Buscar

Avaliação 2- Odonto Saude Coletiva

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

ODONTOLOGIA EM SAÚDE COLETIVA – AVALIAÇÃO 2ª ETAPA
1
Os levantamentos epidemiológicos são definidos como estudos transversais, de prevalência, cujo objetivo é descrever as condições de uma dada população em determinado local e em determinado período de tempo. Em saúde bucal, eles são extremamente importantes, pois fornecem informações básicas sobre a situação de saúde bucal e/ou sobre as necessidades de tratamento odontológico. São utilidades dos levantamentos epidemiológicos em saúde bucal, EXCETO:
(1 Ponto)
Viabilizar o planejamento de politicas de saúde bucal adequadas a realidade epidemiológica local.
Estudar a natureza, distribuição e extensão dos problemas bucais.
Monitorar e subsidiar a avaliação dos serviços de atenção a saúde bucal
Dificultar a determinação das prioridades de atendimento no serviço público de saúde.
2
São índices utilizados para avaliar cárie dentária:
(1 Ponto)
Índice de Dean
Perda de Inserção e Índice de placa
CPO-d e IHOS
CPO-d e ICDAS
3
O modelo da História Natural da Doença define períodos sequenciados para o desenvolvimento de uma doença. Um deles é o período de PRÉ-PATOGÊNESE, que é caracterizado por:
(1 Ponto)
Ser a fase em que as intervenções possíveis são as de prevenção secundária.
Definir a situação em que pode existir lesões, desde que inaparentes.
Delimitar o horizonte clínico.
Incluir as relações entre agente, hospedeiro e meio ambiente, sendo a fase em que se é possível atuação de ações de promoção de saúde e proteção específica.
4
Em relação ao uso da Epidemiologia nos serviços de saúde, marque a alterativa CORRETA:
(1 Ponto)
É regida pela lei 1880 do Ministério da saúde que diz que o SUS deve incluir a utilização da epidemiologia para o estabelecimento de prioridades, a alocação de recursos e a orientação programática. 
A epidemiologia tem como única função estudar as epidemias das doenças transmissíveis.
Existem fatores determinantes das doenças e agravos de saúde, porém uma vez que identificados, não compete ao sistema de saúde eliminá-los ou reduzi-los.
A epidemiologia tem como pressuposto básico que a ocorrência e distribuição dos eventos relacionados com a saúde se dão por acaso.
5
No levantamento epidemiológico SB Brasil 2010, foi observado o índice CPOD aos 12 anos por região no ano de 2010, que foi comparado aos dados relativos a 2003, conforme figura a seguir:
Observa-se na figura que, no decorrer deste período, houve
(1 Ponto)
Um aumento da proporção de dentes cariados em relação aos restaurados.
Uma melhoria das condições de saúde bucal em todas as regiões.
Uma redução acentuada do índice de cárie dentária na região Sudeste.
Uma redução do acesso à água tratada e fluoretada.
6
Ainda de acordo com o gráfico da questão anterior, em qual região notou-se um aumento do índice CPOD em 2010 em relação ao levantamento epidemiológico realizado em 2003?
(1 Ponto)
Nordeste
Norte
Sul
Centro- Oeste
7
Como vimos no gráfico acima, os índices CPO-D e o CEO-D são índices internacionalmente utilizado para avaliar a prevalência de cárie dentaria em levantamentos epidemiológicos em grande populações. Explique cada um desses índice demonstrando a principal diferença entre eles, e descreva como é feito o cálculo destes índices.(3 Pontos)
RESPOSTA
CPO-D índice utilizado para mensurar a carie dental em dentes permanentes (dentes cariados, perdidos e obturados).
CEO-D índice utilizado para mensurar os dados de carie em dentes decíduos (dentes cariados, extraídos e obturados).
O calculo é feito, somando-se os dentes cariados, perdidos e obturados ( cada um recebe um numero, de acordo com cada dente analisado) e divide-se o valor encontrado pelo numero de pessoas examinadas.
8
Marque a alternativa correta em relação ao MODELO CRÍTICO dos modelos de educação em saúde:
(1 Ponto)
Tem como foco a doença e a intervenção curativista
Os usuários são tomados como carentes de informação
O educador é detentor de saber técnico cientifico e nada tem a aprender com a população.
Os educandos devem são vistos como agentes/co-produtores de um processo
9
A técnica de escovação recomendada para crianças de até 5 anos é denominada:
(1 Ponto)
Técnica de Stilmann Modificado
Técnica de Fones
Técnica de Bass
Técnica de Charters
10
Complete o quadro abaixo com as informações faltantes (representados pelas letras A, B, C e D) de acordo com a HISTÓRIA NATURAL DA CÁRIE DENTÁRIA.
(4 Pontos)
RESPOSTA
Letra A- hábitos de risco, falta de higiene, alimentação e condições sociais
Letra B- mancha branca, lesão cariosa incipiente (esmalte)
Letra C – ações de educação em saúde, de forma ampla, trabalhar com conceito de aprendizado, apreensão e aplicabilidade carreamento
Letra D- intervenções preventivas especificas e aplicadas, escovação supervisionada, aplicação tópica de flúor, fluoretação das aguas, etc.
11
A epidemiologia permite descrever as condições de saúde da população, investigar os fatores determinantes das doenças, averiguar as situações de risco e avaliar o impacto das ações preventivas em saúde, tanto coletiva quanto individual. No entanto, para que se possam fazer comparações entre os dados colhidos em diversos levantamentos epidemiológicos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza o uso de alguns índices padronizados. A respeito dos índices destinados a avaliar os principais problemas bucais, está correta a alternativa abaixo:
(1 Ponto)
O IHOS é utilizado para medir a prevalência de doenças periodontais.
O Índice de Dean mede a prevalência de fluorose dental.
O CEO-d visa medir a prevalência de cárie dental em dentes permanentes.
O CPO-d é utilizado para medir a prevalência de cárie dental em dentes decíduos.
12
Ao empregar o Índice de Higiene Oral Simplificado − IHOS (Green e Vermillion, 1964), o cirurgião-dentista obteve os seguintes dados sobre a condição de higiene oral de um determinado paciente:
Considerando que os índices para classificação de qualidade de higiene oral são:
0 - 1: Bom 
1,1 - 2: Regular
2,1 - 3: Ruim
A avaliação da condição de higiene oral do paciente será:
(1 Ponto)
Regular Bom  Ruim Péssimo
13
 A prevenção de doenças abrange medidas não apenas para prevenir a ocorrência de doenças, como a redução dos fatores de risco, mas também para deter seu progresso e reduzir suas consequências, uma vez estabelecidas. A prevenção pode ser classificada em diferentes níveis, cite-os e exemplifique o 3 níveis de prevenção de doenças.(3 Pontos)
RESPOSTA
Os niveis são, prevenção primaria, prevenção secundaria e prevenção tercearia.
-Prevenção primaria, é relacionado ao inicio da doença. Ex: escovação dentaria, alimentação saudável, menos açúcar, uso de flúor na agua e no creme dental, etc.
-Prevenção secundaria ocorre já tendo a doença para impedir o progresso. Ex: aplicação tópica de flúor pelo CD, selante, etc.
-Prevenção terciaria, para evitar a perda da função dentária. Ex: intervenção com restauração de resina ou amalgama, tratamento de canal, confecção de próteses parcial ou total, etc.
ODONTOLOGIA
 
EM SAÚDE COLETIVA 
–
 
AVALIAÇÃO 2
ª ETAPA
 
 
1
 
Os levantamentos epidemiológicos são definidos como
 
estudos transversais, de prevalência, 
cujo objetivo é descrever as condições de uma dada população em determinado local e em 
determinado período de te
mpo. Em saúde bucal, eles são extremamente importantes, 
pois
 
fornecem informações básicas sobre a situação de saúde bucal
 
e/ou sobre as necessidades 
de tratamento odontológico. São utilidades dos levantamentos epidemiológicos em saúde 
bucal, 
EXCETO
:
 
 
 
(1 P
onto)
 
Viabilizar o planejamento de politicas de saúde bucal adequadas a realidade epidemiológica local.
 
Estudar a natureza, distribuição e extensão dos problemas bucais.
 
Monitorar e subsidiar a avaliação dos serviços de atenção a saúde bucal
 
Dificultar a determinação das prioridades de atendimento no serviço público de saúde.
 
2
 
São índices utilizados para avalia
r cárie dentária:
 
(1 Ponto)
 
Índice de Dean
 
Perda de Inserção e Índice deplaca
 
CPO
-
d e IHOS
 
CPO
-
d e ICDAS
 
3
 
O modelo da História Natural da Doença define períodos sequenciados para o desenvolvimento 
de uma doença. Um deles é o período de 
PRÉ
-
PATOGÊNESE
, que é caracterizado por:
 
(1 Ponto)
 
Ser a fase em que as intervenções poss
íveis são as de prevenção secundária.
 
Definir a situação em que pode existir lesões, desde que inaparentes.
 
Delimitar o horizonte clínico.
 
Inclui
r as relações entre agente, hospedeiro e meio ambiente, sendo a fase em que se é possível atuação de ações 
de promoção de saúde e proteção específica.
 
4
 
Em relação ao uso da Epidemiologia nos serviços de saúde, marque a alterativa 
CORRETA:
 
(1 Ponto)
 
É regida pela lei 1880 do Ministério da saúde que diz que o SUS deve incluir a utilização da epidemiologia para o 
estabelecimento de prioridades, a alocação de recursos e a orientação programática.
 
 
A epidemiologia tem como única função estudar as epidemias das doenças transmissíveis.
 
Existem fatores determinantes das doenças e agravos de saúde, porém uma vez que identificados, não compete ao 
sistema de 
saúde eliminá
-
los ou reduzi
-
los.
 
A epidemiologia tem como pressuposto básico que a ocorrência e distribuição dos eventos relacionados com a 
saúde se dão por acaso.
 
5
 
No levantamento epidemiológico SB Brasil 2010, foi ob
servado o índice CPOD aos 12 anos por 
região no ano de 2010, que foi comparado aos dados relativos a 2003, conforme figura a seguir:
 
ODONTOLOGIA EM SAÚDE COLETIVA – AVALIAÇÃO 2ª ETAPA 
 
1 
Os levantamentos epidemiológicos são definidos como estudos transversais, de prevalência, 
cujo objetivo é descrever as condições de uma dada população em determinado local e em 
determinado período de tempo. Em saúde bucal, eles são extremamente importantes, 
pois fornecem informações básicas sobre a situação de saúde bucal e/ou sobre as necessidades 
de tratamento odontológico. São utilidades dos levantamentos epidemiológicos em saúde 
bucal, EXCETO: 
 
 
(1 Ponto) 
Viabilizar o planejamento de politicas de saúde bucal adequadas a realidade epidemiológica local. 
Estudar a natureza, distribuição e extensão dos problemas bucais. 
Monitorar e subsidiar a avaliação dos serviços de atenção a saúde bucal 
Dificultar a determinação das prioridades de atendimento no serviço público de saúde. 
2 
São índices utilizados para avaliar cárie dentária: 
(1 Ponto) 
Índice de Dean 
Perda de Inserção e Índice de placa 
CPO-d e IHOS 
CPO-d e ICDAS 
3 
O modelo da História Natural da Doença define períodos sequenciados para o desenvolvimento 
de uma doença. Um deles é o período de PRÉ-PATOGÊNESE, que é caracterizado por: 
(1 Ponto) 
Ser a fase em que as intervenções possíveis são as de prevenção secundária. 
Definir a situação em que pode existir lesões, desde que inaparentes. 
Delimitar o horizonte clínico. 
Incluir as relações entre agente, hospedeiro e meio ambiente, sendo a fase em que se é possível atuação de ações 
de promoção de saúde e proteção específica. 
4 
Em relação ao uso da Epidemiologia nos serviços de saúde, marque a alterativa CORRETA: 
(1 Ponto) 
É regida pela lei 1880 do Ministério da saúde que diz que o SUS deve incluir a utilização da epidemiologia para o 
estabelecimento de prioridades, a alocação de recursos e a orientação programática. 
A epidemiologia tem como única função estudar as epidemias das doenças transmissíveis. 
Existem fatores determinantes das doenças e agravos de saúde, porém uma vez que identificados, não compete ao 
sistema de saúde eliminá-los ou reduzi-los. 
A epidemiologia tem como pressuposto básico que a ocorrência e distribuição dos eventos relacionados com a 
saúde se dão por acaso. 
5 
No levantamento epidemiológico SB Brasil 2010, foi observado o índice CPOD aos 12 anos por 
região no ano de 2010, que foi comparado aos dados relativos a 2003, conforme figura a seguir:

Continue navegando