A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
DJi - Eficácia da Lei no Tempo

Pré-visualização | Página 1 de 2

- Índice Fundamental do Direito
Legislação - Jurisprudência - Modelos - Questionários - Grades
Eficácia da Lei no Tempo - Lei Penal no Tempo - Direito Penal
"Vacacio leges" - vacância legal.
 A lei penal incriminadora não tem efeito retroativo - "Tempus Regit
Actum" - O ato é regido pelo tempo que foi praticado - vale a lei do
tempo em que foi praticado o ato - a não ser que beneficie o réu.
Art. 2º, CP.
"novatio legis" incriminadora - nova Lei penal que incrimina nova conduta.
"Novatio Legis in Pejus"
nova Lei que não beneficia o sujeito ativo da ação criminosa, piora a
situação do réu, retira benefícios da Lei revogada.
Art. 1º, Art. 2º, Parágrafo único Art. 61 e Art. 109, CP. - Circunstâncias
Agravantes
"Novatio Legis in Mellius" (Art. 65, CP) - Circunstâncias Atenuantes
nova Lei que beneficia o criminoso, tudo aquilo que favorece.
Jurisprudência Relacionada:
- Admissibilidade - Extinção da Punibilidade pela Prescrição da
Pretensão Punitiva - Fundamento em Pena Hipotética - Existência ou
Sorte do Processo Penal - Súmula nº 438 - STJ
- Ato Jurídico Perfeito - Ponderação às Circunstâncias do Caso
Concreto - Consideração à Validez e Eficácia de Acordo em Termo de
Adesão - Súmula Vinculante nº 1 - STF
- Competência - Aplicação de Lei Nova Mais Benigna - Sentença
Condenatória Irrecorrível - Súmula nº 23 - TFR
- Competência - Conhecimento e Julgamento - Apelação nos Crimes da
Lei de Segurança Nacional - Vigência - Súmula nº 526 - STF
- Condenação por Crimes Hediondos ou Assemelhados - Progressão de
Regime Prisional - Súmula nº 471 - STJ
- Garantia da Irretroatividade da Lei - Previsisão Constitucional -
Invocação pela Entidade Estatal que a Editou - Possibilidade - Súmula nº
654 - STF
- Lei Aplicável - Concessão de Pensão Previdenciária por Morte -
Vigência - Súmula nº 340 - STJ
- Lei de Execução Penal - Recepção - Ordem Constitucional - Vigência
- Limite Temporal - Súmula Vinculante nº 9 - STF
- Lei Penal Mais Grave - Aplicabilidade - Crime Continuado ou Crime
Permanente - Vigência e Anterioridade - Súmula nº 711 - STF
- Limitação da Taxa de Juros Reais - Revogação - Aplicabilidade
Anterior Condicionada à Edição de Lei Complementar - Súmula nº 648 -
STF
- Medida Provisória - Reedição - Prazo de Eficácia - Súmula nº 651 -
Referências
e/ou
Doutrinas
Relacionadas:
Accessio Temporis
Anterioridade da Lei
Circunstâncias
Agravantes
Circunstâncias
Atenuantes
Crime Permanente
Desconhecimento da
Lei
Irretroatividade da
Lei Penal
Lei Processual Penal
Direito Penal
Eficácia
Eficácia da Lei no
Espaço
Imputabilidade Penal
In Illo Tempore
Irretroatividade da
Lei
Irretroatividade da
Lei Penal
Lei
Lei Excepcional ou
Temporária
Lei Penal
Lei Penal no Tempo
Lei Posterior
Lei Temporária
Leis Processuais no
Tempo
Praescriptio Longi
Temporis
Praescriptio
Longissimi Temporis
Princípio da
STF
- Prescrição das Prestações Anteriores ao Período Previsto em Lei -
Inocorrência - Súmula nº 443 - STF
- Renovação de Locação - Regência da Lei - Prazo do Novo Contrato -
Contagem - Transcrição da Decisão Exeqüenda no Registro de Títulos e
Documentos - Súmula nº 376 - STF
Normas Relacionadas:
Aplicação no Tempo - Convenção Interamericana Contra a
Corrupção - D-004.410-2002
Art. 1º, Anterioridade da Lei, Art. 2º e Art. 2º, Parágrafo único,
Lei Penal no Tempo - Aplicação da Lei Penal - Código Penal -
CP - DL-002.848-1940
Art. 5º, XXXVI e XL, Direitos e Deveres Individuais e Coletivos -
Direitos e Garantias Fundamentais - Constituição Federal - CF -
1988
Art. 61, Circunstâncias Agravantes e Art. 65, Circunstâncias
Atenuantes - Aplicação da Pena - Penas - Código Penal - CP -
DL-002.848-1940
Art. 109, CP
Código Penal - CP - DL-002.848-1940
 
Irretroatividade da
Lei Penal
Princípios do Tempo
do Processo
Prior in Tempore,
Potior in Jure
Retroatividade
Tempo
Temporalidade (lei
processual penal no
tempo)
Temporário
Tempus Regit Actum
Ultratividade da Lei
Vacacio Lege
Vacatio Legis
Vigência da Lei
Vigência da Lei no
Tempo
Crime Permanente
 Diz-se daquele cuja consumação é prolongada, dependendo sua duração da vontade do sujeito ativo,
como ocorre, p. ex., no delito de seqüestro e cárcere privado.
- prescrição antes de transitar em julgado a sentença; termo inicial: Art. 111, III, Extinção da Punibilidade -
CP - Código Penal - DL-002.848-1940
 Não se confunde com o crime instantâneo de efeitos permanentes.
- é aquele que a antijuridicidade avança no tempo (ex. tráfico de entorpecentes). - doutrina para ser
estudada posteriormente (Seqüestro e cárcere privado, tráfico de drogas, Rapto, etc.)
 O Código Penal adota a teoria da atividade - para aplicar a Lei punitiva da época que se praticou o crime.
Lei 6.368 de 76 (entorpecentes) Art. 12.
obs.dji: Art. 244, Parágrafo único, Infração Permanente - Prisão em Flagrante - Providências que Recaem
Sobre Pessoas - Medidas Preventivas e Assecuratórias - Código de Processo Penal Militar - CPPM - DL-
001.002-1969; Crime; Crime Continuado; Crime instantâneo de efeitos permanentes Crime preterdoloso;
Eficácia da Lei no Tempo; Infrações Permanentes; Irretroatividade da Lei Penal; Lei Penal Mais Grave -
Aplicabilidade - Crime Continuado ou Crime Permanente - Vigência e Anterioridade - Súmula nº 711 - STF;
Lei Penal no Tempo; Permanente; Princípio da Irretroatividade da Lei Penal; Retroatividade Penal; Tentativa;
Tráfico ilícito ou uso indevido de substâncias entorpecentes
Ultratividade da Lei
 Existem leis denominadas temporárias ou excepcionais, destinadas a uma vigência limitada ou necessária
enquanto durarem as condições determinantes da lei. Uma lei que fixa a tabela de preços de artigos de
consumo é lei temporária; a lei que fixa a declaração do estado de sítio ou de emergência é lei excepcional.
A lei temporária vigora até extinguir-se o prazo de duração previsto para a mesma; a lei excepcional vigora
enquanto persistirem as circunstâncias que a motivaram. Vamos supor o seguinte exemplo: um comerciante
qualquer desrespeita a tabela de preços da SUNAB, vendendo acima de seus limites sua mercadoria;
autuado, processado, a tramitação de seu caso vem a ser demorada, a ponto de, ao ser condenado, a tabela
de preços que ele havia infringido já não ser a vigorante, substituída por outra em que os preços são bem
mais altos. Poderia o comerciante ser condenado pela infração praticada por ocasião da vigência da tabela
antiga? Sim, à luz do disposto no Art. 3º do CP.
 A ultratividade da lei nada mais é do que a aplicação de seus dispositivos após cessada sua vigência,
sempre incidindo sobre fatos ocorridos sob seu império.
 Finalizando, algumas palavras sobre vigência e eficácia da lei.
 Uma lei pode ser vigente, isto é, ser obrigatória, e não ser eficaz, isto é, não ser cumprida. Pela
promulgação atesta-se a existência da lei; pela vigência torna-se obrigatória; pela publicação torna-se
meramente válida, somente obrigará após o período de vacatio legis. Uma norma que, com freqüência, é
descumprida, sem que com isto nenhuma pessoa venha a argüir tal descumprimento, é uma norma vigente,
mas não eficaz. Se o descumprimento da norma não causa o denominado estrépito social, tal norma não é
eficaz, embora vigente.
obs.dji: - Art. 107, C P- O perdão do ofendido, nos crimes em que somente se procede mediante queixa,
obsta ao prosseguimento da ação.
 A Lei mesmo revogada pode ser usada posteriormente, quando for para beneficiar o réu.
 Se o crime foi cometido sob uma determinada Lei, esta pode ser usada posteriormente, se beneficiar o
réu, isto é, mesmo quando revogada, se o crime foi cometido sob a sua vigência.
Art. 4º C.P. -imputabilidade do agente, determina a Lei que regula o fato. Qual a Lei que vigora? Art.
27C.P. - imputável X inimputável - Art. 26do C.P - obs.dji: Tempo do crime; Inimputáveis;
 Teoria da atividade (usada pelo código X resultado X mista.)
"iter criminis" - caminho do crime.
* "cogitatio" >atos preparatórios >execução >consumação
obs.dji: Actio