Aula_principais características da obrigação tributária
11 pág.

Aula_principais características da obrigação tributária


DisciplinaDireito Tributário I27.552 materiais296.052 seguidores
Pré-visualização2 páginas
montante que configura a necessidade de declarar o IR.
OBS: em síntese, hipótese de incidência é um fato in abstracto, enquanto o fato imponível trata-se de sua realização in concreto. Entretanto, boa parte da doutrina e o próprio CTN denomina \u201cfato gerador\u201d tanto à hipótese de incidência, que seria o fato gerador em abstrato, quanto ao fato imponível, que seria o fato gerador em concreto.
VI- Base de cálculo e alíquota
Assim como o sujeito ativo e passivo e o fato gerador (hipótese de incidência e fato imponível), a base de cálculo e a alíquota também são elementos essenciais da regra matriz de incidência tributária. 
Tecnicamente falando, a base de cálculo e a alíquota servem para verificar a quantia dos valores, tanto ao Fisco quanto ao contribuinte.
a) Base de Cálculo
É a grandeza numérica do fato gerador. Segundo Geraldo Ataliba, base de cálculo é a perspectiva dimensível do aspecto material da hipótese de incidência tributária. Em outros termos, é o valor sobre a qual será feito o cálculo do montante do tributo.
Exemplo: a base de cálculo do IPTU é o valor venal do imóvel (art. 33 do CTN). 
OBS: sobre a base de cálculo incidirá a alíquota para que seja apurado o valor devido do referido tributo.
b) Alíquota
É o percentual que constitui a prestação. Normalmente encontra-se expresso em porcentagem e conjugado à base de cálculo, permitindo assim que se verifique a quantia devida a ser paga pelo sujeito passivo. Em outras palavras, alíquota é o percentual definido em lei que, aplicado sobre a base de cálculo, determina o montante do tributo a ser pago.
Exemplo: o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana, cuja base de cálculo será o valor venal do imóvel e a alíquota de 2% (dois por cento). Assim, o proprietário de imóvel cujo valor venal é R$ 100.000,00 (cem mil reais) deverá recolher aos cofres públicos R$ 2.000,00 (dois mil reais) como valor do referido imposto municipal. 
OBS: cabe ressaltar que a alíquota do tributo deve ser razoável para que \u201cnão\u201d cause diminuição patrimonial excessiva ao contribuinte, pois há vedação constitucional expressa a esta prática, denominada de confisco, nos termos do inciso IV, do art. 150 da CF.