A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
184 pág.
aULA_4_Revista_Espaco

Pré-visualização | Página 1 de 50

�
Informativo Técnico-Científico Espaço, INES - Rio de Janeiro, n. 25/26, p.�, janeiro - dezembro/2006
SUMÁRIO
INES
ESPAÇO
JAN-DEZ/06
12
Editorial
Espaço: informativo técnico-científico do INES.
nº 25 (jan/jun 2006) - Rio de Janeiro: INES, 2006.
v. Semestral
ISSN 0103/7668
1. Surdos - Educação - Periódicos. I. Instituto 
Nacional de Educação de Surdos (Brasil). II. Título: 
Informativo técnico-científico do INES
CIP - Brasil. Catalogação na fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, RJ
CDD-371.92
CDU-376.33
94-0100
3
Espaço Aberto
Features of deaf-blindness and hearing 
and vision combined impairments
Ulf Rosenhall
4
A política de inclusão 
escolar no Brasil: pensando no caso dos 
surdos
Vera Regina Loureiro
12
Debate
Políticas lingüísticas: o impacto do 
decreto 5626 para os surdos brasileiros
Ronice Müller de Quadros /
Uéslei Paterno
19
Anotações sobre língua, 
cultura e identidade: um convite ao 
debate sobre políticas lingüísticas
Alexandre do Amaral Ribeiro
26
Políticas públicas para a inserção da 
LIBRAS na educação de surdos
Tanya Amara Felipe
33
Atualidades 
em Educação
A política de cotas raciais nas 
universidades públicas brasileiras: a 
ética das cotas no olhar dos cotistas
Ana Paula Bastos Arbache
48
Wikipédia – a enciclopédia colaborativa 
como ferramenta de estímulo à pesquisa
Beatriz Cintra Martins
68
Notas sobre a criatividade na prática pedagógica
Kátia Regina Xavier da Silva
135
El bilingüismo em la solución de problemas 
matemáticos en la educación del deficiente
Willian Yera Díaz / Pablo Angel Martinez Morales /
Lismay Pérez Rodríguez
148
Currículo-sem-fim: uma análise pós- 
crítica da formação continuada
Monique Franco/Rita Leal
82
Disciplina e castigos corporais nas 
escolas do Rio de Janeiro – 
século XIX
Luiz Fernando Conde Sangenis
98
Reflexões sobre a prática
Educação de surdos: análise de uma intervenção em 
escola pública
Denise Nicolucci/Tárcia Dias
115
Caracterização das ações de triagem auditiva 
neonatal no Brasil
Indiara de Mesquita Fialho / Débora Frizzo Pagnossim / 
Jeane Massarolo Neto / Nauana F Silveira
154
161
Formação de professores surdos no curso de 
Pedagogia:
análise da prática docente e do intérprete de Língua 
Brasileira de Sinais
Diléia Aparecida Martins / Elvira Cristina Martins Tassoni
INES
ESPAÇO
JAN-DEZ/06
�
Informativo Técnico-Científico Espaço, INES - Rio de Janeiro, n. 25/26, p.2, janeiro -dezembro/2006
SUMÁRIO
 
ISSN 0103-7668
ESPAÇO é um informativo técnico-científico de Educação Especial para profissionais da área da surdez. 
Os trabalhos publicados em ESPAÇO podem ser reproduzidos desde que citados o autor e a fonte.Os traba-
lhos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores.
	 GOVERNO		DO	BRASIL	-	PRESIDENTE	DA	REPÚBLICA	 Luiz Inácio Lula da Silva
	 MINISTÉRIO	DA	EDUCAÇÃO Fernando Haddad
	 SECRETARIA	DE	EDUCAÇÃO	ESPECIAL Claudia Pereira Dutra 
	 INSTITUTO	NACIONAL	DE	EDUCAÇÃO	DE	SURDOS Stny Basilio Fernandes dos Santos
	 DEPARTAMENTO	DE	DESENVOLVIMENTO	HUMANO,	CIENTÍFICO	E	TECNOLÓGICO	 Alexandre Guedes Pereira Xavier
	 COORDENAÇÃO	DE	PROJETOS	EDUCACIONAIS	E	TECNOLÓGICOS	 Alvanei dos Santos Viana
	 DIVISÃO	DE	ESTUDOS	E	PESQUISAS Leila de Campos Dantas Maciel
	 EDIÇÃO Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES Rio de Janeiro – Brasil
CONSELHO	EXECUTIVO
Drª Leila Couto Mattos(INES) - Esp. Marilda Pereira de Oliveira (INES) - Esp. Mônica Azevedo de Carvalho Campello (INES) - Drª Monique Mendes Franco (INES/UERJ)
CONSELHO	EDITORIAL
Ms. Alexandre Guedes Pereira Xavier (Ministério do Planejamento- MEC/INES) - Drª Cristina Lacerda (UNIMEP)
Drª Leila Couto Mattos (INES) - Ms. Maria Marta Ferreira da Costa Ciccone (INES) - Drª Monique Mendes Franco (INES/UERJ)
Drª Elizabeth Macedo (UERJ) - Dr. Luiz Behares (Universidade de Montevidéu) - Dr. Henrique Sobreira (UERJ/ FEBF) - Drª Regina Maria de Souza (UNICAMP)
Drª Sandra Corraza (UFRGS) - Drª Rosana Glat (UERJ) - Drª Tânia Dauster (PUC/RJ) - Drª Mônica Pereira dos Santos (UFRJ) - Dr.Victor da Fonseca (Universidade Técnica de Lisboa)
CONSELHO	DE	PARECERISTAS	Ad Hoc
Drª Azoilda Loretto (SME/RJ) - Drª Eliane Ribeiro (UNIRIO) - Drª Estela Scheimvar - (UERJ/FFP) - Dr. Eduardo Jorge Custódio da Silva (FIOCRUZ) - Drª Maria da Graça Nascimento (SME/RJ)
Drª Iduina Chaves (UFF) - Dr. José Geraldo Silveira Bueno (PUC-SP) - Drª Marlucy Paraíso (UFMG) - Drª Maria Cecilia Bevilacqua (USP) - Drª Maria Cristina Pereira (DERDIC)
Drª Nidia Regina de Sá (UFBA) - Dr. Ottmar Teske (ULBRA) - Dr. Pedro Benjamin Garcia (UCP) - Drª Ronice Müller de Quadros (UFSC)
Drª Rosa Helena Mendonça (TVE-BRASIL) - Drª Tanya Amara (UFP) - Drª Vanda Leitão (UFC)
DIAGRAMAÇÃO - g-dés • IMPRESSÃO - Vergraf • TIRAGEM - 7.500 exemplares • REVISÃO - José Humberto Serra de Oliveira
“O difícil são as palavras”: Representações de/sobre estabelecidos e outsiders 
na escolarização de jovens e adultos surdos
Wilma Favorito
173
Resenha de Livros175
Material Técnico-Pedagógico 178
Agenda179
“Um olho no professor surdo e outro na caneta”: ouvintes aprendendo a 
língua brasileira de sinais (LIBRAS)
Audrei Gesser
171 Produção Acadêmica
Visitando o acervo do Ines
Uma visitante ilustre: 
Cecília Meireles entre a política e a poética no Instituto Nacional de Surdos-Mudos 
Solange Maria da Rocha
169
�
Informativo Técnico-Científico Espaço, INES - Rio de Janeiro, n. 25/26, p.�, janeiro - dezembro/2006
EDITORIAL
INES
ESPAÇO
JAN-DEZ/06
O surdo e o mundo. Durante muito tempo, o surdo foi percebido como um ser à margem da existência 
comum. Como se o mundo, com o som, a música, fosse lugar de liberdade, alegria, e o surdo vivesse confi-
nado na tristeza de não ser como os outros. Uma percepção construída pela visão do ouvinte. Mas será que 
hoje o surdo é outro, porque se afirma como diferente? Será que hoje o mundo é outro, porque se diz aberto 
às diferenças?
Algumas dessas questões são tratadas nesta Edição Comemorativa de Espaço, fruto de uma renovação 
nos quadros de seus Conselhos Executivo, Editorial e de Pareceristas. Na presente Edição, além de saudar os 
reconhecidos profissionais e pesquisadores que passaram a integrar esta Publicação, celebramos a Regula-
mentação da Lei de LIBRAS, por meio do Decreto Presidencial nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005 – uma 
conquista de todos os que lutam pela causa dos Surdos. 
Em Features of Deaf-Blindness..., constatamos que a prevalência de casos de surdocegueira é bem maior 
em países pobres ou em desenvolvimento, como o nosso, em que infecções evitáveis, como a rubéola, ainda 
são comuns. Programas de atenção nutricional ampliam a taxa de sobrevivência de crianças recém-nasci-
das, mas, ao sobreviver, tais crianças passam a sofrer influência de fatores ambientais causadores de surdo-
cegueira, ainda presentes. 
A Política de Educação Escolar... questiona a inclusão escolar por que esta, segundo a autora, reduz o 
processo de integração social à dimensão educacional; desloca o foco da crise educacional e sujeita pessoas 
com diferentes condições (surdas, cegas, etc.) a uma única proposta educacional, sem atentar especificida-
des. A autora propõe que as políticas públicas encarem as comunidades surdas como minoria lingüística; 
que os surdos participem das decisões e ações de políticas lingüísticas e educacionais e que se pense uma 
educação bilíngüe-bicultural como alternativa às políticas vigentes. 
São questionamentos próximos dos artigos presentes em Debate, com o tema Políticas Lingüísticas. 
Persistem, no Brasil, segundo alguns autores, mitos e barreiras que dificultam o desenvolvimento de prá-
ticas condizentes com uma realidade plurilíngüe e multicultural. Fazer a discussão e mudar as práticas 
revela-se importante no processo de constituição