Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Termos e Conceitos

Pré-visualização | Página 1 de 1

TERMOS E CONCEITOS
Infecção congênita: 
Doença infecciosa transmitida da mãe para o feto durante a gravidez, via intrauterina ou via transplacentária, que pode causar alterações na formação do bebê e complicações pós-parto.
Infecção perinatal:
Doença infecciosa que recém-nascido adquire entre o período peri-parto e cinco meses após nascimento.
Antígeno: 
Molécula que se liga a um anticorpo ou a um receptor de célula T (TCR). 
Epítopo: 
Parte específica de um antígeno macromolecular onde um anticorpo se liga. Também chamado de Determinante.
Hapteno: 
Produto químico de pequeno porte capaz de se ligar a um anticorpo, ao ser anexado a uma macromolécula (transportadora), para estimular uma resposta imune adaptativa para aquele composto químico. 
Anticorpo monoclonal:  
Anticorpo específico para um antígeno, produzido por um hibridoma de células B (uma linhagem de células derivadas da fusão de uma única célula B normal e uma linhagem de tumor de células B imortalizadas). 
Anticorpo policlonal: 
Mistura de diferentes anticorpos produzidos por muitos clones de linfócitos B que podem, cada um, se ligar a diferentes porções (epítopos) de um antígeno.
Precisão:
Proximidade de concordância entre resultados independentes de medições obtidas sob condições controladas igualmente.
Acurácia:
Capacidade do teste fornecer resultados muito próximos ao valor de referência do que está sendo mensurado. 
Reprodutibilidade:
Proximidade de concordância entre resultados de medições realizadas em condições modificadas de medição. 
Janela sorológica:
Período decorrido entre o estabelecimento da infecção e a produção de anticorpos pelo organismo contra o microrganismo (ex.: HIV) em uma quantidade suficiente para serem detectados por testes laboratoriais.
Período de incubação:
Tempo decorrido entre a exposição ao organismo patogênico e a manifestação de sinais e sintomas da condição clínica. A doença é considerada estabelecida a partir da manifestação clínica.
Convalescença:  
Período após a dissipação da doença, onde se observa a recuperação gradativa da saúde.
Assintomático:  
Paciente que possui microrganismo patogênico, entretanto não produz sinais e sintomas associados à doença. Destaca-se que mesmo não apresentando manifestação clínica, o paciente pode atuar como reservatório e transmissor.
Sintomático:  
Paciente que apresenta microrganismo patogênico e, consequentemente, expressa sintomatologia associada à infecção. 
Fase aguda: 
Quando ocorre a doença com sua expressão de sinais e sintomas, juntamente à reação do corpo humano em um curto período de tempo.
Fase crônica:
Quando ocorre a doença com sua expressão de sinais e sintomas, juntamente à reação do corpo humano em um prologado período de tempo. Muitas vezes, observa-se a exacerbação da resposta imunológica. 
Infecção:
Invasão de tecidos e órgãos por microrganismos patológicos que irão provocar manifestações clínicas e prejuízo à saúde. 
Inflamação: 
Reação complexa do tecido vascularizado à infecção, exposição a toxinas, ou dano celular, que envolve o acúmulo extravascular de proteínas plasmáticas e leucócitos. 
Imunogênico: 
Antígenos que promovem a ativação de linfócitos, para que se proliferem e diferenciem em células efetoras e células de memória, levando a uma resposta imune eficaz.
Vacina: 
Preparação de antígenos microbianos, muitas vezes combinados com adjuvantes, que é administrada aos indivíduos para induzir uma imunidade protetora contra infecções microbianas. O antígeno pode estar na forma de microrganismos vivos não virulentos, microrganismos mortos, componentes macromoleculares purificados de um microrganismo, ou um plasmídeo que contenha um DNA complementar que codifique um antígeno microbiano.
Soroconversão: 
Evento em que individuo se torna reagente para o HIV.