A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
466 pág.
CODIGO DE PROCESSO I IMPERIO - VOL 1

Pré-visualização | Página 4 de 50

têm constante impedimento 
para o exercido das funeções de juiz de paz e seu sup-
plente.— Dec. do governo de 21 de Janeiro de 1830, 
art. 1°. —Dec. Legi-sl. de 25 de Junho de 1831, art. 2.* 
O official da guarda nacional, logo que fôr eleito juiz 
de paz, deixa vago o posto, pela incompatibilidade reco-
nhecida pelo art. 11 da Lei de 18 de Agosto de 1831, e 
art. 8°, § 3° do Dec. de 25 de Outubro de 1832. A vaga 
do posto tem lugar quando entrar aquelle juiz em efleciivo 
exercido no seu respectivo anno, porque, servindo no 
impedimento temporário de outros, somente se deve 
considerar impedido para o serviço do posto.—Avs. de 9 
de Setembro de 1833, §§ 10 e 11, de 12 de Setembro de 
1833, S 1% e de 4 de Agosto de 1834. 
O secretario da guarda nacional deixa vago este cargo 
quando fôr eleito juiz, de paz, por não ser compatível o 
serviço da mesma guarda com as funeções de juiz de 
paz, observando-se o mais que se determina nos §S 10 
e 11 do Aviso anterior. — AT. de IS de Setembro de 
1833, §§ !• e 2o. 
Os officiaes da guarda nacional podem ser eleitos juizes 
de paz, mas não accumular o exercido das funcções de um 
• outro emprego.—Avs. de 26 de Fevereiro de 1840» ej 
de 10 de Janeiro de 1841, $ 2*. 
O cidadão votado para juiz de paz que for official da 
guarda nacional pode optar aquelle cargo, renunciando o 
posto, e a camará municipal deve aceitar a opção. 
—Av. de 23 de Abril de 1851. 
A Incompatibilidade entra os cargos da 
juiz de paz e substituto do juiz municipal 
não comprehende o caso em que o presidente da camará 
liou ver, nessa qualidade, de supprir a falta temporária 
dos substitutos do juiz municipal.— Av. de 15 de Abril 
de 1851. 
Não ha incompatibilidade na accumulação do cargo de 
Juiz de paz com os postos da guarda nacional.—Av. de 13 
de Setembro de 1856. 
O juiz de paz que interinamente exerce os lugares de 
promotor publico e de procurador fiscal não renuncia o 
cargo popular que anteriormente occupava, para o qual 
deve voltar logo que cesse o impedimento.— Av. de 19 
de Outubro de 1857. 
Aos juizes de paz, na limitação das funcções que ora 
exercem, não é applicavel o Aviso de 28 de Agosto de 
1843, que se refere exclusivamente aos juizes municipaes, 
não existindo portanto incompatibilidade de direito nos 
advogados para occuparem o cargo de juiz de paz, como 
a pratica o tem confirmado. —Av. de 11 de Dezembro 
de 1857. 
Não ha incompatibilidade entre o cargo de juiz de paz 
e o exercício de juiz de facto. — Av. de la de Janeiro de 
1858. 
Não ha incompatibilidade entre o cargo de juiz de paz 
e o de cirurgião do corpo de policia.— Av. de 13 de 
Julho de 1858. 
Ha incompatibilidade do cargo de juiz de paz com o 
officio de tabellião, como foi declarado por Av. de 14 de 
Março de 1837. 
4 
63 
15 
Attendendo ao disposto no art 23 do God. do Proc 
Crim., e no Av. do ministério da justiça, não impresso» 
de 4 de Maio de 1843, bem como á doutrina do Dec. n. 
501 de 17 de Fevereiro de 1847 e ás decisões dos Avs. 
de 43 de Outubro de 1831 e de 20 de Abril de 1849, onde 
se declara a incompatibilidade do officio de curador de 
orpbãos com o cargo de juiz de paz, e dos officios de 
escrivão de orpbãos e escrivães dos auditórios com o 
emprego de vereador, cujos fundamentos são applicaveis 
aos officios de escrivão do eivei e orpbãos, e aos juizes 
de paz, não podem ser accumulados os ditos empregos. 
—Ar. de 7 dê Fevereiro de 1861. 
O cargo de juiz de paz é incompatível com o officio de 
escrivão de orpbãos, conforme foi declarado por este 
Aviso; porém o juizde paz que uma vez exerceu inte-
rinamente aquelle officio, não fica por isso privado do seu 
cargo; cumprindo á autoridade competente não consentir 
em semelhantes accumulações, para evitar que posterior-
mente se suscitem duvidas. — Av. de 11 de Setembro 
de 1868. 
Conforme o Av. de 27 de Julho de 1850, não pôde 
exercer o cargo de juiz de paz o cidadão que não souber 
lêr e escrever, e portanto o que estiver nestas circum-
stancias deve ser pela camará municipal respectiva elimi-
nado da lista dos juizes de paz e juramentado o imme-
diato em votos ao 4'» afim de que esteja sempre completo 
o numero dos juizes da paroebia. —Av. de 11 de Feve-
reiro de 1861. 
Sendo eleito juiz de paz um cidadão, que era 2* es-
cripturario da thesouraria de fazenda, representou outro 
ao governo que o mandasse eliminar da lista dos juizes 
de paz por não poder exercer o cargo, á vista dos Avs. 
de 24 de Abril de 1849, 18 de Março de 1850 e 7 de 
Agosto de 1860. O governo indeferio o requerimento, 
declarando que, segundo o Avisb de 16 de Janeiro de 
1841, ao qual se referem os dous primeiros supracitados, e 
os de 5 de Março de 1847 e 20 de Março de 1848, uma 
vez que os empregados das thesourarias e mais repar-
tições de fazenda que são eleitos juizes de paz não se 
16 
escusão, não se lhes pôde impedir o enirar em exercido 
desse cargo: cumprindo ás autoridades superiores da 
administração da fazenda dar as providencias que jul-
garem convenientes a bem do serviço em que fizerem 
falta os mesmos empregados; e portanto nada ha que 
obste ao mencionado escripturario de exercer o cargo de 
juiz de paz para que foi eleito, ficando todavia sujeito ás 
providencias que, na forma das ordens do thr-souro, 
forem tomadas pela autoridade competente, se porventura 
do exercício de tal cargo resultar prejuízo ao serviço que 
desempenha na thesoiiraria.—Av. de 13 de Maio de 1861. 
Á vista dos princípios firmados no Av. de lt de Junho 
de 1847, ha incompatibilidade entre o cargo de juiz de 
paz e o emprego de professor publico de primeiras letras. 
—Av. de 18 de Novembro de 1862. 
B incompatível o exercício do cargo de juiz de paz com 
os de officiass de justiça, em cujo numero estão com-
prehendidos os escrivães de policia. —Av. de 5 de Janeiro 
de 1865. 
Também com o officio de escrivão dos feitos da fazenda. 
—Avs. de' 23 de Maio de 1865, e de 31 de Janeiro da 
1867. 
O juiz de paz que muda de domicilio perde o seu lugar. 
—Av. de 31 de Agosto de 1865. 
Ha incompatibilidade no exercício simultâneo dos car-
gos de juiz de paz e de almoxarife do arsenal de guerra, 
—Av. de 18 de Janeiro de 1868. 
O juiz de paz que aceita posto da guarda nacional não 
renuncia aquelle cargo.—Av. de 27 de Agosto de 1868. 
É incompatível o cargo de juiz de paz com o de es-
crivão do eivei.—Av. de 25 de Setembro de 1868. 
É incompatível o cargo de juiz de piz com o de col-
lector.—Av. de 3(i de Setembro de 1808. 
A incompatibilidade entre os cargos de juiz de paz e juiz municipal supplente e promotor publico interino, é 
somente do exercício e não do cargo. —Av. de 30 de No-
vembro de 1869, n. 672. 
O Av. n. 1 AÃ de 9 de Março de 1869 decide que as 
funeções eleitoraes não são consideradas parle integrante 
SB 
 
17 
servindo, os outros três serão seus sup-
plentes, guardada, quando tenha lugar, a 
mesma ordem entre os que não tiverem 
ainda exercido esta substituição (21). 
da jurisdicção civil; e que é indispensável em todo o caso 
a communicação official para a transmissão é devolução 
da jurisdicção. 
(21) Devem tomar posse no tempo marcado pela lei, e 
largar a vara d'ahi a um anno, ainda que o não tenhão 
preenchido em exercido.—áv. de 29 de Janeirode 1834. 
O juiz de paz que, sem motivo reconhecido, recusa 
prestar juramento e tomar posse do emprego para que foi 
eleito, deve ser processado como desobediente. —Avs. de 
a de Março, e 12 de Maio de 1834. 
No caso de serem todos impedidos legitimamente, de-
ver-se-ha. seguir o que está disposto no art. 6° das Ins-
trucções de 13 de Dezembro de 1832.—Port. de 12 de 
Junho de 1834. 
Quando algum dos quatro cidadãos mais votados, que 
bajâo de ser juizes, fallecer, ou for escuso nos termos 
do art. A* da Lei de 15 de Outubro de 1827, a camará 
municipal juramentará