A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Resumo completo (Aula Irineu Zibordi)

Pré-visualização | Página 3 de 5

sem ser uma incontinência de conduta, por exemplo o empregado que fala mau do empregador no ambiente de trabalho, eh uma justa causa. Eh uma incontinência de conduta quando o trabalhador pratica atos no ambiente de trabalho relacionados a conduta sexual, uma conduta sexual inadequada gera uma justa causa por incontinência de conduta, dar em cima por exemplo, pois se não ha aceitação, a resistência leva a uma situação que eh caracterizada como justa causa.
Aula 4- 20/03
Hipóteses de resolução voluntaria:
1) Despedida indireta, CLT artigo 483. Ha um decreto lei 368/68 que continua em vigor, foi citado pela lei do FGTS 8036/90. Esse decreto criou as seguintes regras: diferença entre mora salarial e mora. Exemplo: os salários de marco devem estar pagos ato o quinto dia útil de abril. Se o empregador atrasar 3 meses ou mais, quer no que tange ao salario e quer no que tange o recolhimento do FGTS, esta em mora contumaz. O decreto coloca restrições ao trabalhador que não cumpre as obrigações trabalhistas. O decreto existe e tem previsão para desestimular o atraso. O empregado, diante dessas circunstancia podem usar o 483 ( despedida indireta) que decorre de uma sentença da justiça do trabalho que tem natureza jurídica constitutiva, eh uma sentença de natureza declaratória de caráter constitutivo. Não só destitui o empregador de relação de emprego como obriga o empregado a pagar o salario. A jurisprudência tem sido bastante conservadora com relação a isso. Tem entendido que o empregado precisa provar o não pagamento de 3 meses de salario, o atraso desses 3 meses, o que eh um sofrimento pro trabalhador, eh injusto para ele. A jurisprudência interpreta esse tempo maior, de 2 a 3 meses de atraso para justificar a resolução indireta. Teria que mostra a gravidade para que possa romper. Obviamente depende do caso concreto. A regra eh que eh preciso que haja gravidade, e esta tem sido interpretada objetivamente por um atraso que tenha pelo menos um tempo, de 2 a 3 meses. A despedida indireta requer uma decisão judicial, tem como requisito o ajuizamento da ação.
2) Culpa reciproca: artigo 484 CLT. Decorre de uma decisão judicial, assim como a despedida indireta. Requer ajuizamento, tem que ser provada perante o devido processo legal. Eh uma forma de terminação do contrato quando o tribunal conclui que empregador e empregado foram culpados. O valor eh reduzido a metade, as indenizações, o aviso prévio ( o mínimo fixado em lei eh de 30 dias), o 13º salario também reduz a metade, as ferias proporcionais também. só não se reduz a metade os direitos já adquiridos, como o salario pelo tempo já trabalhado e as ferias vencidas também serão pagas integralmente. Só reduz a metade as verbas que estão na expectativa da aquisição. O aviso prévio por exemplo, que só ocorre na despedida sem justa causa, mas como na culpa reciproca não se sabe quem deu causa a despedida, reduz-se a metade. Todas as verbas de caráter indenizatório e aqueles que ainda estão para serem adquiridas, ha diminuição de 50%.
Hipóteses de resolução involuntária: 
Por motivo de forca maior: artigo 501/502 CLT. Não de pode transferir ao empregador atos que o homem não tem como evitar. A forca maior se caracteriza pelos atos que o homem não pode evitar e que não concorreu para acontecer. Se eh algo que ele não pode evitar e não concorreu direta ou indiretamente pode levar a uma resolução do contrato de trabalho, não por culpa do empregador mas sim por atos do qual ele não concorreu e não pode evitar, leva a uma forma de desemprego do trabalhador. A lei diz que nesses casos o empregado não esta liberado de receber seus direitos resilitórios mas o empregador eh amenizado quanto ao valor do que vai ter que pagar. Forca maior reduz a indenização devida pelo empregador a metade; o que se reduz? Os 40% do FGTS que vai se reduzir a 20%.Artigo 478 da CLT- o empregado dispensado terá direito de receber do empregador a titulo de indenização uma remuneração por cada ano trabalhado ou fração igual ou superior a 6 meses, isso foi derrogado. Essa indenização da CLT só se aplica a empregados que tenham o direito adquirido já a ela. Exceto os empregados domésticos, todos os empregados são regidos pelo FGTS, logo essa indenização só eh devida como direito adquirido hoje. 
CLT 503
Factum principis: quando pode ato do poder legislativo ou executivo levar a extinção do estabelecimento, da empresa, os empregados perderão o emprego e o órgão do legislativo ou executivo responsável pela terminação do contrato respondera pelas indenizações devidas pela extinção do contrato. 
Morte:
do empregado: extingue-se o contrato. Pois ele trabalha com pessoalidade.
do empregador: não pode haver a morte dele, pois ele eh considerado uma empresa, a hipótese eh do empregador individual, o micro empresário, a própria pessoa física que atua como pessoa jurídica. Ele eh individual, não tem sócios. Se ele morrer a empresa dele não acaba pois ele eh uma pessoa jurídica, então seu espolio substitui o empresário, mas o empregado pode romper o contrato diante da morte do empregador individual, pois ele não eh obrigado a trabalhar com o espolio do morto. Eh faculdade do empregado continuar ou não no trabalho. Ele não tem que dar aviso prévio. 
Rescisão: diz-se que o contrato esta sendo rescindido, quando ha nulidade de caráter de violação da lei, e não a nulidade em razão do objeto, pois esta não gera direitos. Alguém contrato alguém para vender drogas, esse contrato eh nulo, não gera direitos. A ilicitude penal gera a inexistência de direitos trabalhistas. Então, ha determinadas nulidades que geram direitos, por exemplo: um empregador contrata um trabalhador com 11 anos, o contrato eh nulo pois nessa idade ele não pode exercer atividade, eh nulo logo será rescindido e obviamente o empregador respondera pelas respectivas verbas decorrentes desse contrato. Ha casos em que a nulidade só ocorre quando se torna inviável o próprio trabalho, como no caso do trabalhador que tem 17 anos e eh contratado como empregado para trabalho noturno, perigoso ou insalubre. Este contrato será considerado violador de uma norma constitucional. O contrato será rescindido. No primeiro caso o contrato eh nulo, neste segundo não. O homem que trabalha para um bicheiro tem o contrato nulo, não gera direitos trabalhistas, pois eh atividade ilegal não geradora de direito. No caso do menino de 17 anos, o contrato em principio não eh nulo, pois não eh proibido contratar pessoas de 17 anos, mas ele não pode trabalhar naquelas condições, logo será rescindido o contrato. Efeitos do contrato só vai ser gerado quando o objeto do contrato for licito, por exemplo isso não ocorre no caso do bingo, jogo do bicho. 
Aposentadoria: ela não extingue o contrato de trabalho, a aposentadoria que se adquire como uma forma de atingir certas metas ocorre para o homem aos 65 anos ou 35 anos de trabalho, e para a mulher 60 ou 30 anos de trabalho. A aposentadoria por idade terá q ser feita por um ato rescilitorio motivado, não eh justa causa, o empregado recebera todos os direitos trabalhistas. A aposentadoria.
Aula 5 – 22/03/2012
b) Formalidades
→ Homologações/assistência (CLT, arts. 439, 477 e 500): quando o empregado trabalha há mais de um ano na mesma empresa, para a resilição de seu contrato, é obrigatória a assinatura de ma termo: o termo de rescisão do contrato de trabalho. O doméstico, por não ser regido pela CLT, não precisa desse termo (CF, art. 7º). Este termo é o documento onde ele vai discriminar o valor devido ao empregado. O que não estiver no termo de rescisão não será pago. Quando o empregador não paga, cabe ao sindicato ou ao Ministério do Trabalho fazer uma ressalva sobre essa falta de pagamento, e essa ressalva facilitará o trabalho do juiz. O empregador terá assistência ou do sindicato ou do Ministério do Trabalho (não há ordem entre esses dois). Quando não existir sindicato ou órgão do Ministério do Trabalho, quem fará isso será o MP, por meio do promotor público. Se, por sua vez, não tiver promotor público, a função será