A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Elementos acidentais dos negócios jurídicos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Elementos acidentais dos negócios jurídicos: 
condição, encargo e termo
Conceito de elementos acidentais: cláusulas 
acessórias, modificam o conteúdo por uma vontade 
das partes. São elementos facultativos porque o 
negócio poderia existir sem eles. 
 “o negócio jurídico consiste no exercício da 
autonomia privada. Isso significa que, nos limites 
estabelecidos pelas regras e princípios jurídicos 
positivados na lei, os sujeitos de direito têm 
liberdade para, p. ex., estabelecer critérios que irão 
interferir no exercício dos direitos e no 
cumprimento das obrigações que constituem a 
eficácia jurídica do negócio. Assim, é lícito às partes 
modular (ou autolimitar) a declaração de vontade 
com clausulas quem uma vez eficazes, suspendem 
ou extinguem o exercício de um direito ou impõem 
determinada obrigação a uma (ou ambas) as partes. 
Temos, assim, a condição, o termo e o encargo, 
como as três espécies de modulações negociais” 
AZEVEDO 
 
Condição 
Conceito: deriva exclusivamente da vontade das 
partes, não deriva de lei, subordina a eficácia do 
negócio jurídico (produção de efeitos), a realização de 
evento futuro ou incerto. Ou, se acontecer um evento 
futuro ou incerto, aquele negócio deixará de produzir 
efeitos 
Art. 121. Considera-se condição a cláusula que, 
derivando exclusivamente da vontade das partes, 
subordina o efeito do negócio jurídico a evento futuro 
e incerto. 
Espécies: 
Suspensiva: enquanto esse evento futuro e incerto não 
acontecer, esse contrato não produz efeitos jurídicos, 
p. ex. pessoa ganhara promoção no trabalho se passar 
no exame da OAB. 
Resolutiva: a partir do momento que o evento incerto 
e futuro acontecer, o contrato deixa de produzir efeitos 
jurídicos, p. ex. alunos que tirar notas abaixo de 7 perde 
bolsa escolar (direito). 
*tem esse nome porque para o direito civil, resolução 
é igual a extinção 
Termo 
Conceito: evento futuro e certo que coloca o início ou 
o fim do exercício de determinado direito. Pode estar 
previsto em lei. (p. ex. morte) 
Art. 131. O termo inicial suspende o exercício, mas não 
a aquisição do direito. 
Prazo: é o lapso temporal que compreende o termo 
final e o inicial. 
Termo inicial: suspende o exercício, mas não a 
aquisição do direito. Ex: João alugou uma casa para 15 
de janeiro. Termo inicial: 15 de janeiro, aquisição já 
tem, mas o exercício só começa dia 15 de janeiro. Está 
esperando a ocorrência do termo, que ai produzira 
efeitos e terá eficácia. A pessoa não podia exercer o 
direito, mas quando começa a contagem sim 
Termo final: momento em que o negócio jurídico 
deixará de produzir efeitos. Ex: João deixara de prestar 
serviços a uma empresa em dezembro 
Art. 135. Ao termo inicial e final aplicam-se, no que 
couber, as disposições relativas à condição suspensiva 
e resolutiva. 
 
Encargo 
Conceito: restrição a certa liberdade que foi concedida. 
Art. 136. O encargo não suspende a aquisição nem o 
exercício do direito, salvo quando expressamente 
imposto no negócio jurídico, pelo disponente, como 
condição suspensiva. 
Ex: doação para um hospital com a 
restrição de que essa doação seja usada 
para x fim para x pessoas 
Art. 137. Considera-se não escrito o encargo ilícito ou 
impossível, salvo se constituir o motivo determinante 
da liberalidade, caso em que se invalida o negócio 
jurídico. 
Considera-se não escrito: considera-se não existente 
no mundo jurídico.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.