A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
256 pág.
LIVRO - Redes e Sistemas de Telecomunicações

Pré-visualização | Página 10 de 48

também prover alguns dos MDs, QAs, e WSs.
Sistemas 4477
COMPONENTE DO
SISTEMA DESCRIÇÃO
OS Executa funções de sistema de operação, incluindo
monitoração das operações e controle de funções
de gerenciamento de telecomunicações. O OS
pode também prover algumas funções de mediação
adaptação Q e de workstation.
MD Executa mediação entre as interfaces TMN locais e
o modelo de informação OS; a função de mediação
pode ser necessária para garantir que a informa-
ção, o escopo, e a funcionalidade sejam apresenta-
dos na forma exata em que o OS espera. As fun-
ções de mediação podem ser implementadas atra-
vés de hierarquias de MDs em cascata.
QA Habilita a TMN gerenciar os NEs que possuem in-
terfaces não TMN. O QA faz a translação entre in-
terfaces TMN e interfaces não TNM. Um adaptador
Q TL1, por exemplo, translada entre protocolo ba-
seado em mensagens TL1 ASCII e o CMIP. Do
mesmo modo se translada entre Simple Network
Management Protocol (SNMP) e CMIP.
NE No escopo da TMN, um NE contém informação
gerenciável que é monitorada e controlada por um
OS. A fim de ser gerenciado dentro do escopo da
TMN, um NE deve ter uma interface padrão TMN.
Se não tiver, o NE pode ainda ser gerenciado via
adaptador Q. O NE provê o OS com uma repre-
sentação de suas informações gerenciadas (ex:
MIB). Note que o NE contém funcionalidades NE,
isto é, as funções requeridas para que o NE possa
ser gerenciado por um OS. Como bloco de constru-
ção, o NE pode também conter sua própria função
OS, como também função QA, MD, etc.
WS O WS executa funções de workstation. WSs trans-
lada informação entre o formato TMN e um formato
visível para o usuário.
data communication
network (DCN)
O DCN é a rede de comunicação dentro de uma
TMN. O DCN representa camadas de 1 a 3 do mo-
delo OSI.
4488 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Interfaces Padrão
As interfaces TMN são:
Q A interface Q existe entre dois blocos funcionais que estão dentro
do mesmo domínio TMN. O Qx transporta informação que é com-
partilhada entre o MD e os NEs suportados. A interface Qx existe
entre o NE e MD, e MD e MD. A interface Q3 é a interface OS.
Qualquer componente funcional que interfaceia diretamente com o
OS, usa a interface Q3. Em outras palavras, a interface Q3 está
entre NE e OS; QA e OS e OS e OS.
F A interface F existe entre o WS e o OS e entre WS e MD.
X A interface X existe entre dois OSs em dois domínios TMN separa-
dos, ou entre um OS TMN e outro OS em uma rede não TMN.
Na figura 1.19, cada linha representa uma interface entre dois componen-
tes TMN:
Figura 1.19
Existem duas classes de interfaces Q: Q3 e Qx. A figura 1.20 ilustra que
blocos de função podem se comunicar com a interface Q.
Sistemas 4499
Figura 1.20
Interface Q3
É a única interface que QAs, MDs, ou NEs podem usar para comunicar
diretamente com o OS. Se um QA ou NE não usar a interface Q3, não po-
derão se comunicar diretamente com o OS, devendo então se comunicar
via um MD.
Interface Qx
Esta interface sempre opera com um MD. Ela nunca toma o lugar de uma
interface Q3. O MD pode interpretar entre uma informação de gerencia-
mento local fornecida por uma interface Qx e a informação OS fornecida
por uma interface Q3.
Modelo Lógico TMN
A TMN concebe um modelo de camadas lógicas que definem ou sugerem
o nível de gerenciamento para cada funcionalidade específica. O mesmo
tipo de função pode ser implementada em muitos níveis, desde o mais alto
5500 Redes e Sistemas de Telecomunicações
nível, que gerencia as metas empresariais ou corporativas, ao mais baixo
nível, que é definido pela rede ou recursos de rede. Partindo do nível mais
baixo, a hierarquia possui NEs, element-management layer (EML), net-
work-management layer (NML), service-management layer (SML), and
business-management layer (BML). Uma vez estando o gerenciamento
definido nas camadas mais baixas, as aplicações de gerenciamento adici-
onais podem ser construídas sobre essa fundação.
CAMADA RESPONSABILIDADES
BML
(Camada de
Gerenciamento
do Negócio)
Planejamento de alto nível, elaboração de orçamento,
estabelecimento de metas, decisões executivas, acor-
dos de nível de negócio (Business-Level Agreements
(BLAs)), etc.
SML
(Camada de
Gerenciamento
do Serviço)
Usa as informações apresentadas pela NML para ge-
renciar serviços contratados tanto para clientes poten-
ciais como para os existentes. Este é o ponto básico
de contato com os clientes para questões de provisio-
namento, de custos, de qualidade do serviço, e de ge-
renciamento de falhas. O SML é também o ponto de
interação com os provedores de serviço e com outros
domínios administrativos. O SML mantém dados esta-
tísticos a fim de suportar qualidade de serviço, etc.
Os OSs na SML interfaceiam com os OSs na SML de
outros domínios administrativos via interface X. Os
OSs na SML interfaceiam com os OSs na BML via
interface Q3.
NML
(Camada de
Gerenciamento
da Rede)
A NML tem visibilidade da rede inteira, baseado na
informação de NE apresentada pelos OSs na EML. A
NML gerencia os NEs de forma individual e todos os
NEs como um grupo. Em outras palavras, a NML tem
uma primeira visão gerenciada da rede. A NML coor-
dena todas as atividades de rede e suporta as deman-
das da SML. Os OSs na NML interfaceiam com os
OSs na SML via interface Q3.
EML
(Camada de
Gerenciamento
de Elemento)
Gerencia cada elemento de rede. A EML tem gerentes
de elementos, ou OSs, onde cada um é responsável pela
informação de certos Nes. Em geral, um gerente de ele-
mento é responsável por um subset de NEs. Um gerente
de elemento gerencia dados, logs, atividades, etc. dos
elementos de rede. Logicamente, os MDs estão na EML,
Sistemas 5511
CAMADA RESPONSABILIDADES
mesmo quando localizados fisicamente em alguma outra
camada lógica, tal como NML ou SML. Um MD comunica
com um OS EML via interface Q3. Em adição, um OS
EML apresenta sua informação de um subset de NEs
para um OS na NML via interface Q3.
NEL
(Network-
Element Layer)
(Camada de
Elemento de
Rede)
A NEL apresenta a informação de um NE. Os QAs,
que adaptam informação TMN e informação não TMN
e o NE estão localizados na NEL. Em outras palavras,
a NEL interfaceia a informação proprietária e a infra-
estrutura TMN.
Integração com Equipamentos Legacy
Equipamentos e sistemas de rede legacy, que em geral não estão em confor-
midade com padrão TMN, podem compreender mensagens ASCII, não opera-
ções padrão TMN. As mensagens ASCII são freqüentemente proprietárias de
alguma plataforma específica. A TMN fornece interfaces programáveis para as
mensagens de NEs baseadas em ASCII (também chamadas de bitstream).
Com a definição dessas interfaces padrão, a TMN não obriga que os NEs
estejam em conformidade com o CMIP, tanto no nível de hardware como
no nível de mensagens. Por permitir componentes de mediação inteligen-
tes, Q-adapters e MDs, a TMN possibilita que as companhias tragam todos
os seus sistemas e equipamentos para uma solução distribuída, escalável,
interoperável e gerenciável. A figura 1.21 mostra um Q-adapter fazendo
translação entre CMIP/Q3 e interfaces proprietárias:
Figura 1.21
5522 Redes e Sistemas de Telecomunicações
Um outro uso do Q-adapter poderia ser a integração de redes legacy para
dentro de uma infra-estrutura TMN. A maioria das redes gerenciam seus
recursos usando os serviços SNMP. Pela adaptação entre SNMP e CMIP,
a rede legacy pode ser trazida para o domínio TMN.
Service-level agreement (SLA)
Definição
UM SLA, ou simplesmente um Acordo de Nível de Serviço, é um contrato
informal entre um provedor de serviço (Carrier, por exemplo) e seu cliente
e que define as responsabilidades do provedor para com o cliente e o tipo
de ressarcimento, caso as metas definidas no SLA não sejam cumpridas.
Para efeito de explanação, toma-se o exemplo dos serviços frame relay.
O crescimento do processamento distribuído e de aplicações baseadas na
Intranet vêm aumentando a dependência dos negócios sobre as WANs
para o tratamento de informações críticas de negócio, tendo como conse-
qüência