mas fora isso e a paciência necessária
para pesquisar, tudo bem.
Este trabalho apresenta três enfoques:
Técnico \u2013 que procura apresentar o "estado-da-arte" no cenário das tele-
comunicações e que seguramente norteará principalmente o estado de
obsolescência dos atuais sistemas. Por exemplo, sinalização SS7.
Mercadológico \u2013 que procura apresentar as novas ofertas de serviços
com base no "estado-da-arte" apresentado. Por exemplo, serviços ATM.
22 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Planejamento \u2013 que permite estabelecer uma ponte entre o sonho e a
realidade tecnológica. Neste caso, o exemplo é todo o trabalho.
Finalmente, posso assegurar que o cliente deste trabalho pode ser todo
aquele que participa de alguma forma na construção e manutenção do
principal alicerce das empresas de vanguarda que é a informação e que ao
mesmo tempo queira se atualizar tecnologicamente.
Por uma questão de coerência, foram mantidos diversos termos em inglês,
pois somente serão conhecidos dessa forma, não valendo a pena traduzi-
los. Assim sendo, boa leitura e façam bom uso.
33
1 \u2013 Sistema
Comércio Eletrônico (E-Commerce)
Definição
Comércio eletrônico é um modelo emergente de vendas e de merchandi-
sing pelo qual os compradores podem participar de todas as fases da deci-
são de compra, caminhando eletronicamente pelos processos, da mesma
forma que em uma loja física ou pelo telefone (com um catálogo físico). Em
síntese, os processos no comércio eletrônico devem permitir:
! Que o cliente acesse informação sobre o produto,
! Que o cliente selecione o item a adquirir,
! Que o cliente compre com segurança,
! Que o cliente pague pela compra.
Funções Básicas em Sistemas de E-Commerce
O enfoque primário, que fez com que as companhias buscassem alavancar
o comércio eletrônico, é o aumento da receita com novos mercados com
base na criação de novos canais de distribuição de baixo custo.
Da perspectiva do cliente, o propósito do sistema de comércio eletrônico é
permitir que o cliente localize e compre o bem/serviço desejado pela Inter-
net, quando assim o desejar. Essa função é mais ou menos a oferta de
uma loja virtual.
Da perspectiva da empresa, a função chave do sistema de comércio ele-
trônico é gerar muito mais receitas do que geraria sem o sistema. A fim de
que isso ocorra, o sistema de comércio eletrônico deve recriar ou se utilizar
dos processos e dados existentes no negócio. Todos os mesmos proces-
44 Redes e Sistemas de Telecomunicações
sos que a empresa usa na situação convencional, deverão ser usados no
comércio eletrônico, a saber:
! Informação do produto,
! Sistemas de Inventário,
! Serviços de atendimento ao cliente,
! Autorização de crédito,
! Cálculo de encargos,
! Entrega de mercadorias,
! Pagamentos.
Componentes Básicos
O sistema de comércio eletrônico requer basicamente:
! Acesso à Internet,
! Dispositivos de acesso,
! Servidor Web,
! Software específico (criação de catálogos e processamento das tran-
sações),
! Gateways de segurança.
Hospedar o Comércio Eletrônico, na Perspectiva do
Provedor
Os benefícios podem ser:
! Receita na hospedagem dos serviços de comércio eletrônico,
! Receita na consultoria ao desenvolvimento de comércio eletrônico,
! Receita na publicidade, por agregar tráfego,
! Receita na transação por habilitar comércio on-line.
É importante que o provedor ofereça uma infra-estrutura que possa aten-
der os requisitos de crescimento dos serviços de comércio eletrônico. Para
isso deve garantir escalabilidade e manter a qualidade de serviço acordada
entre as partes. A plataforma escolhida pelo provedor deve suportar uma
variedade de tarefas:
! Criação de ambiente padrão para os sites de publicidade e as fachadas
de lojas,
! Oferta de um ambiente seguro para transações,
! Extração de comunicação de pedidos,
! Autorização de créditos e compensação de pagamentos,
Sistemas 55
! Oferta de relatórios estatísticos sobre o site,
! Oferta de sistemas de Billing baseados na atividade do cliente e publi-
cidade.
Requisitos de um Comércio Eletrônico
Criar um completo ambiente de comércio eletrônico pode requerer um
considerável tempo e dinheiro, além de um relativo "expertise" técnico. Os
três passos na construção de uma presença de comércio eletrônico na
Internet são:
Passo 1: Desenvolver um site de conteúdo e manusear as transações
off-line.
Passo 2: Desenvolver um catálogo on-line e manusear as transações
off-line.
Passo 3: Desenvolver um catálogo on-line e manusear as transações
on-line.
Os provedores podem enquadrar suas ofertas como qualquer combinação
dos seguintes modelos de comércio eletrônico:
Site simples de Web: o cliente possui seu próprio Website em um servidor
de Web compartilhado, possuindo seu próprio URL (uniform resource lo-
cator). Não há transação on-line, mas existe o serviço de e-mail.
Simples Frente de Loja: o cliente possui uma loja simples em um servidor.
A loja possui URL próprio, banco de dados e processo de checkout.
Mall: o cliente oferece múltiplas frentes de loja em um ambiente Mall (Sho-
pping) nos mesmos URL e banco de dados, com compartilhamento de re-
cursos do mall.
Multihome: múltiplas frentes de loja, mas cada uma com seu URL, banco
de dados, formulários de pedido, etc.
Categoria das Tarefas
Para cada um dos cenários existem algumas tarefas que acompanham a cria-
ção e implementação de uma presença eletrônica de dada empresa. Algumas
tarefas serão executadas pelos três players no comércio eletrônico, a saber: a
empresa, o provedor do serviço e uma terceira parte (outsourcing).
66 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Implementação e configuração do site: engloba o planejamento, definição
da arquitetura do sistema, instalação e configuração.
Disponibilização para o cliente e suporte: engloba manutenção do catálo-
go, estabelecimento da loja, manutenção, atendimento dos pedidos, ge-
rência da loja e relatórios.
Administração do site e operações: gerência do site, manutenção do site,
Billing, relatórios, serviço ao cliente e suporte.
Tarefas back-end: processamento de pagamentos, cálculo de encargos,
encaminhamento do pedido.
Tópicos Avançados do E-Commerce
Para um entendimento maior do e-commerce, torna-se mister o desenvol-
vimento de conhecimento sobre diversos temas que afetam diretamente o
estabelecimento do e-commerce. A seguir, uma série de temas que devem
ser aprofundados, pois afetam diretamente as atividades do e-commerce:
Formas de Pagamento Eletrônico
De uma forma geral engloba a circulação de valores pela Internet e os
principais temas são:
! Credit-Cards: é a