A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Respostas Avaliação

Pré-visualização | Página 2 de 4

analítica, reflexiva, interpretativa e de interferência na própria realidade.
Santaella e Noth (1997) dividem o mundo das imagens em dois domínios. Assinale. a seguir. quais são esses domínios.
a) Visual e imaterial.
O advento das novas tecnologias modificou a nossa relação com as imagens, tanto no que se refere à produção quanto na recepção de imagens. Esse contexto permitiu a ampliação de novos estudos no campo da Semiótica da Imagem. Assinale, a seguir, alguns estudos que surgiram influenciados pela tecnologia.
c) Webmuseus, selfies, Netflix e Youtube.
Segundo Lima (2012) e Santaella (2013), a Semiótica é:
d) É a ciência que estuda os signos e os seus significados, além do processo de articulação entre os diversos tipos de linguagens, inclusive, as imagens. Para estudar os signos, ela tem que desenvolver instrumentos de análise.
Santaella e Noth (1997), em seu livro sobre imagem, cognição, Semiótica e mídia, abordam a questão do tempo. Quais são as categorias usadas pelos autores para falar sobre o tempo?
c) Intrínseco, extrínseco e intersticial.
O desenvolvimento da fotografia e do vídeo proporcionam uma abertura no campo de estudo da imagem nas mais diferentes disciplinas. Em que áreas a Semiótica da Imagem pode ser estudada?
a) Publicidade e Propaganda, Jornalismo, Cinema, Televisão, Teatro e Moda.
Complete a seguinte frase: Os estudos na área da estética foram feitos de forma desordenada e marcada pela __________.
a) Interdisciplinaridade,  objeto de interesse em várias disciplinas, como História da Arte, estudo dass mídias, Cinema, etc.
Baseada na Semiótica da Imagem proposta por Barthes, Joly analisa a imagem levando em consideração alguns elementos. Assinale quais são eles.
a) Análise da mensagem plástica, relativos às cores, formas composição e textura; e mensagem icônica, que são os signos figurativos.
No campo da sócio-semiótica proposto por Kress e Van Leeuwen, a análise da imagem é feita de forma tridimensional. Quais são essas dimensões?
c) Dimensões representacional, interacional e composicional.
Quanto a essas afirmativas, assinale a alternativa correta.
I – A mistura e a reapropriação de imagens culturais sempre ocorreu na história da humanidade, mas sua escala e frequência aumentaram consideravelmente no século XX, a partir das imagens eletrônicas e das tecnologias digitais.
II – Antes da fotografia e do cinema, a apropriação de elementos culturais nas mensagens midiáticas era bastante velada, não sendo reconhecída pela maior parte da população da época.
III – A apropriação das mídias pela arte ocorre com mais frequência do que o contrário, especialmente a partir das vanguardas artísticas da primeira metade do século XX, como a pop art.
d) Somente as afirmativas I e II estão corretas.
Quanto a essas afirmativas, assinale a alternativa correta.
I – Ainda no início do século XX, mais do que representar, os dadaístas reapresentavam os objetos do cotidiano enquanto obras de arte.
II – Jornais, anúncios publicitários, fotografias, posters, escrita manual e impressão mecânica são elementos usados pelos dadaístas e surrealistas em suas fotomontagens.
III – A pop art tinha como proposta estética o reaproveitamento de situações cotidianas da cultura de massa, como os quadrinhos, as fotografias de moda e os objetos de consumo.
Quanto a essas afirmativas, assinale a alternativa correta.
e) Todas as afirmativas estão corretas.
Quanto a essas afirmativas sobre o remix, assinale a alternativa correta.
I – No remix, ocorre um processo intersemiótico, que envolve signos de códigos e áreas distintas para a produção de um novo significado, diferente dos anteriores.
II – A música dub jamaicana e o rap estadunidense da década de 1970 são considerados fundadores da cultura remix, antes mesmo da palavra remix se popularizar.
III – Embora tenham processos parecidos, a produção jornalística não tem por hábito usar o remix em suas mensagens, mesmo no século XXI.
b) Somente as afirmativas I e II estão corretas.
É correto afirmar que:
d) O prazer do reconhecimento depende de uma dada comunidade interpretativa entender as referências utilizadas nas mensagens e, com isso, ter maior facilidade de memorizar determinada informação, tanto em linguagem verbal como não verbal.
Quanto a essas afirmativas, assinale a alternativa correta.
I – Os modos de apropriação das imagens da arte na comunicação propostos por Santaella (200 passam a ocorrer, de fato, a partir da popularização das tecnologias digitais, na década de 2000. Até então, era muito difícil uma revista jornalística, por exemplo, usar uma imagem de capa que remetesse a um filme ou a uma obra de arte por medo de que os leitores não entendessem a referência reapropriada.
II – As montagens realizadas na mídia a partir de imagens das Artes Plásticas precisam atentar para o repertório de seu público, caso contrário, não haverá, de fato, comunicação e entendimento.
III – Incorporar referências de ícones da arte moderna e pós-moderna, do cinema e da música para a veiculação de mensagens midiáticas é uma prática que nunca foi comum no jornalismo de revista brasileiro, haja vista o pouco repertório artístico dos brasileiros que consomem as mídias de massa, e a descrença, por parte dos jornalistas, de que seus leitores entenderiam a proposta de seus trabalhos, mesmo que baseados em ícones populares.
e) Somente a afirmativa II está correta.
Considere as afirmações a seguir a partir da obra de Peirce na semiótica:
I - O signo é perceptível na realidade concreta e é por meio dele que fazemos a análise semiótica.
II – A semiótica, ciência lógica e filósofica, estuda os signos e seus interpretantes.
III – Dos três elementos definidos pelo autor, o objeto é aquele que é representado pelo signo.
Marque a alternativa correta:
a) Somente a alternativa III está correta.
Leia as afirmações e indique a opção correta entre as alternativas: 
I – O signo, em Barthes/Saussure, é uma estrutura de dois lados que contém o significante e o significado.
II – O significante é o traço que percebemos de um dado texto, como as linhas de uma fotografia ou as frases de uma notícia de jornal.
III – O significado se dá no plano do conteúdo e é formado a partir do repertório de cada pessoa que lê os signos em questão.
Assinale a alternativa correta:
b) Todas as alternativas estão corretas.
Leia as afirmações:
I – O processo de leitura dos signos e de produção de significados, em Barthes e Saussure, se chama significação.
II – A semiose, em Peirce, é o nome dado à situação sígnica do qual a semiótica estuda.
III – Semiótica e semiologia são nomes dados a correntes distintas de pesquisa com os signos.
Assinale a alternativa correta:
b) As alternativas I e II estão corretas.
4)Sobre as leituras denotativas e conotativas na semiótica, afirma-se: 
I – Leitura denotativa é aquela que capta os traços verbais das palavras, enquanto a leitura conotativa interpreta os não verbais, como as imagens e o sons. 
II – Ler os signos de maneira denotativa, ou seja, de maneira literal, é fundamental para garantir o encontro que é a comunicação.
III – Levantar as cadeias significantes de representações subjetivas e significados segundos é o que define a leitura conotativa.
Assinale a alternativa correta:
d) As alternativas II e III estão corretas.
I – Uma leitura denotativa começaria da esquerda para a direita e logo chegaria nas três pessoas no centro da imagem, duas delas com armas em punho apontadas para outra pessoa, de joelhos, mãos na cabeça. Um chão de um lugar vazio, com sujeira, colunas marrons à mostra nos cantos da imagem que seguram um teto na qual as pessoas se encontram são outros traços denotativos percebidos.
II – Uma leitura conotativa poderia prever que as duas pessoas com armas apontadas são policiais que estariam prestes a matar a terceira, jornalista, que ao noticiar informações contrárias às polícias locais foi preso.
III – Há conectores que indicam sujeira na imagem, como as colunas com pintura descascada, lascas e restos de objeto no chão onde a terceira pessoa está ajoelhada,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.