A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
O QUE VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE SABER DE IMUNOLOGIA -INFLAMAÇÃO E IMUNIDADE INATA

Pré-visualização | Página 2 de 2

e também porque uma variedade de sistemas enzimáticos tende a limitar seus efeitos sobre as células. 
Estresse oxidativo. Na ausência ou no esgotamento dos sistemas de defesa anti-oxidantes, pode se estabelecer nas células um estado de ESTRESSE OXIDATIVO (por exemplo, no caso de um DESEQUILÍBRIO entre a produção de SUPERÓXIDO e a sua neutralização por mecanismos antioxidantes celulares, especialmente aqueles envolvendo o peptídeo GLUTATIONE). 
Surto oxidativo. Os diferentes metabolitos ativos de oxigênio e nitrogênio têm várias AÇÕES MICROBICIDAS importantes, e por esta razão são participantes de vários mecanismos da imunidade inata, como por exemplo a destruição de bactérias fagocitadas pelos NEUTRÓFILOS, ou a destruição de parasitos intracelulares como o BACILO DA TUBERCULOSE durante o processo de ativação dos macrófagos infectados. Estas ações microbicidas são possíveis porque as quantidades produzidas são consideravelmente maiores do que as encontradas na ausência de infecção. Isto se explica, em grande parte, por um mecanismo bioquímico distinto: em vez de serem gerados pela respiração mitocondrial, SUPERÓXIDO e outros derivados de oxigênio são produzidos na membrana celular que envolve os fagossomos, difundindo-se em forma concentrada para o compartimento que contém o patógeno. Isto é possível porque um sistema enzimático altamente especializado (conhecido pela sigla PHOX, abreviatura de Phagocyte oxydase, ou oxidase de fagócitos) é ativado durante a fagocitose, na membrana do leucócito. Da mesma forma, óxido nítrico e seus derivados podem ser gerados em grandes quantidades por células fagocíticas, quando estas exprimem uma forma específica de SINTASE DE ÓXIDO NÍTRICO, a chamada iNOS (abreviatura de inducible NO Synthase). iNOS está presente apenas em determinados tipos de leucócitos, em circunstâncias específicas, como após a exposição à citocina Interferon- (IFN-). Como esta induz a produção de mediadores que são essenciais na ação microbicida dos macrófagos ativados, isto explica em parte a atividade, reconhecida há muito tempo, do IFN- como um potente FATOR ATIVADOR DE MACRÓFAGOS, indispensável à defesa contra parasitos intracelulares.