A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
3.sistema_osseo

Pré-visualização | Página 2 de 3

e impressão
trigeminal.
3.2.3 – Aberturas: forames redondo, oval, espinhoso e láscero; canal óptico e fissura orbital
superior.
3.3 – Fossa Craniana posterior:
3.3.1 – Saliências: tubérculo jugular, processo jugular, protuberância occipital interna e crista
occipital interna.
3.3.2 – Depressões: sulcos dos seios transverso, petrosos superior e inferior, sigmóide e fossa
cerebelar.
3.3.3 – Aberturas: forames magno, jugular e parietal, canal do hipoglosso e poro acústico
interno.
3.4 – Norma Inferior:
3.4.1 – Suturas: lambdóide.
3.4.2 – Saliências: espinha nasal posterior, linhas nucais superior e inferior, côndilo occipital,
protuberância occipital externa, crista occipital exter na e tubérculo faríngeo.
3.4.3 – Depressões: fossa mandibular.
3.4.4 – Aberturas: forames magno, oval, láscero, espinhoso e jugular, canal do
hipoglosso e poro acústico externo.
11
4. Forames da base do crânio:
12
Emergência Craniana Artéria Veia Nervos
Forames da lâmina
crivosa do etmóide Etmoidal anterior Olfatório (I)
Canal óptico Oftálmica Óptico (II)
Fissura orbital superior Oftálmica superior
Óculo motor (III), troclear
(IV), ramo oftálmico do
trigêmeo (V) e abducente
(VI)
Forame redondo Ramo maxilar do trigêmeo(V)
Forame oval
Plexo venoso que liga o
seio cavernoso e o plexo
pterigóide.
Ramo maxilar do trigêmeo
(V)
Forame espinhoso Meníngea média Ramo meníngeo do ramomaxilar do trigêmeo (V)
Canal carotídeo Carótida interna Plexo venoso carotídeointerno
Plexo simpático carotídeo
interno
Forame magno Vertebrais e espinhais Espinhal Raiz espinhal do nervoacessório (XI)
Canal do hipoglosso Plexo venoso do canal dohipoglosso Hipoglosso (XII)
Forame jugular Meníngea posterior Seio petroso inferior eveia jugular interna
Glossofaríngeo (IX), vago
(X) e raiz externa do
acessório (XI)
Poro acústico interno Do labirinto Do labirinto Facial (VII) evestibulococlear (VIII)
Forame estilomastóideo Estilomastóidea Facial (VII)
Forame incisivo Nasoplatina Nasoplatino
Forame palatino maior Palatina maior Palatino maior
Forame palatino menor Palatina menor Palatino menor
Canal condilar Veia emissária condilar
Fissura petrotimpânica Timpânica anterior Corda do tímpano
Hiato do canal do nervo
petroso maior Nervo petroso maior
Hiato do canal do nervo
petroso menor Timpânica superior Nervo petroso menor
II – Mandíbula:
1. Acidentes vistos externamente:
1.1 – Saliências: tuberosidades pterigóidea e massetérica, processo coronóide, linha oblíqua,
forame mental, protuberância mental, tubérculo mental e cabeça.
1.2 – Depressões: incisura mandibular, fóvea pterigóidea, colo, alvéolos dentários e trígono
retromolar.
1.3 – Aberturas: forame mental.
13
2. Acidentes vistos internamente:
2.1 – Saliências: linha milo-hióidea, língula da mandíbula, espinha mental, tuberosidade
pterigóidea, protuberância mental e tubérculo mental.
2.2 – Depressões: sulco milo-hióideo, fóveas sublingual e submandibular e fossa digástrica.
2.3 – Aberturas: forame mandibular.
III – SEIOS PARANASAIS:
1. Localização: seio frontal, seio maxilar, seio esfenoidal e seio etmoidal.
14
IV – FONTANELAS:
1. Localização: fontanela anterior (bregmática), fontanela posterior (Iambdóide), fontanela ântero-lateral
(ptérica) e fontanela póstero-lateral (astérica).
V – OSSO HIÓIDE:
1. Elementos descritivos: corpo, cornos maiores e cornos menores.
15
VI – OSSOS DA COLUNA VERTEBRAL:
1. Constituição da coluna vertebral: sete vértebras cervicais, doze torácicas, cinco lombares,
cinco sacrais e de três a quatro coccígeas.
2. Características dos ossos da coluna vertebral:
2.1 – Vértebras cervicais: forames transversos.
2.2 – Vértebras torácicas: fóveas costais.
2.3 – Vértebras lombares: processos mamilares.
2.4 – Vértebras sacrais: fundidas formam o sacro.
2.5 – Vértebras coccígeas: fundidas formam o cóccix.
3. Curvaturas:
3.1 – Primárias: torácicas e sacrais.
3.2 – Secundárias: cervicais e lombares.
4. Vértebra típica:
4.1 – Constituintes: corpo, arcos, lâminas, processos transversos, espinhosos e articulares
(superiores e inferiores) e forame vertebral.
16
5. Vértebras cervicais:
5.1 – Atlas: é a primeira vértebra cervical.
5.1.1 – Particularidades: forame transverso, tubérculo anterior, fóvea dentis e arcos anterior e
posterior.
5.2 – Áxis: é a segunda vértebra cervical.
5.2.1 – Particularidades: forame transverso e processo odontóide.
5.3 – 3º à 6º vértebras cervicais:
5.3.1 – Particularidades: forame transverso. O processo espinhoso é bífido.
17
5.4 – Proeminente: é a sétima vértebra cervical.
5.4.1 – Particularidades: forame transverso, processo transverso único e longo e costela
cervical (inconstante).
6. Vértebras torácicas:
6.1 – Particularidades: fóveas costais no corpo e nos processos transversos, corpo arredondado
e processos espinhosos afilados.
18
7. Vértebras lombares:
7.1 – Particularidades: processos mamilares, corpo em forma de rim, forame vertebral
triangular e processo espinhoso quadrangular.
8. Vértebras sacrais:
8.1 – Face pélvica: linhas transversas, forames sacrais ventrais e promontório.
8.2 – Face dorsal: cristas sacrais mediana, intermédias e laterais, forames sacrais dorsais,
hiato sacral, cornos sacrais, tuberosidade sacral e superfícies auriculares.
19
9. Vértebras coccígeas:
9.1 – Particularidades: cornos.
VII – ESTERNO
1. Constituição: corpo, manúbrio e processo xifóide.
2. Elementos descritivos: incisura jugular, incisuras claviculares e costais e ângulo esternal.
20
VIII – COSTELAS
1. Classificação:
1.1 – Verdadeiras ou esternais: são os sete primeiros pares. Ligam-se diretamente ao
esterno através de suas cartilagens costais.
1.2 – Falsas ou asternais: são os três pares seguintes. Suas cartilagens fundem -se na
cartilagem costal da última costela verdadeira.
1.3 – Flutuantes: são os dois últimos pares. Não possuem cartilagens.
2. Elementos descritivos: cabeça, colo, corpo, tubérculo, extremidade esternal e cartilagens costais.
21
OSSOS DO ESQUELETO APENDICULAR SUPERIOR
I – DIVISÃO
1. Cintura escapular: clavícula e escápula.
2. Parte livre: úmero, rádio, ulna, ossos do carpo, do metacarpo e falanges dos dedos.
II – CLAVÍCULA
1. Constituintes: extremidades esternal e acromial, tubérculo conóide, linha trapezóide, sulco do
músculo subclávio e impressão do ligamento costoclavicular.
III – ESCÁPULA
1. Constituintes: bordas superior, medial e lateral; ângulos superior, inferior e lateral; faces anterior
(costal) e posterior; espinha; fossas supra e infra-espinhais e subescapular; acrômio; colo; tubérculos supra
e infra-glenóideos; processo coracóide; cavidade glenóide e incisuras espi noglenóide e da escápula.
22
IV – ÚMERO
1. Epífise proximal: cabeça, colos anatômico e cirúrgico, tubércu los maior e menor, sulco
intertubercular e cristas dos tubérculos maior e menor.
2. Corpo: tuberosidade deltóidea e sulco do nervo radial.
3. Epífise distal: tróclea, capítulo, fossas radial, coronóidea e do olécrano, sulco para o nervo ul nar e
epicôndilos lateral e medial.
Tubérculo maior
Tubérculo menor
Tubérculo maior
23
V – RÁDIO
1. Epífise proximal: cabeça, fóvea da cabeça, circunferência articular e colo.
2. Corpo: tuberosidade radial e margem interóssea.
3. Epífise distal: processo estilóide, incisura ulnar e face cárpica articular.
VI – ULNA
1. Epífise proximal: olécrano, processo coronóideo e incisuras troclear e radial.
2. Corpo: tuberosidade ulnar e margem interóssea.
3. Epífise distal: cabeça e processo estilóide.
24
VII – OSSOS DO CARPO
1. Fileira proximal: escafóide, semilunar, piramidal e pisiforme.
2. Fileira distal: trapézio, trapezóide, capitato e hamato.
VIII – OSSOS DO METACARPO
1. Constituintes: base, corpo e cabeça.
2. Numerados em I, II, III, IV e V.
IX – FALANGES