A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
GBI130  aula 3 -MERISTEMAS E SISTEMAS DE FORMAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

1
1
Meristemas e sistemas de 
formação
2
Introdução
• O que são sistemas de formação?
• Importante no crescimento e desenvolvimento 
das plantas.
• Podem ser influenciados pelo ambiente.
3
Do embrião à planta adulta
4
Apezzato-da-Glória & Carmello-Guerreiro (2006).
5
Fundamental
 Meristemas primários Tecidos primários 
 
 Protoderme Epiderme 
 (sistema dérmico) 
 
 
 Meristema Fundamental Tecidos 
Fundamentais 
 (parênquima, colênquima
 e esclerênquima)
 
 Procâmbio Xilema e floema 
primários 
(sistema vascular 
Meristema Apical 
Fundamentais
Procâmbio
Tecidos 
Vasculares
Fundamental
6
• Protoderme, superficial, que origina na 
região diferenciada a epiderme;
• Meristema fundamental que forma tecido 
fundamental, o parênquima e tecidos de 
sustentação 
• Procâmbio que origina os tecidos 
vasculares primários.
2
7
Esquema de embrião com os principais tecidos
Fonte:
CASTRO, E.M. et al.,
Histologia Vegetal: 
Estrutura e Função de 
órgãos Vegetativos 8
Meristemas 
9
Funções e importância
• Os meristemas atuam no crescimento primário 
e secundário da planta.
• Permitem a renovação das células e a 
propagação vegetativa da planta.
• Essenciais no desenvolvimento de órgãos.
10
CÉLULAS MERISTEMÁTICAS INICIAIS
• Tamanho diminuto;
• Morfologia multifacetada e aproximadamente 
isodiamétrico;
• Parede primária delgada;
• Citoplasma denso;
• Ausência aparente de vacúolo;
• Núcleo grande (geralmente 50% da célula). 
11Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/imagem.php
Mitose
Núcleo grande
Figura. Células meristemáticas em divisão. Barra= 10 µm.
12
Ao microscópio eletrônico, a célula 
meristemática se apresenta:
• Numerosos vacúolos de pequena dimensão;
• Proplastídios com pouca ou nenhuma grana;
• Poucos ou nenhum mitocôndrio;
• Retículo endoplasmático. 
3
13
Parede celular
mitocôndrio
Proplastídeo
Plasmodesmo
Núcleo
Nucléolo
Cromossomo
Retículo endoplasmático
Lipídios
Aparato de Golgi
Fote: http://www.fao.org/DOCREP/03650E/03650e01.jpg
Célula Meristemática em microscopia eletrônica
14
As células meristemáticas sempre conservam algumas indiferenciadas. 
Fonte:
CASTRO, E.M. et al.,
Histologia Vegetal: 
Estrutura e Função de 
órgãos Vegetativos
15
Tipos de meristema
• Quanto à Posição:
• Apicais – situados nos ápices (de raiz e caule –
visto nos slides anteriores)
• Intercalares – situados entre tecidos 
permanentes (nos entrenós de poáceas)
• Laterais – lateralmente ao eixo longitudinal 
(Câmbio e Felogênio).
16
Meristemas apicais
17
Fonte:
CASTRO, E.M. et al.,
Histologia Vegetal: 
Estrutura e Função de 
órgãos Vegetativos
Exemplos de ápices de raiz e caule.
18
Meristema apical da raíz
4
19
Esaú (1992).
20
Ápice de raiz de Raphanus sativus (rabanete)
Raven et al. (2004).
21
Raven et al. (2004). 22Raven et al. (2004).
23
Esaú (1992).
24Raven et al. (2004).
5
25Raven et al. (2004). 26
Meristema apical do caule
27Raven et al. (2004). 28Esaú (1992).
29Esaú (1992). 30Esaú (1992).
6
31
Raven et al. (2004).
32Esaú (1992).
33
Meristemas intercalares
• Presentes em caules e folhas. Permitem o 
crescimento em regiões intermediárias.
• Importantes para a recuperação do crescimento 
de poáceas durante a pastagem.
• Tem a atividade modificada em função do 
ambiente. 
34
Exemplo de meristema intercalar
Fonte: http://www.biologia.edu.ar/botanica/tema15/images15/proZea.jpg
Raven et al. (2004).
35
Meristemas foliares
• O desenvolvimento da folha a partir do 
primórdio foliar é dependente de mais de um 
meristema. Os principais são:
• Iniciais apicais.
• Meristema Marginal.
• Meristema da Lâmina.
• Meristema Intercalar.
36Esaú (1992).
7
37
Meristemas Laterais
• Importantes no crescimento secundário.
• Felogênio e Câmbio Vascular.
• Origem em posição lateral no corpo da planta, 
formam-se a partir de tecidos primários.
38
Exemplo de meristemas laterais: 
Felogênio: 
Câmbio Vascular: 
Fonte:
CASTRO, E.M. et al.,
Histologia Vegetal: 
Estrutura e Função de 
órgãos Vegetativos
39
Calos 
• Tecido diferenciado que recobra a capacidade 
de divisão celular (desdiferenciando-se).
• Importante na regeneração de injúrias e na 
biotecnologia vegetal (cultura de tecidos).
• Células possuem característica meristemática.
40
Estrutura dos calos de E. camaldulensis. A= 9 dias, B= 18 dias, C= 45 dias. Barras= 50 µm. 
Lavras, UFLA, 2009.
41
Literatura complementar 
• APPEZATO-DA-GLÓRIA, B.; CARMELO-GUERREIRO, 
S.M. (Eds.). Anatomia vegetal. Viçosa, MG: UFV, 2003. 
438p.
• CASTRO, E. M.; PEREIRA, F. J.; PAIVA, R. Histologia 
vegetal: estrutura e função de órgãos vegetativos. Lavras: 
UFLA, 2009. 234 p.
• ESAU, K. Anatomia das plantas com sementes. São Paulo: 
E. Blucher; Edusp, 1992. 293p.
• RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHHORN, S. Biologia 
Vegetal. 6ª ed., Seropédica: Guanabara-Koogan, 2001. 738 p.