A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
02 Slides Sindicância e PAD (1)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Sindicância e PAD
Teoria e Prática
CONCEITOS E DEFINIÇÕES 
SOBRE MATÉRIA 
DISCIPLINAR 
Sindicância e PAD
Conceitos e definições 
sobre matéria 
disciplinar
RESPONSABILIDADES
Ilícitos abrangidos pela apuração disciplinar
Conceitos e 
definições sobre 
matéria disciplinar
Sujeitos da 
apuração disciplinar
Servidores efetivos – em estágio 
probatório
Servidores efetivos e estáveis
Servidores detentores de cargo em 
comissão e efetivos designados para 
função gratificada
Celetistas, inclusive os não estáveis
Contratados temporariamente – art. 
37, IX da CF/88
Outros sujeitos da apuração 
disciplinar
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Definições e 
objetivos dos 
procedimentos 
disciplinares
Autoria, 
Materialidade e Vida 
privada
MATERIALIDADE
Identificação da abrangência do fato irregular –
ação ou omissão que contraria o ordenamento 
jurídico –, associada ao exercício do cargo.
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato 
infracional – nem sempre diretamente como 
autor do fato mas também como aquele que 
permitiu que o fato acontecesse.
VIDA PRIVADA
Atos da vida privada não interessam, DE 
REGRA, para a Administração Pública.
Exceções.
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Sindicância e 
Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Conceitos
Sindicância disciplinar
Apuração de fato certo, com autoria conhecida,
possibilidade de aplicação de penas até a
suspensão, ampla defesa e contraditório, prazos
mais exíguos.
Sindicância investigatória
Fato ou autoria incerta, simples levantamento
de fatos, apuração unilateral, sem direito de
defesa, sem aplicação de penas.
Processo Administrativo Disciplinar
Fato e autoria conhecidos, procedimento
com amplo direito de defesa e contraditório,
possibilidade de aplicação de pena de
demissão e de quaisquer outras
penalidades (menores), procedimento que
exige maior formalidade.
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Do Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Instauração
Despacho da autoridade 
competente instaurando o processo
Confecção da Portaria Instauradora
Publicação da Portaria Instauradora 
Extrato
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Confecção da 
Portaria 
instauradora
Informações que 
devem constar na 
Portaria
Designação 
da Comissão
•Dever funcional de compor a Comissão
• Impedimento ou suspeição dos Membros da Comissão 
•Número de membros que compõe a Comissão
Descrição 
dos Fatos
•Tanto quanto possível os fatos devem estar descritos na Portaria sendo 
aceitável que estejam descritos em documento que a acompanha 
(memorando, ofício, etc.)
Prazo para a 
conclusão
•Definição na Portaria
•Possibilidade de prorrogação
•O problema do excesso de prazo
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Do Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Efeitos da 
instauração
Impossibilidade de 
exoneração a pedido ou 
aposentadoria espontânea 
até o final do PAD e 
cumprimento da penalidade
Marco da prescrição
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Do Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Instalação da 
Comissão
Ata de 
instalação e 
deliberação
• Designação do Secretário
• Designação da data de interrogatório
• Expedição do mandado de citação
• Requisição de documentos
Citação do 
acusado para 
interrogatório
• Teor do mandado de citação (ver termos do RJ)
Citação do 
indiciado
• Pessoal – Prazo para entrega e recusa de assinatura
• Via correio (AR)
• Edital (quando usar?)
• Citação por hora certa 
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Sindicância e 
Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Suspensão 
Condicional do 
Procedimento
Requisitos da 
suspensão
• Apenas com relação aos deveres; 
• A suspensão por 03 anos;
• Não pode ter havido condenação nos últimos 02 anos. 
Condições para 
a aceitação
• Situação que gerou prejuízo ao Erário – pagamento do prejuízo;
• Situação que NÃO gerou prejuízo – valor para entidade 
previamente cadastrada
Autoridade
• Homologação;
• Modificação das condições nos termos da lei;
• Não homologação e prosseguimento do feito.
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Sindicância e 
Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Acompanhamento 
do processo
• Pessoalmente;
• Por advogado legalmente constituído.
• Direito à cópia e vistas do processo
• Fornecimento de cópia reprográfica.
• Direito à cópia: quando fornecer e possibilidade de 
cobrança.
• Vista nos autos na repartição.
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Sindicância e 
Processo 
Administrativo 
Disciplinar
Utilização supletiva 
do CPC (ver se não 
há lei de PAE)
Art. 15. Na ausência de normas que regulem processos
eleitorais, trabalhistas ou administrativos, as disposições
deste Código lhes serão aplicadas supletiva e
subsidiariamente.
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Instrução 
probatória
Tipos de Prova
Interrogatório do 
indiciado
Momento do 
Interrogatório
Não 
comparecimento 
(revelia)
Designação de 
defensor dativo
Acompanhamento 
de advogado
Possibilidade de 
permanecer em 
silêncio
Confissão
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Instrução 
probatória
Tipos de Prova
Prova 
testemunhal
Quem pode ser 
testemunha?
•Qualquer pessoa
• Exceção: incapazes, impedidos ou suspeitos (CPC, art. 447)
• A critério da Comissão, se considerar indispensável para o 
deslinde da questão, as testemunhas impedidas ou 
suspeitas poderão ser inquiridas
Apresentação do 
rol de 
testemunhas
• No prazo das alegações iniciais
• Testemunhas de ofício não necessitam indicação pelo 
indiciado
• Número de testemunhas por fato (art. 357, § 6º do CPC)
• Qualificação das testemunhas no rol apresentado
• Substituição de testemunhas (art. 451 do CPC)
AUTORIA
Identificação do responsável pelo ato infracional – nem sempre diretamente como autor do fato mas também 
como aquele que permitiu que o fato acontecesse.
Instrução 
probatória
Tipos de Prova
Prova testemunhal
Intimação das 
testemunhas
Servidor 
público
• União, Estados e Municípios
• Poder Executivo, Legislativo e Judiciário
• Requisição ao chefe imediato + intimação
Testemunha 
convidada
• Reservado às autoridades
• Contato prévio para designação de dia, hora e local para a oitiva
• Cópia da Portaria e documentos que a instruem
• Possibilidade de determinar dia, hora e local no caso de inércia (art. 454 
do CPC)
Testemunhas 
do indiciado 
• Dever do advogado/indiciado (art.455 do CPC) 
• Por meio de carta com AR ou pessoal – juntar cópia da correspondência 
e do comprovante de recebimento (art. 455, § 1º)
• Compromisso de levar a testemunha (art. 455, §2º)
• Consequência do não comparecimento (art. 455, §2º)
• Hipóteses de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.