MEMES - L&C SEMINARIO 2012.2 (1)
6 pág.

MEMES - L&C SEMINARIO 2012.2 (1)


DisciplinaLinguagem e Cognição28 materiais351 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro 
Departamento de Psicologia \u2013 disciplina Linguagem e Cognição- PSI 1899 
Seminário sobre MEME 
Antonio Garcez 
 Christiana Peres 
 Fernanda Calmon 
 Tainah Lobo 
Novembro de 2012. 
 
 
 
O que é MEME? 
 
A palavra \u201cmeme\u201d é uma abreviação de mimeme (do grego m\u12bm\u113ma, 
\u201dalgo imitado\u201d). O termo foi inventado pelo biólogo evolucionista britânico 
Richard Dawkins em seu livro, \u201cO Gene Egoísta\u201d em 1976. Dawkins define um 
meme como o gene da cultura, a unidade mais básica da escala cultural, que 
se dissemina pelo povo, assim propagando ideais que são da própria cultura. 
Em suma, Meme é um transmissor de idéias, que se dá por meio da escrita, da 
palavra e do modo de se falar, gestos, rituais, músicas, trocadilhos, imagens e 
muitas outras formas; assim o meme se torna um veículo para idéias ou 
conceitos presentes na cultura e passa a representar estes conceitos. Além 
disso, é um tipo de linguagem, uma comunicação simbólica entre indivíduos da 
mesma cultura, que se utilizam destes artifícios para transmitir algo que é 
comum a ambos. 
 
Conceito 
 
Segundo Dawkins, a propagação e a vida longa de um meme se dá de 
maneira similar à evolução biológica, através da seleção natural. Depende não 
só de um grau potencial de \u201cimitabilidade\u201d do comportamento em questão, mas 
também da capacidade humana de identificar e repetir estes comportamentos. 
Além disso, é muito importante para sua sobrevivência, que os memes 
representem bem a sua idéia central e que possam ser aplicados em diversas 
situações. Pode ocorrer no seu processo de vida uma mutação, variação e/ou 
competição. Mutação seria uma mudança significativa na estrutura do meme, 
mas mantendo sua idéia central. Já uma variação seria uma pequena mudança 
no meme, mas mantendo seus padrões que chamam mais atenção. Uma 
competição seria quando acontecem duas variações ou mutações no mesmo 
meme ou quando dois memes que representam idéias similares surgem, 
ambos "competem" e o mais forte acaba por permanecer. 
 Richard defende a idéia de que a evolução depende das replicações dos 
organismos, que estas promovem a variação e a mutação. Desta maneira, é na 
transmissão entre os genes que ganhamos novas formas de ser e evoluímos. 
O mesmo aconteceria com os memes, é na transmissão do meme de um 
indivíduo para o outro que estes ganham novas formas e se adaptam, se 
tornando mais evolutivamente fortes. Isto significa que memes que possuem 
uma imitação mais fácil de ser executada costumam sobreviver com mais 
freqüência, pois eles se adaptam mais freqüentemente e são de fácil acesso a 
todos. 
Um bom exemplo disto foi quando nosso ex-presidente, Luiz Inácio 
"Lula" da Silva estava no poder. Sua maneira de falar era característica e fácil 
de imitar e todos não época o imitavam e faziam brincadeiras falando como ele 
e sempre deixando o mindinho escondido. 
Muitos memes já estão presentes há tanto tempo em nossa cultura que 
eles passam a fazer parte dela. Passamos a usá-los sem saber que são 
memes, passam a ser idéias aceitas e divididas por todos. É desta forma que o 
meme é a unidade elementar da cultura e que a molda. Assim vemos que os 
memes que "vencem a batalha evolutiva" são os memes que permanecem na 
cultura e são incorporados a ela. Expressões como \u201cpuxa saco\u201d são um bom 
exemplo disso; esta expressão se origina na época em que a corte portuguesa 
se mudou para o Brasil, o rei, quando voltava de alguma viagem, deixava seus 
sacos, suas bagagens e presentes no cais e alguns homens se voluntariavam 
a levar estes objetos à residência do rei em troca de agradar o rei. Assim se 
fundou o meme \u201cpuxa-saco\u201d, que hoje em dia já está tão irrigado em nossa 
cultura que não mais sabemos sua origem, apenas o utilizamos para nos referir 
à alguém que bajula outra pessoa em troca de ser mais bem visto. 
 
 
Como se transmite? 
 
Assim como se dá o aprendizado natural de um ser humano, memes 
podem ser apreendidos verticalmente, isto significa de pais para filhos, ou 
horizontalmente através de amigos, escola e etc. Este aprendizado se dá por 
meio de imitações de contatos humanos ou por livros, televisão, internet e 
músicas. No reino animal apenas algumas espécies são capazes deste tipo de 
aprendizado, exemplos: os golfinhos e algumas espécies de pássaros. 
Este tipo de aprendizado se diferencia da imitação de fenômenos 
contagiosos como o riso e o bocejo, que segundo biólogos são inatos. 
Algumas vezes, memes podem se manifestar como epidemias. Neste 
caso a propagação se da como um contágio. Fenômenos coletivos que 
estouram num piscar de olhos, como alguns que se difundiram através da 
internet. Geralmente estes fenômenos estão muito ligados ao humor, ou seja, o 
grau catártico que a expressão proporciona aos usuários, também há facilidade 
de pronuncia e um contexto social propício, onde tem \u201ceco\u201d. Os memes 
funcionam como críticas e expressões dentro de um comportamento que 
acontece em reação a um contexto, e quanto mais puder circular entre os 
meios, mais forte fica a expressão. 
 
Meme e Religião 
 
A autora de \u201cA Máquina Meme\u201d, Susan Blackmore apresenta as religiões 
como propagadoras muito eficazes de memes. Segundo a autora, o que 
propõe as religiões é uma forma de olhar a vida e de conceituar valores. A idéia 
de fazer o bem, de se manifestar em comportamentos diários estão entre os 
ideais das religiões. 
As igrejas então espalham esses valores e ideais por meio dos memes, 
que primeiro são introduzidos por seus padres e sacerdotes e acabam por ser 
repetidos pelos seguidores. Os seguidores então servem de exemplo para seus 
filhos e assim se estabelece uma corrente de memes com muito poder, 
transmitida de maneira hereditária. 
É importante perceber que tem de haver alguém que inicie o processo 
para que então ele possa ser copiado e transmitido adiante. Isto explicaria por 
que os filhos de pais religiosos costumam permanecer na mesma religião que 
seus pais. Um bom exemplo de um meme cristão é o sinal de cruz que todo 
cristão faz ao passar na frente de uma igreja. Este sinal já foi introjetado nos 
seguidores da religião e se torna algo natural para eles, algo que sempre 
fazem. É interessante notar que este comportamento é apreendido ao observar 
outros fazendo-o e assim os imitando. 
 
Veículos de mídia 
 
Os veículos de mídia são poderosos criadores de memes. Como o 
comportamento dos autores é visto por muitos, os maneirismos ou as coisas 
fáceis de serem imitadas dos personagens passam a servir de um meio de 
comunicação entre os espectadores. 
Quando o comportamento é muito repetido, os outros que não 
acompanham a mídia acabam sendo expostos e tomando conhecimento do 
meme e seu significado. Desta maneira, memes se espalham pela televisão, 
rádio e diversos outros canais da mídia. Um bom exemplo disto são 
expressões que são lançadas por uma pessoa na mídia e passam a ser 
repetidas por muitos, como o "ô loco, meu!" do Faustão, apresentador da 
Globo. 
 
A internet e uma Cultura Global 
 
A internet foi uma ferramenta que proporcionou uma maneira similar, 
porém mais dinâmica para o comportamento dos memes. Os usuários têm a 
possibilidade de disponibilizar suas idéias e seus trabalhos para os outros 
usuários. 
Desta maneira, surgiram sites onde usuários desenhavam ou faziam 
colagens e os colocavam na página. Assim, outros usuários produziam 
respostas e se estabelecia uma comunicação. Nos sites de humor, certas 
idéias de alguns usuários pareciam demonstrar bem o que queria se 
transmitido e passaram a ser repetidas por outros usuários em situações 
diferentes. Novos memes tomaram forma, estes de maneira muito mais rápida 
que os memes tradicionais, graças à velocidade e à exposição da internet. No 
cyber espaço existem memes próprios de cada língua (que usam uma língua 
específica,