A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
253_2011_11_08_OAB_2011_2___2__FASE___CIVIL_Casos_Concretos_11082011_AULA_02

Pré-visualização | Página 2 de 3

ação fosse preparatória!!!) 
 
 
D) DOS PEDIDOS 
 
Diante do exposto, requer: 
 
a) Seja deferida a medida LIMINARMENTE, nos termos do artigo 804, CPC, com a expedição de 
mandado de Busca e apreensão, entregando-se a criança ao requerente, que exercerá a 
guarda até o final da ação de divórcio; 
b) Caso V. Exa entenda necessária, que seja designada audiência de justificação prévia; 
c) a citação da requerida para, querendo, oferecer resposta no prazo de cinco dias; 
d) AO FINAL, seja a ação julgada procedente, com a confirmação da medida liminarmente 
deferida, e condenação da requerida nas custas processuais e honorários advocatícios. 
 
Dá-se à causa o valor de R$..... (o valor corresponde ao benefício buscado pelo 
requerente...Assim, no arresto é o da dívida; no seqüestro ou busca e apreensão de bens, o 
do montante dos bens, etc...). 
 
Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos, em especial pelo 
depoimento do requerido, sob pena de confissão, testemunhas e tudo o quanto se fizer 
necessário para a efetivação da justiça. 
 
 
Local, data 
advogado 
 
 
 
SIMULADO 
 
 
 
Caso prático: 
 
João Carlos, engenheiro, celebrou contrato de compra e venda do seu veículo com Marcos 
Alencar, comerciante de pequeno estabelecimento na cidade de Belém do São Francisco/PE, 
no ramo de transporte de cargas. O negócio fora aperfeiçoado, com a devida transferência 
do veículo para o nome do comprador, emitindo-se, como forma de pagamento, nota 
promissória de No. 001, série 123, no valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), com 
vencimento para 20 de dezembro de 2011. Decorridos alguns dias da transação, João teve 
notícias de que Marcos Alencar teria posto o estabelecimento à venda, mediante placa que 
OAB 2011.2 - 2ª FASE - CIVIL – 
Casos Concretos 
Andre Mota 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
7 
 
fora nele afixada, com o intuito de mudar sua residência para Petrolina/PE e lá exercer novo 
comércio. João também tomou conhecimento de que Marcos estava dilapidando o seu 
patrimônio, tendo vendido, dentre outros bens, um imóvel situado na Av Beira mar, n. 1500, 
apt. 2001. Percebeu, finalmente, que Marcos colocara anúncio em jornal, manifestando o 
desejo de vender o ultimo bem de seu patrimônio: um caminhão, modelo Mercedes, ano 
2009, avaliado em 70.000,00 (setenta mil reais). Buscando defender o seu direito, João lhe 
procura para, na qualidade de advogado, utilizar do instrumento jurídico adequado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE BELÉM DO SÃO 
FRANCISCO/PERNAMBUCO 
 
 
 
 
 
 
 
 
JOÃO CARLOS, brasileiro, engenheiro, RG- ...,inscrito no CPF sob o número..., 
residente e domiciliado na.....através do advogado que a esta subscreve, constituído nos 
termos da procuração em anexo (doc. 01), vem a presença de vossa excelência, com 
fundamento nos artigos 813 e seguintes do CPC, propor AÇÃO CAUTELAR DE ARRESTO COM 
PEDIDO DE LIMINAR, em face de MARCOS ALENCAR, brasileiro, solteiro, comerciante, RG-, CPF 
inscrito sob o número...., residente e domiciliado na....., nos seguintes termos: 
OAB 2011.2 - 2ª FASE - CIVIL – 
Casos Concretos 
Andre Mota 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
8 
 
 
 
 
A) FATOS 
 
1. O Requerente é credor de quantia certa, no valor de R$ R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), de 
acordo com nota promissória que segue em anexo (doc. 02), regularmente emitida pelo 
requerido e cujo vencimento se dará no dia 20 de dezembro de 2011; 
 
2. De acordo com comentários locais, o requerido está para transferir sua residência e exercer 
novo comércio na cidade de Petrolina, estado de Pernambuco. Tal fato, inclusive, pôde ser 
confirmado na medida em que fora colocada placa de “venda” na portaria do seu atual 
estabelecimento; 
 
3. Diante disso, o requerido vem praticando atos de disposição patrimonial, já tendo, inclusive, 
alienado um imóvel situado na Av.Beira Mar (doc. 03), só dispondo, agora, de um caminhão, 
modelo Mercedes, ano 2009, avaliado em R$ 70.000,00 (setenta mil reais), mas que também já 
fora colocado à venda, conforme atesta cópia dos classificados do jornal local (doc. 04); 
 
4. Efetivada a venda do veículo, o devedor não terá qualquer bem que garanta o 
adimplemento da dívida acima mencionada. 
 
 
B) DO DIREITO 
 
 
DO “FUMUS BONI IURIS” 
 
5. A plausibilidade do direito do requerente é constatada na medida em que o mesmo é credor 
da quantia certa no valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), representada pela nota 
promissória de número 001 série 123, emitida pelo requerido após venda de automóvel marca 
Pajero, modelo 2009. 
 
 
DO PERICULUM IN MORA 
 
6. Apesar do requerente ser credor de quantia líquida e certa, a mesma ainda não é exigível, 
motivo pela qual ainda não pode o mesmo ajuizar a competente demanda executiva; 
 
7. Ocorre que a espera do vencimento da dívida, sem adoção de qualquer meio de proteção, 
poderá acarretar na frustração da futura execução de quantia; 
 
8. Sendo assim, com o objetivo de assegurar o seu direito, vem o requerente pleitear o Arresto 
do referido caminhão, nos termos do artigo 813, do CPC. 
 
 
C) A LIDE E SEU FUNDAMENTO 
 
OAB 2011.2 - 2ª FASE - CIVIL – 
Casos Concretos 
Andre Mota 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
9 
 
Pretende o requerente ajuizar futura ação de execução por quantia certa de título 
extrajudicial. 
 
 
D) DOS PEDIDOS 
 
Diante do exposto, requer: 
 
a) Seja deferida a medida LIMINARMENTE, nos termos do artigo 804, CPC; 
b) Caso V. Exa entenda necessária, que seja designada audiência de justificação prévia; 
c) a citação do requerido para, querendo, oferecer resposta no prazo de cinco dias; 
d) AO FINAL, seja a ação julgada procedente, com a confirmação da medida liminarmente 
deferida, e condenação do requerido nas custas processuais e honorários advocatícios. 
 
Dá-se à causa o valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais). 
 
Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos, em especial pelo 
depoimento do requerido, sob pena de confissão, testemunhas e tudo o quanto se fizer 
necessário para a efetivação da justiça. 
 
 
Local, data 
advogado 
 
 
 
 
 
Simulado: 2ª questão: 
 
 
Ana Luíza propôs ação cautelar preparatória de seqüestro em face Francisco Penante, 
alegando que o mesmo, inconformado com a separação de fato, está dilapidando os bens do 
casal. Conclusos os autos para o juízo de admissibilidade da inicial, o magistrado resolveu 
indeferir a liminar, por achar que, naquele momento, não estavam presentes os requisitos 
autorizadores da medida cautelar. Decorridos mais de trinta dias sem que Ana Luíza 
propusesse a ação principal de divórcio, resolveu o mm. Juízo extinguir o processo cautelar. 
Pergunta-se: o magistrado agiu corretamente? 
 
 
O magistrado não agiu corretamente. Sendo a ação cautelar preparatória, a parte deverá 
propor a ação principal no prazo de 30 dias, contados da data da efetivação da medida, nos 
termos do que preceitua o artigo 806, CPC. 
No caso em tela, no entanto, percebe-se que a medida não fora efetivada, ante o 
indeferimento da liminar pleiteada. 
Portanto, não há que se falar em medida que restrinja direito do requerido, a ponto de 
justificar o início do prazo decadencial aludido para a propositura da demanda principal. 
 
 
OAB 2011.2 - 2ª FASE - CIVIL – 
Casos Concretos 
Andre Mota 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
10