A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Animação 2D Digital Unidade I

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANIMAÇÃO 2D DIGITAL – UNIDADE I
Texto introdutório
“À medida em que as produções em 2D diminuíram, os animadores tradicionais começaram a migrar para a computação gráfica (CG). No entanto, no início dos anos 90, artistas que tinham habilidades tradicionais de animação e estavam dispostos a trabalhar em um computador ainda eram muito raros. Naquele momento, não haviam animadores tradicionais suficientes para fazer a transição para o computador. Muitos artistas 2D eram contra o computador. A demanda desses artistas tradicionais em CG era alta e a oferta, baixa. Como os artistas tradicionais avaliaram a opção de migrar para o computador, os artistas de computação gráfica treinados como animadores no computador por anos ficaram frustrados com a idéia de que talvez precisassem voltar à escola para aprender animação tradicional, apenas para competir com os artistas tradicionais que migravam para a CG. Ironicamente, nesse momento, os animadores de CG enfrentavam os mesmos medos que os animadores de 2D, pensando: "Passei anos em uma carreira que amo e agora talvez precise voltar à escola apenas para conseguir um emprego!"
Avaliação dissertativa
A situação apresentada acima retrata o mercado de animação americano durante a chegada da computação gráfica. De acordo com esse texto, e com as considerações apontadas nesta unidade sobre o advento da tecnologia digital nas produções animadas, reflita sobre a necessidade de desenvolver a habilidade de desenhar em uma época repleta de recursos automatizados.
Pra quê estudar?
A importância de estudar a habilidade de desenhar enquanto há tantos recursos automatizados que facilitam a vida do profissional, se dá ao fato de que saber os fundamentos e as origens da animação são conhecimentos que agregam ao estudante profissionalmente, e ao projeto artisticamente. 
 Devido aos mais diversos tipos de animações que temos hoje, não recomenda-se que essa habilidade seja descartada, pois nunca se sabe quando será necessária. Dois exemplos de inovações em animações ao aplicar conceitos “antigos” é a animação Klaus, que utiliza de efeitos de luz e sombra para dar um ar de 3D a uma animação em 2D (esse projeto foi inspirado nas animações clássicas da Disney) e Homem-Aranha no Aranhaverso, que apesar de ser uma animação 3D, bebe muito das origens do personagem, nos quadrinhos, ao apresentarem personagens tridimensionais com linhas de contorno, como em uma revista em quadrinhos ou um desenho 2D. 
Ambos projetos utilizam de técnicas e fundamentos antigos para inovar os conceitos de animação, e isso não seria possível se esses artistas não tivessem conhecimento desses fundamentos, como a habilidade de Desenhar, por exemplo.
A animação, como é uma área que envolve tecnologia, é um campo que evolui muito rápido, ou seja, o artista deve estar sempre em busca de conhecimento, para aprender novas técnicas, técnicas antigas das quais ele não possua conhecimento, novos softwares, etc. Tudo necessário para se manter atualizado e relevante no mercado de trabalho, caso contrário, ele ficará pra trás, e conseguirá realizar pouquíssimos serviços.
Devemos nos mover conforme a maré, no quesito de buscar conhecimento, sempre buscando cada vez mais, pois já dizia Thomas Edison: “Mostre-me um homem 100% satisfeito e eu lhe mostrarei um fracassado”.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.