Direito tributário Resumo G1 e G2
34 pág.

Direito tributário Resumo G1 e G2


DisciplinaDireito Tributário I27.581 materiais296.206 seguidores
Pré-visualização11 páginas
quando se quer compensar imposto de renda no exterior (dinheiro que vem de fora, tributado lá e quer compensar aqui) e se quiser compensar resultado negativo de atividade rural; 
- prazo: último dia útil de abril; se não entregar tem uma multa (se tiver imposto devido na declaração terá que pagar 1% sobre o imposto devido \u2192 a cada mês pagará 1%, com mínimo de 165,00 e máximo de 200,00);
- contribuinte casado: se fizer separado, nos bens comuns tem que declarar 50% pra cada lado; se fizer em conjunto geralmente a mulher vai como dependente (= verificar o que é melhor \u2192 questão das deduções);
- separados: pode botar o filho como dependente quem tem a guarda; 
- menor de idade: pode não declarar, mas pode declarar (o menor pode ter CPF e eventualmente ter dedução);
- ausente no exterior à serviço do Brasil: declara via embaixada/consulado; ausente no exterior por outros motivos (não a serviço do país): só vai ter poder não declarar se sair em caráter definitivo ou em caráter temporário após o período de 12 meses consecutivos; 
- não residente que ingressou no Brasil: visto permanente, ou visto temporário ou dentro de 12 meses 183 dias;
- rendimentos isentos e não tributáveis:
- indenizações do direito do trabalho;
- férias proporcionais vencidas, 13º vencidos - é isento;
- lucro na venda de bens de pequeno valor \u2013 isento (até 35 mil reais);
- isenções importantes em imóveis: se vende um apartamento/imóvel e compra outro dentro de 6 meses está isento; outra isenção é da venda do único imóvel: tem que ser único, valor igual ou inferior a 440 mil e não pode ter havido outra venda nos últimos 5 anos; 
- Lei 9.249/95:isenção na tributação de lucros aos donos e acionistas; 
- aposentadoria por invalidez (tudo o que ganhar);
- pensão por moléstia grave (existe uma legislação taxativa); 
- rendimentos de poupança;
- herança;
- pecúlio de seguro de vida;
- restituição do imposto de renda;
- indenização por desapropriação de terra;
- rendimentos tributados exclusivamente na fonte:
- 13º;
- aplicações financeiras;
- declarar todos os pagamentos a pessoa física (prestador de serviço \u2192 médico, advogado etc); 
- plano de saúde deve declarar (dedução); 
- companheiro até 5 anos;
- filho até 21 anos;
- filho em escola ou universitário até 24;
- declaração de bens:
- imóveis, veículos automotores, embarcações e aeronáveis; bens móveis acima de 5 mil; 
- deduções:
- previdência oficial;
- previdência privada \u2013 limite de 12% do total de rendimentos tributáveis;
- valor dos dependentes: 1.730,40 é o que se pode deduzir por dependente por ano; 
- despesas de instrução: 2.708,94 por ano (creche, colégio, faculdade, 1, 2 e 3º graus; cursos de pós, extensão etc pode, mestrado e doutorado pode; aula particular não pode; idiomas não;);
- despesas médicas: sem limite \u2192 médico, dentista, psicólogo, terapeuta, clínicas, laboratórios, fisioterapia; despesa com cirurgia sem ser reparadora; parafusos e placas nas cirurgias; despesas reembolsadas pelo plano não pode; enfermeiros e remédios fora da conta do hospital; óculos, aparelho de surdez não; cirurgia plástica só se for reparadora; pensão alimentícia sim; 
- exercício:
- salário recebido: 130 mil
- IRF sobre o salário: 13 mil
- INSS sobre salário: 10 mil
- prêmio ganho na mega sena: 28 mil
- IRF sobre o prêmio da mega sena: 2800
- despesa com compra de roupas na Daslu: 10 mil
- doação para igreja universal: 4 mil
- prêmio ganho na loteria esportiva: 2 mil
- IRF sobre o prêmio na loteria: 200,00
- aluguel recebido de pessoa jurídica: 21 mil
- IRF sobre o aluguel: 2100
- despesa com o médico Paulo Silva: 900,00
- herança recebida dos avós: 24 mil
- honorários recebidos de pessoa física: 22 mil
- carnê leão sobre os honorários: 2200,00
- pensão judicial pagara para ex-mulher: 8 mil
- pagamentos feitos à empresa de publicidade Giovani com recibo: 12 mil
- 4 dependentes (filhos)
- despesas com viagem para Disney: 7 mil
- 13º:13 mil
- IRF sobre o 13º - 1300
- rendimento der caderneta de poupança: 12 mil
- despesas com remédios;
- com base nisso fazer uma declaração de IR no site da receita;
- semana de 12 a 25/09 \u2192 entregar dia 06/09
30/08/11
- IRPJ:
- objetivo do IRPJ: visa o lucro da empresa; tributa-se o lucro (vai atingir o lucro tributável, diferente do contábil);
- lucro: acréscimo ao patrimônio líquido a partir do capital social, dentro de um determinado período (dentro de um ano);
- parte-se de onde? Entradas, saídas, matérias primas, paga empréstimo, etc \u2192 leva em conta o sistema de contabilidade entregada; método de partida de dobradas (para cada entrada corresponde uma saída); exemplo: comprou um máquina (objeto do ativo), faz-se um lançamento contábil para o ativo (entrada) \u2192 teve uma saída de dinheiro do caixa de algum lugar = assim vai funcionar para tudo tudo tem que fechar; se algo der errado vai apurar o lucro errada, vai ter dificuldade de atender um fiscal, etc \u2192 qualquer coisa que não fecha é uma interrogação na cabeça do fiscal;
- a empresa precisa ter um balanço de demonstração das origens e um balanço de demonstração das despesas/saídas (e o sistema de contabilidade integrada é feito pra fechar); a exceção são os depósitos judiciais, porque não podem ser convertidos em renda (regime de caixa para os depósitos), daí que não podem se deduzidos;
- pessoa física: regime de caixa \u2192 quando o dinheiro entra, na \u201cmão\u201d;
- pessoa jurídica: regime de competência (lançamento contábil, com base num bem ou direito); lança já as despesas que tem \u2192 isso é importante para dar transparência (enxergar a empresa como ela é); 
- art. 187 da Lei das S/A: modo de das receitas e rendimentos;
- Art. 44 do CTN: definição de base de cálculo da PJ (Art. 44. A base de cálculo do imposto é o montante, real, arbitrado ou presumido, da renda ou dos proventos tributáveis.)
- três tipos de apuração de base de cálculo:
1. lucro real
2. lucro presumido
3. lucro arbitrado
1. lucro real: acréscimo efetivo sobre o patrimônio da empresa \u2192 é o universo rela da empresa; 2. presumido: ficção legal para simplificar a vida do fisco \u2192 não é possível para grandes empresas; 3. Arbitrado: quando a contabilidade é muito ruim (desclassifica a escrita fiscal e arbitra o luco);
1. real: definição do RIR (regulamento do imposto de renda): sai do lucro líquido; 1.1 exclusões, 2. Adições 3.compensações
Receita bruta (todas as receitas)
(-) descontos incondicionados (desconto sem condição) + vandas canceladas; desconto condicionado não pode retirar porque teve uma contrapartida.
(-) impostos sobre a venda: IPI, ICMS etc;
= receita líquida; 
(-) CMV \u2192 custo da mercadoria vendida (valor da mão de obra direta, matéria prima, insumos etc); 
(-) lucro bruto
(-) despesas operacionais (ligada à atividade fim da empresa): despesa necessária, usual, normal: 
Outros tributos
Despesas administrativas
Despesas financeiras (ligados à atividade fim)
Salários e encargos
(+) outras receitas (não-operacionais)
= LAIR \u2013 lucro antes do imposto de renda: vai pagar o próprio imposto de renda em cima desse lucro:
(-) provisão para o imposto de renda
= lucro líquido
(+) adições
(-) exclusões			LALUR
(-) compensações
= Lucro real: pagamento de imposto;
 
Alíquota: 15%, subindo;
- receita presumida: aplica-se uma alíquota única sobre a receita bruta; 
 
01/09/11
- Art. 153, IV CF \u2013 IPI; CTN 46-51
- competência privativa da União: lei 4502/64;
- nasceu com o nome de imposto de consumo; virou IP pela EC 18/65;
- YAT/IVA \u2192 seria um imposto sobre o que agrega valor ao bem; no Brasil nós temos IPI (federal), ICMS (estadual) e ISS (município); se h
ouvesse um IVA a União é que repassaria para frente; não há nada que justifique três esferas \u2192 o ICMS é muito forte (questão dos impostos x barganha;
- IPI é no primeiro plano fiscal, mas também tem uma função exrafiscaL;
- é um imposto real; 
- imposto indireto: porque comporta repercussão econômica do fato geral;
- imunidade constitucional reconhecida na CF;
- imposto ordinário: sempre presente no orçamento;
- está classificado na parte que fala de imposto sobre produção;