A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
DEFINIÇÃO DE AGENTE PÚBLICO

Pré-visualização | Página 1 de 1

DEFINIÇÃO DE AGENTE PÚBLICO
Agente público é o gênero da qual ocupam aqueles que possuem uma função Estatal, seja essa função transitória ou permanente, com ou sem remuneração, seja ela junto à Administração Pública Direta ou Indireta (fundações, autarquias, empresas públicas e sociedades de economia mista), ou aquele que trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública. Sendo nesse mesmo sentido o disposto no artigo 327 e parágrafo primeiro do Código Penal, in verbis:
Art. 327 - Considera-se funcionário público, para os efeitos penais, quem, embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública.
§ 1º - Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo, emprego ou função em entidade paraestatal, e quem trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública.
Para Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo[footnoteRef:2] “O agente manifesta uma vontade que, afinal, é imputada ao próprio Estado.” Concluem ainda que, agentes públicos são todas as pessoas físicas que manifestam, por algum tipo de vínculo, a vontade do Estado. [2: 	 ALEXANDRINO, Marcelo; PAULO, Vicente. Direito Administrativo Descomplicado, p.122.] 
Quanto às espécies de agente público, Hely Lopes Meirelles[footnoteRef:3] leciona a existência de cinco, são eles: [3: 	 Ibidem.] 
 - Agentes Políticos, da qual se classificam por ocuparem funções governamentais, que decidem o rumo dos negócios públicos, titulares de cargos estruturais à organização política do País. Exemplos: Presidente, Governador, Prefeito, Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual, Vereador, Ministros de Estado, Secretários Federais, estaduais e municipais.
- Agentes Administrativos são os que estão sujeitos a uma relação profissional com o Estado, além de possuir algum regime jurídico, seja ele estatal, regulado pelo estatuto do servidor público lei de âmbito federal nº 8.112/90 (funcionário ou servidor público), celetistas, registrados mediante contrato trabalhista (empregados públicos), ou ainda aqueles em regime especial da qual são contratados em virtude de uma necessidade temporária e excepcional. Estes agentes são investidos de deveres e poderes de acordo com sua posição hierárquica, na qual representam a maior parte dos agentes públicos, podendo ter sido atribuído da função através de concurso público (cargo efetivo); de livre provimento pelo governo (cargo em comissão), da qual é destinado às atribuições de direção, chefia e assessoramento, em que são exercidos por servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei; em cargos em função de confiança, devendo estes, serem exercidos, conforme o inciso V do artigo 37 da Constituição Federal, exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo; Servidores temporários, contratados por tempo determinado. São exemplos de agente administrativo o escrivão, delegado, oficial de justiça, o policial, entre outros.
- Agentes Honoríficos: São os indivíduos que ocupam temporariamente uma função pública, na qual foram convocados, designados ou nomeados a prestar um serviço ao Estado. Todavia, sem qualquer vínculo empregatício ou estatutário. São exemplos o mesário eleitoral, jurado, advogado dativo que não pertence à Defensoria Pública.
- Agentes Delegados: São compostos por particulares contratados pela administração pública para executarem determinada atividade pública, devendo agir sob as normas do Estado e sua fiscalização. São exemplos os leiloeiros, tradutores, intérpretes, permissionário de obras e serviços públicos e os concessionários. 
- Agentes credenciados: São os indivíduos cadastrados que recebem remuneração, para representar a Administração Pública em determinado ato ou praticarem certas atividades específicas. São exemplos os peritos judiciais e os professores substitutos.
A título de esclarecimento, diferentemente do sistema de classificação exposto, encontramos outros sistemas de classificação, como o lecionado por Celso Antônio Bandeira de Mello[footnoteRef:4] da qual divide os agentes públicos em três categorias: Os agentes políticos; os servidores estatais, abrangendo servidores públicos e servidores das pessoas governamentais de Direito Privado; e os particulares em atuação colaboradora com o Poder Público, ou o sistema de classificação de Maria Sylvia Zanella de Pietro que divide os agentes publico em quatro categorias: agentes políticos; servidores públicos; militares e particulares em colaboração com o poder publico. [4: 	 MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo, p. 244]

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.