A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
37 pág.
DJi - Prescrição

Pré-visualização | Página 13 de 14

Fiscalização, Processo Administrativo e de Consulta - DL-
002.052-1983
Art. 21, Disposições Gerais - Ação Popular - L-004.717-1965
Art. 47 Regularização, Administração, Aforamento e Alienação de
Bens Imóveis de Domínio da União - L-009.636-1998
Art. 124, Espécies de Prescrição, Art. 125, Prescrição da Ação
Penal, Art. 125, § 2º, Termo Inicial da Prescrição da Ação Penal,
Art. 125, § 4º, Suspensão da Prescrição, Art. 125, §§ 5º e 6º,
Interrupção da Prescrição - Prescrição da Ação Penal e Art. 126
e §§, Prescrição da Execução da Pena ou da Medida de
Segurança que a Substitui, Art. 127, Prescrição no Caso de
Reforma ou Suspensão de Exercício, Art. 128, Disposições
Comuns a Ambas as Espécies de Prescrição, Art. 129, Redução
da Prescrição, Art. 130, Imprescritibilidade das Penas Acessórias,
Art. 131, Prescrição no Caso de Insubmissão, Art.
132, Prescrição no Caso de Deserção e Art. 133, Declaração de
Ofício - Extinção da Punibilidade - Código Penal Militar - CPM -
DL-001.001-1969
Art. 202, Causas que Interrompem a Prescrição - Prescrição -
Prescrição e Decadência - Fatos Jurídicos - Código Civil - CC -
L-010.406-2002
Art. 295, IV, Indeferimento da Oetição Inicial - Petição Inicial -
Procedimento Ordinário - Processo de Conhecimento - Código de
Processo Civil - CPC - L-005.869-1973
Art. 563, Ajuste e Soldadas dos Oficiais e Gente da Tripulação,
Seus Direitos e Obrigações - Comércio Marítimo - Código
Comercial - L-000.556-1850
Art. 638 e Art. 660, Contrato de Dinheiro a Risco ou Câmbio
Marítimo e Art. 667, 1, 9 e 10, Natureza e Forma do Contrato de
Seguro Marítimo - Seguros Marítimos e Art. 764 e Art. 766,
Natureza e Classificação das Avarias - Avarias - Comércio
Marítimo - Código Comercial - L-000.556-1850
Art. 762, § 2º, Avaria a Cargo do Segurador e Art. 765, Avarias -
Código de Processo Civil (antigo) - DL-001.608-1939
Decadência e Prescrição - Disposições Gerais - Administração
das Contribuições - Contribuição para o PIS/Pasep e Cofins
Devidas pelas Pessoas Jurídicas - D-004.524-2002 -
Regulamento
Decadência e prescrição - Qualidade de produtos e serviços,
prevenção e reparação dos danos - Direitos do consumidor -
Código de defesa do consumidor - L-008.078-1990
Extinção das obrigações - Falências - DL-007.661-1945
Imprescritibilidade - Princípios Gerais de Direito Penal - Estatuto
de Roma do Tribunal Penal Internacional - D-004.388-2002
L-012.234-2010 - Código Penal - Prescrição Retroativa -
Al6teração
Normas Processuais e Prescrição de Ações - Convenção Relativa
aos Danos Causados a Terceiros na Superfície por Aeronaves
Estrangeiras - D-052.019-1963
Prazo Prescricional para a Punibilidade de Profissional Liberal, por
Falta Sujeita a Processo Disciplinar, a ser Aplicada por Órgão
Competente - L-006.838-1980
Prescrição - Cheque - L-007.357-1985
Prescrição - Comércio em geral - Código comercial - L-000.556-
1850
Prescrição das ações contra a Fazenda Pública - DL-004.597-
1942
Prescrição - Decadência e Prescrição - Disposições Gerais -
Administração das Contribuições - Contribuição para o PIS/Pasep
e Cofins Devidas pelas Pessoas Jurídicas - D-004.524-2002 -
Regulamento
Prescrição - Infrações da ordem econômica - Antitruste - L-
008.884-1994
Prescrição - Lei uniforme relativa ao cheque - Convenções para
adoção de uma lei uniforme em matéria de cheques - D-057.595-
1966
Prescrição - Letras - Lei uniforme relativa às letras de câmbio e
notas promissórias - Convenções para adoção de uma lei uniforme
em matéria de letras de câmbio e notas promissórias - D-057.663-
1966
Disposições Penais - Sanções Aplicáveis aos Agentes Públicos
nos Casos de Enriquecimento Ilícito no Exercício de Mandato,
Cargo, Emprego ou Função na Administração Pública Direta,
Indireta ou Fundacional - L-008.429-1992
Regime de Prescrição - Convenção Sobre o Combate da
Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações
Comerciais Internacionais - D-003.678-2000
Releva de Prescrição as Ações que Deveriam Ter Sido Propostas
Durante a Guerra por Brasileiros Nela Empenhados - L-000.019-
1947
Fatos jurídicos
Pessoas - Bens - Direito das obrigações - Direito de empresa - Direito
das Coisas - Direito de Família - Direito das Sucessões
Prescrição Qüinqüenal - Prescrição Quinqüenal - D-020.910-1932
 Observar a atual CF em seu Art. 7º, XXIX. Como se percebe, para o trabalhador urbano, o prazo
prescricional da ação trabalhista passa para cinco anos, o que derroga o Art. 11 da CLT, que dispunha:
"Não havendo disposição especial em contrário nesta Consolidação, prescreve em 2 (dois) anos o direito de
pleitear a reparação de qualquer ato infringente de dispositivo nela contido" (artigo da CLT reformado pela
Lei 9.658-98). Para o regime prescricional anterior, denominado prescrição bienal, previsto no dispositivo
supra, o dies a quo do prazo respectivo era o do ato infringente do direito, instituindo a regra da prescrição
parcial ou das prestações periódicas, contado tal prazo, sempre, a partir da data em que a lesão ao direito
ocorrera.
 Agora, o prazo de prescrição da ação trabalhista, para o trabalhador urbano, passa para cinco anos,
contados da data da lesão ao direito, mantido, portanto, o critério anterior. O empregado tem o prazo de
cinco anos, no transcorrer do contrato de trabalho, para pleitear seus direitos.
 Percebe-se que, a partir de agora, o reclamante poderá pedir verbas atrasadas de cinco anos, e não
apenas de dois anos, como ocorria no regime do Art. 11 da CLT. Em suma, a atual CF limitou-se a ampliar
o prazo prescricional contido no Art. 11 da CLT. Importante observar, entretanto, com Amauri Mascaro
Nascimento, que, havendo extinção do contrato de trabalho, passará a correr, daí por diante, o prazo fatal
de dois anos para que possa ser reclamado algum direito do contrato de trabalho.
 Decorridos os dois anos, fica definitivamente afastado o direito de ação sobre vantagens do contrato de
trabalho que se extinguiu. A regra supra, continua o ilustre laboralista, necessita de um esclarecimento. Com
o prazo de dois anos após o desligamento do trabalhador, não foi fixada uma nova regra. Não se deve
entender outra coisa senão que o empregado, extinto o contrato, terá dois anos para qualquer reclamação. É
claro que, se o empregado deixar para reclamar depois de ultrapassados dois anos, ficará totalmente
prejudicado.
 Se houver demora na propositura da reclamação, ficará parcialmente prejudicado, porque os atrasados
pleiteáveis serão menores.
 Exemplifique-se com a hipótese de reclamação de diferenças salariais proposta um ano após o
desligamento. Nesse caso, os atrasados serão de quatro anos, diante da demora de um ano na reclamação
(Direito do Trabalho na Constituição de 1988, São Paulo, Saraiva, 1989, p. 215). Concluindo: a atual CF
auto limitou sua retroatividade, de modo que os direitos nela previstos não favorecem os empregados cujos
contratos foram extintos anteriormente à sua promulgação.
(jurisprudência)
- Ação de Cobrança do Crédito Previdenciário Contra a Fazenda Pública - Prescrição Qüinqüenal - Súmula
nº 107 - TFR
- Demanda - Desvio Funcional e Reenquadramento - Prescrição - Enunciado nº 275 - TST
- Execução Fiscal - Não Localizados Bens Penhoráveis - Suspensão do Processo - Prazo da Prescrição
Qüinqüenal Intercorrente - Súmula nº 314 - STJ
- Prescrição das Prestações Anteriores ao Período Previsto em Lei - Inocorrência - Súmula nº 443 - STF
- Prescrição em Favor da Fazenda Pública - Interrupção - Contagem de Recomeço do Termo Inicial -
Súmula nº 383 - STF
- Prescrição Intercorrente - Paralisação da Ação Rescisória - Contagem do Prazo - Súmula nº 264 - STF
- Prescrição Qüinqüenal da Ação Trabalhista - Enunciado nº 308 - TST
- Prescrição - Termo Inicial - Término do Processo Administrativo - Pretensão da Administração Pública de
Promover a Execução da Multa por Infração Ambiental - Súmula nº 467 - STJ
- Qüinqüênio - Auto de Infração ou Notificação de Lançamento - Crédito Tributário - Prazo Prescricional -
Suspensão - Recursos Administrativos - Súmula nº 153 - TFR