A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Digest1_musculo-liso

Pré-visualização | Página 3 de 3

que uma vez ativados inibem a contração. Isto ocorre pelo fechamento de canais de sódio ou de cálcio, impedindo a entrada desse íons positivos. Pode também ocorrer aumento da condutância a potássio, permitindo a saída desses íons positivos. De qualquer forma, ocorre aumento da negatividade celular. Esses estado de maior negatividade é chamado de hiperpolarização.
Acoplamento farmacomecânico	
	Algumas vezes a contração ou inibição é desencadeada por substancias (hormônios, neurotransmissores) sem que haja alteração do potencial de membrana. Nesses casos a substancia ativa um receptor da membrana que não abre canais iônicos, mas promove outras alterações. Como liberação de íons cálcio do retículo sarcoplasmático, induzindo a contração. Pode haver também diminuição do cálcio citoplasmático, no caso de haver inibição. O processo como isto ocorreria ainda não é conhecido.
Importância da fonte de íons cálcio
	O retículo sarcoplasmático da célula muscular lisa é apenas rudimentar, se comparado ao do músculo esquelético, na maioria dos tipos de músculo liso. Assim, na maioria dos tipos de músculos lisos, quase todo o cálcio usado na contração vem, do líquido extracelular durante o potencial de ação. A disponibilidade de íons cálcio no meio extracelular é bem maior que no retículo da célula, e também o potencial de ação, do músculo liso é causado por influxo de cálcio. Como as células musculares lisas são bem menores que as esqueléticas, esses íons cálcio podem se difundir para todas as regiões do músculo liso, induzindo o processo contrátil. O tempo necessário para essa difusão é, em geral, de 200 a 300 mseg, e é dito período latente. Esse período latente é aproximadamente 50 vezes menor no músculo esquelético.
	Também pode haver entrada de cálcio por meio de canais de cálcio ativados por hormônios e esse cálcio também produz a contração. Normalmente esses canais não causam potenciais de ação, e muitas vezes, nem alteração do potencial de membrana, visto que a bomba de sódio mantém o potencial de membrana quase normal. Mesmo assim a contração permanece enquanto os canais estiverem abertos, já que o que leva a contração é a presença de cálcio iônico, e não a voltagem da célula. Esse é um meio de ocorrer contração do músculo liso, sem alteração significativa do potencial de membrana (acoplamento farmacomecânico).
	Algumas células musculares lisas contem retículo sarcoplasmático moderadamente desenvolvido. Estas células apresentam pequenas invaginações da membrana, chamadas de cavéolas, que entram em contato com os túbulos sarcoplasmáticos. Quando um potencial de ação atinge as invaginações das cavéolas, isso parece excitar a liberação de íons cálcio pelos túbulos sarcoplasmáticos, do mesmo modo como nos túbulos T do músculo esquelético.
	Em geral, quanto maior o retículo sarcoplasmático na célula, maior a rapidez com que ela se contrai, provavelmente porque o influxo de cálcio, pela membrana é muito mais lenta que a liberação pelo retículo sarcoplasmático.
A bomba de cálcio
	Para que ocorra o relaxamento do músculo liso é necessário que haja a remoção dos íons cálcio para fora da célula ou dentro do retículo sarcoplasmático. As bombas do músculo liso são bem mais lentas que as do retículo sarcoplasmático do músculo esquelético, por isso o período de contração do músculo liso é bem mais longo, da ordem de segundos, enquanto no músculo esquelético é de centésimos a décimos de segundo.
�PAGE �
�PAGE �2�