Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Hematopoese

Pré-visualização | Página 1 de 2

Isadora Albuquerque 
Medicina UnP 
HEMATOPOESE E IMUNOLOGIA DOS TUMORES 
 
 Hematopoiese: são os processos de produção, 
diferenciação e maturação dos diversos tipos de 
células do sangue a partir das células-tronco. 
 Didaticamente separadas em: 
Eritropoese, granulopoese e trombopoese. 
 
 Hematopoese no período intrauterino 
1. Fase pré-hepática / mesoblástica: de 0 a dois 
meses. 
 Inicia-se desde o início da vida embrionária até o 
surgimento do fígado; antes do fígado entrar 
como órgão formador das células. 
 Nessa etapa, há formação dos folhetos 
embrionários (ectoderma, mesoderma – 
principalmente - e endoderma). 
 
 
 A partir da 3º semana, surgem pequenos 
acúmulos de células mesenquimais na 
mesoderme que se diferenciam em 
angioblastos; 
 Os agrupamentos dos angioblastos originam as 
“Ilhotas de Wolff” ou Ilhotas sanguíneas; 
 As células periféricas produzirão o endotélio 
dos 1ºs vasos sanguíneos enquanto as células 
centrais produzirão os 1ºs glóbulos vermelhos 
ou megaloblastos. 
 
2. Fase hepatoesplênica: do 2º ao 6º mês 
 Fígado e baço funcionando como órgãos 
produtores dessas células sanguíneas. 
 
 Nessa fase temos produção de: plaquetas, 
granulócitos e eritrócitos; 
 Desaparecimento das Ilhotas sanguíneas e 
megaloblastos; 
 Eritrócitos formados dentro dos capilares 
hepáticos; 
 Produção de leucócitos pelo timo e baço. 
 
3. Fase mieloide: do sexto mês até a vida adulta. 
 Produção de eritrócitos, plaquetas, granulócitos e 
linfócitos. 
 Domínio da hematopoese na medula óssea. 
 Após o nascimento: fígado e baço ficam 
responsáveis pela hemocaterese. 
 
 Até os cinco anos de idade, a medula de todos os 
ossos do corpo participa desse processo. À medida 
que os anos avançam, ocorre uma substituição 
gordurosa na medula dos ossos longos, até que, na 
idade adulta, somente os ossos da pelve, (como o 
ilíaco), o esterno, os ossos do crânio, os arcos 
costais, vértebras e as epífises femorais e umerais 
são capazes de gerar células sanguíneas... 
 
 A medula óssea com atividade hematopoiética é 
denominada medula óssea vermelha, devido à 
presença de grande quantidade de hemácias e 
precursores eritroides. O restante dos ossos 
contém a denominada medula óssea amarela, 
preenchida por tecido adiposo (gordura), porém com 
potencial para voltar a produzir células sanguíneas 
sob determinados estímulos. 
 
MEDULA CINZA 
 Medula cinza é a substituição desse tecido adiposo 
por proliferação de fibroblastos nos ossos longos. 
Quanto mais velho vai ficando, mais vai diminuindo 
essa massa de tecido hematopoiético. 
 No sênior, por exemplo, ocorre a perda tanto do 
Isadora Albuquerque 
Medicina UnP 
tecido hematopoiético, quanto de massa óssea. 
Assim, ele fica só com a medula cinza, por isso que 
o idoso tem pouca celularidade. 
 
 
 Hematopoese na criança. 
 Ao nascimento - produção de sangue pela medula 
óssea vermelha de todos os ossos; 
 Após 4 anos de idade aparecem depósitos de 
células gordurosas nos ossos longos (medula 
amarela); 
 Intensa atividade de timo e linfonodos. 
 Celularidade muito alta, em praticamente todos os 
ossos; 
 Células que a criança apresenta muito: linfócitos. 
Por isso que o câncer mais presente nas crianças 
são as leucemias linfocíticas. 
 
 Hematopoese no adulto. 
 Aos 20 anos: medula é ativa no esterno, costelas, 
pélvis, vértebras, crânio e epífises do fêmur e 
úmero; 
 Após 40 anos: hematopoese nos ossos do tronco. 
Aumento do depósito gorduroso; 
 Fase anciã: Produção de medula cinza pela 
substituição do tecido adiposo medular pela 
proliferação de fibroblastos nos ossos longos. 
 
 Celularidade 
 Recém nascidos: extremamente celular com raros 
adipócitos 
 Crianças: celularidade da medula óssea é alta de 
60-100%. 
 Segunda década de vida: 64 – 80% 
 60 anos: 40% 
 80 anos: 20 -30%. 
 
Esta redução é devido a: diminuição absoluta do 
tecido hematopoiético e aumento da cavidade 
medular devido à perda óssea. 
 
 
PRODUÇÃO DAS CÉLULAS SANGUÍNEAS 
 
 Sabemos que todos os elementos do sangue 
(hemácias, plaquetas e leucócitos) originam-se de 
uma única célula progenitora, denominada célula-
tronco (stem cell) ou célula totipotente. Essa célula, 
existente apenas em pequena quantidade na 
medula óssea, tem a capacidade de se reproduzir 
quando necessário (sob determinados estímulos) e 
dar início a um processo de diferenciação em 
múltiplas linhagens celulares hematológicas. 
 
 Os estímulos que a stem cell recebe são: 
 Fatores estimulantes de colônias. 
 Citocinas / interleucinas. 
 Eritropoetina – EPO: hormônio produzido no rim 
que estimula a produção da série mieloide, que 
vai se comprometer com a série vermelha. 
 
 Inicialmente, a célula-tronco se diferencia em dois 
tipos, cada um comprometido com a formação de 
uma grande linhagem hematológica: a linhagem 
MIELOIDE – que dará origem às hemácias, 
plaquetas, granulócitos e monócitos e a linhagem 
LINFOIDE – que dará origem aos linfócitos. 
 
 A célula progenitora mieloide se diferencia em 
mais dois tipos: um comprometido com a linhagem 
eritroide-megacariocítica (formação de hemácias e 
plaquetas) e a outra comprometida com a 
linhagem granulocítica-monocítica (formação dos 
granulócitos e monócitos). O precursor eritroide-
megacariocítico finalmente se diferencia, dando 
origem aos progenitores eritroides (os 
eritroblastos) e aos progenitores da linhagem 
megacariocítica (os megacarioblastos). 
 
 Cada eritroblasto sofre um processo de 
maturação, transformando-se no final em uma 
hemácia (ou eritrócito). Cada megacarioblasto 
origina um megacariócito, célula grande (a maior da 
Isadora Albuquerque 
Medicina UnP 
medula óssea), multinucleada, de cujo citoplasma 
se desprenderão várias plaquetas. 
 
 O precursor granulocítico-monocítico finalmente 
se diferencia nos progenitores granulocíticos (os 
mieloblastos) e monocíticos (os monoblastos). 
 
 Existem três tipos de mieloblasto, cada um 
originando um dos três tipos de granulócito: 
neutrófilo, eosinófilo ou basófilo. O monoblasto dá 
origem ao monócito. Esta célula transforma-se em 
macrófago (histiócito) quando penetra no tecido 
conjuntivo dos diversos órgãos. 
 
 A célula progenitora linfoide se diferencia em dois 
tipos celulares: um comprometido com a formação 
dos linfócitos B e outro comprometido com a 
formação dos linfócitos T. O precursor B, ou célula 
pré-B, origina o linfócito B maduro na própria 
medula óssea, enquanto o precursor T caminha 
através da corrente sanguínea até o timo, onde 
termina a sua maturação em linfócito T maduro. 
Os linfócitos maduros (tanto B, quanto T) irão se 
concentrar nos tecidos linfoides do organismo 
(linfonodos, baço e MALT – Tecido Linfoide 
Associado à Mucosa). 
 
CFU-E/ Mega é a nomenclatura da célula 
progenitora eritroide-megacariocítica, e a CFU-
G/M é a célula progenitora granulocítica-
monocítica. 
 
 Células Hematopoéticas 
 Células tronco: capacidade de reconstituir a 
hematopoese e possuem uma característica 
fundamental, a divisão celular assimétrica, ou seja, 
ao de dividirem dão origem a uma nova célula-
tronco (auto regeneração) e a uma célula 
precursora comprometida com uma linhagem 
específica; 
 Células precursoras (unidades formadoras de 
colônia): perda de auto regeneração e 
comprometida com uma via de diferenciação. 
 Células diferenciadas. 
 
 Fatores de Crescimento: regulação da hematopoese. 
 Fatores de crescimento celular; 
 
 Duração das células sanguíneas. 
 A hematopoese possui um nível basal para repor 
as perdas. 
 Quando há uma demanda maior de um tipo celular 
específico, as células progenitoras são estimuladas 
pelos fatores hematopoéticos para produzir as 
células que são necessárias. 
 
 
 
 Constituição do sangue periférico. 
 Fase sólida: 
 Glóbulos vermelhos, eritrócitos ou hemácias; 
 Glóbulos brancos ou leucócitos; 
 Plaquetas ou trombócitos.
Página12