A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
BNCC

Pré-visualização | Página 2 de 2

CONTENDO POSTURAS E PROPOSTAS DE CADA UMA DAS COMPETÊNCIAS GERAIS INDICADAS NA BNCC.
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
O presente estudo possibilitou refletir sobre a importância da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e sua importância para a educação visto que o professor deve estar atento a todas as informações contidas, pois valoriza e utiliza os conhecimentos historicamente construídos, exercita a curiosidade, a investigação a reflexão Além disso, desde as décadas finais do século XX e ao longo deste início do século XXI, o foco no desenvolvimento de competências tem orientado a maioria dos Estados e Municípios brasileiros e diferentes países na construção de seus currículos. 
As decisões pedagógicas devem estar orientadas para o desenvolvimento de competências por meio da indicação clara do que os alunos devem “saber” (considerando a constituição de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores) e, sobretudo, do que devem “saber fazer” o documento propõe uma transformação na atuação do educador: sai de cena o detentor único do saber e entra o mediador, o tutor, que mostra caminhos, orienta e auxilia, mas deixa o aluno trilhar a sua via na construção do conhecimento a adoção de novas ferramentas pedagógicas neste sentido, os professores devem colaborar para que os alunos aprendam em diferentes contextos, aliando o conhecimento ao que os estudantes já sabem, sem padronização da forma de ensinar. Isso exige grande planejamento dos professores, sabendo como os alunos estão o que já conhecem, e no que devem avançar. Falar sobre Base também é falar sobre espaço físico, cuidar das salas e dos espaços abertos, o que confere dignidade e identidade a quem os frequenta.
Assim sendo na relação de ensino estabelecida na sala de aula, o professor precisa ter o entendimento de que ensinar não é simplesmente transferir conhecimento, mas, ao contrário, é possibilitar ao aluno momentos de reelaboração do saber dividido, permitindo o seu acesso critico a esses saberes e contribuindo para sua atuação como ser ativo e crítico no processo histórico-cultural da sociedade. De fato, este é o verdadeiro papel do professor mediador que almeja através da sua ação pedagógica ensinar os conhecimentos construídos e elaborados pela humanidade ao longo da história e assim contribuir na formação de uma sociedade pensante.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
-BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996. 
-BRASIL. Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica; Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão; Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional de Educação; Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC; SEB; DICEI, 2013. 
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. 3. ed. Brasília, 2001
FONTANA, R.A.C. Mediação pedagógica na sala de aula. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.