Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
TOXOPLASMOSE PDF

Pré-visualização | Página 1 de 2

Isadora Albuquerque 
 Medicina UnP 
TOXOPLASMOSE 
 
 
 Causada pelo Toxoplasma Gondii. 
 A prevalência acompanha a evolução do indivíduo (quanto maior a idade, maior a prevalência); 
 Acredita-se que 80% da população atual já teve contato com a doença, possuindo, portanto, 
memória imunológica (se fizer a sorologia vai dar IgG positivo); 
 A maioria das pessoas vai ter a infecção de forma assintomática, mas uma parte pode ter a 
tríade “febre + linfadenomegalias (ínguas) + mialgia”, evoluindo para cura sozinho; 
 Uma minoria pode evoluir com a cronicidade da doença e conviver com isso pelo resto da vida, 
ou, na queda brusca do sistema imunológico, a doença pode reagudizar; 
 Não é exclusiva dos humanos. Todos os mamíferos e aves, incluindo os golfinhos, podem ter 
toxoplasmose; 
 Mas para essa doença se desenvolver ela precisa de hospedeiro definitivo (fase sexuada do 
ciclo) e hospedeiro intermediário (fase assexuada do ciclo): 
1. Hospedeiros intermediários: todos os mamíferos e as aves. 
2. Hospedeiros definitivos: os felinos, tanto silvestres como domésticos. Em especial, o GATO. 
O gato vai ter tanto a forma sexuada, quanto a assexuada. Então, chamamos o gato de 
 hospedeiro completo. Por isso, são os únicos animais que conseguem eliminar algo no meio 
 ambiente (ex: fezes contaminadas). 
 
 O toxoplasma vai para o SNC dos roedores (ex: rato) e bloqueia o sensor de perigo deles, o que 
faz ele não enxergar o gato como um predador e facilitar sua morte. O gato que se alimenta do 
rato, por sua vez, ingere os infectantes e a doença se dissemina através das fezes deste. 
Toxoplasmose é uma doença natural dos roedores, que encontrou os gatos como veículos para 
sua disseminação (por ser um animal capaz de desenvolver e eliminar formas infectantes da 
doença). 
 
 
 
Isadora Albuquerque 
 Medicina UnP 
 
 Pessoa se contamina com o zoito – ele entra na célula, se multiplica rapidamente e provoca a 
destruição desta (da célula) - depois eles penetram em outra célula, e assim vai sucessivamente. 
Então a maioria das pessoas vão evoluir para a cura. 
Toxoplasma = zoito (em forma arco de banana ou de meia lua) 
 
 
 
 O que acontece quando a pessoa evolui para a forma crônica? 
Por ação do sistema imune, esses zoitos vão entrar numa célula e vão se multiplicar devagar (5 
– 10 anos). Essa célula, agora, vai permitir uma elasticidade maior, ficando repleta de zoitos, 
mas sem romper. Como essa fase depende do sistema imune, uma imunodepressão faz a 
doença sair da fase crônica e reagudizar. 
 
OBSERVAÇÃO 
O zoito na fase aguda é chamado de taquizoito, uma vez que seu desenvolvimento ocorre de 
forma acelerada. O oposto ocorre na fase crônica, sendo chamado de bradizoitos (formando 
uma espécie de cisto). 
 
 
FORMAS INFECTANTES 
 
1. Taquizoito: 
 
 Presente na fase aguda/proliferativa da infecção; 
 Multiplicação rápida (endodiogenia) 
Isadora Albuquerque 
 Medicina UnP 
 Forma livre/móvel: tem um estágio temporário, mas está sempre rompendo; 
 É encontrado no sangue, nos fluídos biológicos de forma geral; 
 Sinonímias: trofozoíto, forma livre ou proliferativa; 
 Pouco resistentes à ação do suco gástrico, sendo inativadas quando passam pelo estômago. 
Caso haja uma quantidade muito grande, alguns podem escapar. 
 Encontrado no leite não pasteurizado (leite que sai direto da vaca), em transfusões sanguíneas 
e em transplante de órgãos; 
 
2. Bradizoito: 
 
 Presente na fase crônica; 
 Encontrado dentro do vacúolo parasitóforo; 
 Presente em vários tecidos; 
 Sinonímia: cisto, cistozoíto 
 Por estar protegido por um envoltório da célula (está dentro dela) e da musculatura onde 
encontra-se, ele consegue passar pelo suco gástrico, sendo liberado no intestino. Assim, 
dizemos que ele é resistente à ação do suco gástrico; 
 Encontrada na carne crua ou mal passada, pois está dentro do músculo (forma tecidual); 
 
3. Oocisto: 
 
 Produzido nas células intestinais dos felinos (gatos); 
 Esféricos, parede dupla; 
 Forma de resistência; 
 Essa forma suporta 1-2 anos no meio externo na forma de resistência. Portanto, se um gato 
defecar em 2018, quando for em 2020 ainda pode ter lá. Resiste à ação de desinfetante e ao 
sol; 
http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.ufrgs.br/para-site/Imagensatlas/Protozoa/Imagens/bradi3.jpg&imgrefurl=http://www.ufrgs.br/para-site/Imagensatlas/Protozoa/Toxoplasma.htm&h=304&w=400&sz=46&tbnid=Sy1ZXU5bu1EJ:&tbnh=91&tbnw=120&hl=pt-BR&start=47&prev=/images?q=toxoplasma+gondii&start=40&svnum=10&hl=pt-BR&lr=&sa=N
Isadora Albuquerque 
 Medicina UnP 
 O oocisto se desenvolve dentro do gato, que o elimina ainda na forma imatura. Esse oocisto 
imaturo em contato com o ambiente (oxigênio) vai esporular, formando os esporocistos que 
envolvem os esporozoítos; 
 1 oocisto possui 2 esporos (chamados esporocistos) e dentro de cada esporo, temos 4 zoítos 
(denominados esporozoítos) 
 Pode ser encontrado na salada mal lavada que foi previamente contaminada com as fezes do 
gato. 
 
OBSERVAÇÃO 
 Bradizoítos e oocisto sã as formas revestidas, mas passou pela ação da pepsina, tripsina, 
ác. Clorídrico e suco gástrico, essas formas se debelam, transformando-se em taquizoítos 
(forma livre). 
Ou seja, eu posso me contaminar com uma das 3 formas, no entanto, os taquizoítos 
permanecem nessa forma e as outras 2 vão se transformar nela depois do processamento 
gástrico, onde liberam os zoítos (zoíto livre = taquizoíto). 
 
 
 Com os taquizoítos livres, vamos ter a forma aguda: multiplicar, romper, multiplicar e romper 
novamente, infectando, assim, toda célula que tenha núcleo. Então as únicas células que se 
salvam são as hemácias, as demais podem ser infectadas. 
Como nas aves as hemácias têm núcleo, então nesses animais até as hemácias podem ser 
infectadas. 
 
CICLO BIOLÓGICO 
 Ciclo heteroxeno 
 Hospedeiros definitivos  gatos; 
 Hospedeiros intermediários  homem, outros mamíferos e aves 
 
 Fase assexuada 
 Em vários tecidos de diversos hospedeiros (aves, mamíferos inclusive gatos e outros felídeos) 
 
 Fase sexuada ou coccidiana 
 Células do epitélio intestinal de gatos e outros felídeos não-imunes 
 
 
 Qualquer mamífero ou ave pode transmitir essa doença. 
Isadora Albuquerque 
 Medicina UnP 
 O toxoplasma resiste à refrigeração por vários dias, por isso que carne crua ou mal passada 
transmite. No entanto, no aquecimento ele é inativado. 
 
 
 
TRANSMISSÃO 
 
 Ingestão de carne crua ou mal cozida (bradizoítos); 
 Ingestão de verduras contaminadas com oocistos; 
 Ingestão de leite não pasteurizado (taquizoítos); 
 Transmissão congênita; 
 Transplante de órgãos (cistos/bradizoítos). 
 
 
 
 
Isadora Albuquerque 
 Medicina UnP 
 
 
PATOGÊNESE 
 
 Depende de: 
1. Cepa do parasito; 
2. Resistência do hospedeiro 
 Toxoplasmose adquirida ou pós-natal 
 Desde casos benignos até a morte 
 Dependendo da localização do parasito: 
 Ganglionar ou febril aguda; 
 Ocular; 
 Encefalite. 
 
 
 
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS 
 
 Toxoplasmose pós-natal (adquirida): sem toxoplasmose na vida intrauterina. 
 Primeira forma: assintomático e fica curado; 
 Segunda forma: mialgia, adenopatia, cefaléia e febre. 
 Período de incubação: 1 a 4 semanas; 
 Lesões oculares pode ocorrer, sendo, a principal delas, a coriorretinite; 
 Cronicidade da lesão; 
 Marcador sorológico IgG; 
 Em imunodeprimidos pode levar a formas que atinjam o SNC; 
 Reativação de infecção. 
 
 Toxoplasmose pré-natal (congênita): 
 Primeiro trimestre de gestação: aborto; 
 
 Segundo trimestre de gestação (4º - 6º mês): 
Aborto ou nascimento prematuro; 
Normal (a termo) ou anomalias graves típicas (Síndrome de Sabin): 
NORMALMENTE ACONTECE EVOLUÇÃO NORMAL DA GRAVIDEZ, MAS A CRIANÇA NASCE 
COM A SÍNDROME DE SABIN. 
 
SÍNDROME DE SABIN 
Alterações observadas: alteração do volume craniano (pode
Página12