A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
189 pág.
964_Apostila_2__fase_CERS___Sabrina_Dourado_2011_2__1_

Pré-visualização | Página 11 de 50

na inicial pedidos cumulativos, alternativos ou sucessivos. 
 
Há pedidos cumulativos quando a inicial contém mais de um pedido. O artigo 292 estabelece: 
 
Art. 292. É permitida a cumulação, num único processo, contra o mesmo réu, de vários 
pedidos, 
ainda que entre eles não haja conexão. 
§ 1º -São requisitos de admissibilidade da cumulação: 
I -que os pedidos sejam compatíveis entre si; 
II -que seja competente para conhecer deles o mesmo juízo; 
III -que seja adequado para todos os pedidos o tipo de procedimento. 
§ 2º -Quando, para cada pedido, corresponder tipo diverso de procedimento, admitir-se-á a 
cumulação, se o autor empregar o procedimento ordinário. 
 
No caso de pedidos alternativos, o autor pede que o juiz acolha um ou outro dos pedidos 
formulados, o que pode ser necessário em razão da natureza da obrigação afirmada. O artigo 
288 estabelece: 
 
O pedido será alternativo, quando, pela natureza da obrigação, o devedor puder cumprir a 
prestação de mais de um modo. 
Parágrafo único. Quando, pela lei ou pelo contrato, a escolha couber ao devedor, o juiz lhe 
assegurará o direito de cumprir a prestação de um ou de outro modo, ainda que o autor não 
tenha formulado pedido alternativo. 
 
Há pedidos sucessivos quando o autor formula um pedido principal e outro, para o caso de não 
ser acolhido o primeiro. 
 
 
 O valor da causa 
 
 
O valor da causa, a que se refere o inciso V, pode ser importante para fins de determinação do 
órgão competente, do procedimento a ser observado, dos recursos cabíveis e do valor da taxa 
judiciária, das custas, da condenação em honorários advocatícios e multas. 
O valor da causa "é o 'quanto' representativo', precisado e estipulado pelo autor em moeda 
corrente nacional, ao tempo da propositura da ação, e atribuído na petição inicial, 
considerando-se, para sua fixação, regras ditadas na Lei Instrumental Civil (art. 295) ou 
fazendo-se sua estipulação criteriosamente, quando assim é facultado" 
“Não constitui violação ao art. 282, V, do CPC a não extinção de processo sem apreciação do 
mérito, se a omissão em indicar o valor da causa não acarretar qualquer prejuízo às partes” 
(STJ, 1998). 
 
 
APOSTILA DA OAB 2ª FASE- PARTE I 
Profª SABRINA DOURADO 
Coord. CRISTIANO SOBRAL 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
32 
 
 As provas com que o autor pretende demonstrar a verdade dos fatos alegados 
 
 
Na petição inicial, "deverá o autor indicar de maneira especificada as provas que pretende 
demonstrar o fato constitutivo do seu direito alegado, não bastando requerer ou muito menos 
protestar genericamente pela 'produção de todos os meios de prova admitidos em direito'" 
A falta de indicação das provas que pretende produzir pode autorizar o julgamento antecipado 
da 
lide, dispensada a audiência de instrução. 
 
 
 O requerimento para a citação do réu 
 
 
O requerimento de citação do réu atende fortemente ao princípio dispositivo. Não é o juiz que 
chama o réu a juízo, mas o autor, através do juiz. 
“A circunstância de não se ter requerido a citação não haverá de conduzir à nulidade do 
processo se aquela foi feita e atendida pelo réu, não se podendo colocar em dúvida que se 
postulava prestação jurisdicional” (STJ, 1994 ). 
Constitui ônus do autor o adiantamento das custas referentes à citação do réu, sem o que ela 
não se efetivará. 
 
 
 Documentos indispensáveis à propositura da ação (art. 283) 
 
Não se exige que o autor ofereça, de imediato, todos os documentos em seu poder, mas 
apenas os “indispensáveis à propositura da ação”. 
 
 O artigo 39,I, do CPC traz, ainda, a exigência da indicação do endereço profissional do 
advogado para onde deverão ser remetidas as intimaçãoes. 
 
 
 
 
 
EMENDA 
 
 
Deparando-se o juiz com petição inicial defeituosa, deve determinar que o autor a emende ou 
complete. É o que dispõe o artigo 284. Não cumprindo o autor a diligência, indefere a inicial 
(art. 284, parágrafo único), caso em que se extingue o processo, por sentença, apelável. 
Ao determinar a emenda da inicial, deve o juiz indicar o defeito de que padece, para que o 
autor 
saiba o que deve corrigir. 
 
 
APOSTILA DA OAB 2ª FASE- PARTE I 
Profª SABRINA DOURADO 
Coord. CRISTIANO SOBRAL 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
33 
 
INDEFERIMENTO DA INICIAL 
 
 
O artigo 295 estabelece: 
 
 
Art. 295. A petição inicial será indeferida: 
 
I -quando for inepta; 
II -quando a parte for manifestamente ilegítima; 
III -quando o autor carecer de interesse processual; 
IV -quando o juiz verificar, desde logo, a decadência ou a prescrição (art. 219, § 5o); 
V -quando o tipo de procedimento, escolhido pelo autor, não corresponder à natureza da 
causa, ou ao valor da ação; caso em que só não será indeferida, se puder adaptar-se ao tipo de 
procedimento legal; 
VI -quando não atendidas as prescrições dos arts. 39, parágrafo único, primeira parte, e 284. 
Parágrafo único. Considera-se inepta a petição inicial quando: 
I -lhe faltar pedido ou causa de pedir; 
II -da narração dos fatos não decorrer logicamente a conclusão; 
III-o pedido for juridicamente impossível; 
IV-contiver pedidos incompatíveis entre si. 
Recebida a inicial e citado o réu, já não cabe indeferimento da inicial, podendo, porém, 
decretar-se a extinção do processo por inépcia da inicial. 
 
 
O Art. 285-A 
 
O art. 285-A foi inserido no CPC pela Lei nº 11.277/06. Seu teor é o seguinte: 
 
Art. 285-A. Quando a matéria controvertida for unicamente de direito e no juízo já houver sido 
proferida sentença de total improcedência em outros casos idênticos, poderá ser dispensada a 
citação e proferida sentença, reproduzindo-se o teor da anteriormente prolatada. 
§ 1º. Se o autor apelar, é facultado ao juiz decidir, no prazo de cinco (5) dias, não manter a 
sentença e determinar o prosseguimento da ação. 
§ 2º. Caso seja mantida a sentença, será ordenada a citação do réu para responder ao recurso. 
Esse dispositivo suscita uma importante reflexão acerca do princípio do contraditório (CF, art. 
5º, 
LV). Não é por outra razão que ele é um dos mais polêmicos no âmbito das últimas reformas 
do 
CPC. 
 
 
APOSTILA DA OAB 2ª FASE- PARTE I 
Profª SABRINA DOURADO 
Coord. CRISTIANO SOBRAL 
 
Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105 
 
34 
 
 
 
 
 
 
MODELO 1 DE PETIÇÃO INICIAL 
 
 
Exmo. Sr. Dr. Juiz de Direito da Vara Cível da Comarca do Jaboatão dos Guararapes – a 
quem a presente vier a ser distribuída. 
 
 
 
 
 
 
CARMELITA DA SILVA, brasileira, solteira, residente e domiciliada na Rua 
____________________, nº 10, apto 100, no bairro da Piedade, município do Jaboatão dos 
Guararapes, Estado de Pernambuco, por seu advogado infra-assinado, conforme instrumento 
procuratório em anexo, com endereço profissional sito na Rua Cel. Anísio Rodrigues Coelho, nº 
464, sala 902, no bairro da Boa Viagem, município do Recife, capital do Estado de Pernambuco, 
local onde receberá as intimações que se fizerem necessárias, vem, pela presente, com arrimo 
nos arts. 282 ss. do CPC, arts. 1º ss. do CDC, e demais dispositivos de lei aplicáveis à matéria, 
propor 
 
AÇÃO ORDINÁRIA COM PEDIDO DECLARATÓRIO E ANTECIPAÇÃO DE TUTELA 
 
contra a NOME DO PLANO DE SAÚDE, estabelecida na Av. ______________, nº 100, 
Centro, município de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, com filial na cidade do Recife, 
capital do Estado de Pernambuco, no endereço sito na Av. _______________, nº 400, loja 100, 
no bairro da Boa Vista, de acordo com os motivos fáticos e jurídicos abaixo aduzidos: 
 
 
DOS FATOS 
 
01. Conforme percebemos através da simples análise da documentação aportada a este 
petitório, as partes firmaram contrato de prestação de serviços médicos, no qual a autora 
figura como beneficiária. 
 
02. A contratação em análise ocorreu de forma regular, com o preenchimento de todos os 
formulários pertinentes, assumindo a peticionária a obrigação de desembolsar