cap 20

@analise-textual ESTÁCIO EAD

Pré-visualização

que, quanto mais… mais/menos, quanto 
menos… mais/menos. Exemplo: Quanto menos tempo tinha para atender 
o telefone, mais ligações recebia.

•	Temporais (exprimem uma relação de tempo): quando, antes que, de-
pois que, até que, logo que, sempre que, assim que, desde que, todas 
as vezes que, cada vez que, apenas, mal, que (= desde que). Exemplo: 
Mal colocou a chave na fechadura, o telefone tocou.

•	Integrantes (ligam à oração principal as orações subordinadas substantivas, 
que exercem funções próprias dos substantivos (sujeito, objeto direto, objeto 
indireto, predicativo, complemento nominal e aposto): que, se. Exemplo: 
cláudia pediu que trouxéssemos bebidas para a festa em sua casa.

Locuções conjuntivas
Observe a propaganda abaixo.

revista Pasta, São Paulo:
clube de criação de São 

Paulo, n. 2, p. 58, fev./ 
mar. 2006.

Já que São Paulo não 
é exatamente como 
você gostaria, o jeito é 
morar bem.

No texto de divulgação do guia imobiliário produzido por uma revista 
semanal, há no enunciado duas orações articuladas por meio da expressão já 
que, que estabelece uma relação de concessão entre o que é dito na primeira 
oração (“São Paulo não é exatamente como você gostaria”) e o que é dito na 
segunda (“o jeito é morar bem”). Essa expressão ( já que) é formada por duas 
palavras que têm o valor de uma só conjunção. É uma locução conjuntiva.

São exemplos de locuções conjuntivas: já que, desde que, uma vez que, 
ainda que, por mais que, sem que, posto que, visto que, etc.

As locuções conjuntivas são classificadas segundo os mesmos critérios de 
classificação das conjunções.

Locuções conjuntivas são duas ou mais palavras que conectam orações, esta-
belecendo entre elas uma relação de subordinação (dependência) ou de simples 
coordenação. São geralmente formadas por advérbios, preposições e particípios 
seguidos da conjunção que.

Tome nota

A
g

ên
ci

A
 A

lm
A

Pb
bD

o

re
pr

od
uç

ão
 p

ro
ib

id
a.

 A
rt

. 1
84

 d
o 

có
di

go
 P

en
al

 e
 l

ei
 9

.6
10

 d
e 

19
 d

e 
fe

ve
re

iro
 d

e 
19

98
.

g r a m á t i c a

 360 caPíTulO 20



Leia o texto abaixo para responder às questões 1 e 2.

Alfabeto
e — conjunção. importantíssima. Sem o e, muitas frases ficariam 

ininteligíveis, dificultando ainda mais a comunicação entre as pessoas. em 
compensação, não existiriam as duplas caipiras.

VeriSSimo, luis Fernando. o estado de S. Paulo, São Paulo, 22 dez. 2002.

1. O texto acima é um verbete de dicionário criado por Luis Fernando 
Verissimo. Qual é a relação de sentido normalmente expressa pela 
conjunção e?

Com base nessa relação, explique o comentário de Verissimo sobre as 
duplas caipiras.

2. Na frase Ia sair e choveu, a conjunção tem o mesmo sentido atribuído 
a ela no texto de Verissimo? Explique.

O texto abaixo serve de base para as questões 3 e 4.

a espécie humana evoluiu porque se adaptou às condições ambientais 
ou, porque se adaptou às condições ambientais, evoluiu?

3. Esse trecho foi construído de forma a reproduzir, equivocadamente, 
a estrutura de um círculo vicioso. Qual é o termo responsável pela 
“construção” da articulação do suposto círculo vicioso?

Explique por que, com essa estrutura, o texto não pode ser definido 
como um círculo vicioso.

4. Para que o círculo vicioso fosse corretamente “construído”, como 
deveria ter sido apresentado? Justifique sua resposta.

Leia atentamente a propaganda abaixo para responder às ques-
tões 5 e 6.

atividades

Época, n. 286,  
São Paulo, globo, 
10 nov. 2003.

5. No texto da parte de cima da propaganda, há um termo que é res-
ponsável pela relação estabelecida em cada um dos períodos que 
compõem o enunciado. Que termo é esse?

Explique a relação que esse termo estabelece no texto.

A
g

ên
ci

A
 n

eo
g

A
m

A
/b

bH

re
pr

od
uç

ão
 p

ro
ib

id
a.

 A
rt

. 1
84

 d
o 

có
di

go
 P

en
al

 e
 l

ei
 9

.6
10

 d
e 

19
 d

e 
fe

ve
re

iro
 d

e 
19

98
.

classes de palavras

 Preposição e conjunção 361  



Como vimos na página especial sobre coesão textual (página localizada 
entre os Capítulos 15 e 16), para que haja unidade de forma e sentido nos 
textos, devemos cuidar do estabelecimento de um sistema de referências e 
do correto encadeamento das ideias. Esse encadeamento, que permite que o 
texto avance, é chamado de coesão sequencial.

Ao lado dos verbos, que também desempenham importante papel para o 
encadeamento das ideias, as conjunções e as locuções coesivas são funda-
mentais para garantir que haja a articulação necessária entre os vários aspectos 
abordados em um texto. Observe o exemplo analisado a seguir.

Usos da conjunção para estabelecer a coesão sequencial

As leis do internauta médio
Sinto-me à vontade para falar desta criatura nascida 

da estatística, o brasileiro médio conectado à rede, 
porque ele só existe no mundo virtual da matemática. 
Portanto, não ofende ninguém. Sim, porque, o bra-
sileiro médio, dentro ou fora da rede, pra começar, 
ofende todo mundo mas não aceita críticas e não leva 
desaforos pra sua homepage. […]

A primeira lei do internauta médio é a lei da não-
inércia: nada fica como está, pois tudo o que existe de 
bom ou ruim, sempre tende a piorar. […]

A segunda lei é o princípio fundamental da dinâ-
mica do julgamento dos outros. A resultante de tudo 
que age sobre uma pessoa é igual ao produto de suas 
medidas (como estatura, idade, massa) pelos seus bens 
materiais. […]

A terceira e última lei do internauta brasileiro mé-
dio é a lei da virtude e compensação: “a cada virtude 

corresponde um defeito contrário de igual intensidade 
e no sentido de derrubar a pessoa”. basta perceber um 
ponto positivo de um ser humano para que a terceira lei 
entre em ação dizendo que “em compensação ela tem 
um defeito péssimo”. exemplos vividos e observados 
são coisas como “o Jô é inteligente mas é gordo”, “a 
miriam leitão é competente mas é esquisita”, “a gisele 
é perfeita mas é chata”, […] “o Silvio Santos é rico mas 
é doido”. nem os ídolos do futebol escapam. Agora 
o alvo preferido é o ronaldinho gaúcho, “que joga 
bonito mas é feio que dói”. […] em suma, ninguém 
é bom o suficiente para ter suas virtudes em primeiro 
plano. Sempre há um problema que desmerece ou 
desabona até o melhor dos melhores. […]

HermAnn, rosana. blônicas, 24 maio 2006.  
Disponível em: <http://blonicas.zip.net>.  

Acesso em: 25 maio 2006.

7. No texto, são apresentadas três “leis” que explicam o comportamen-
to do internauta brasileiro médio. Em termos gerais, que comporta-
mentos são identificados por essas “leis”?

A terceira lei é associada à ideia de “compensação”. Considerando os 
exemplos apresentados no texto, qual é o sentido que adquire esse 
termo nesse contexto?
Para que essa lei possa ser formulada, uma palavra é essencial na arti-
culação das ideias. Que palavra é essa?
A que classe ela pertence? Explique.

6. É preciso identificar o contexto específico em que os dois primeiros 
pares de termos relacionados pela conjunção costumam ocorrer 
para compreender o interessante efeito de sentido produzido na 
propaganda. Que contexto é esse? Explique.

Considerando o produto anunciado, que efeito é provocado pela as-
sociação dos termos asfalto e buraqueira aos dois primeiros pares de 
termos da propaganda?

Leia o texto abaixo para responder à questão 7.

re
pr

od
uç

ão
 p

ro
ib

id
a.

 A
rt

. 1
84

 d
o 

có
di

go
 P

en
al

 e
 l

ei
 9

.6
10

 d
e 

19
 d

e 
fe

ve
re

iro
 d

e 
19

98
.

g r a m á t i c a

 362 caPíTulO 20



Sacrifícios pessoais

Quais foram os últimos sacrifícios que você fez 

só para tentar ficar amigo de alguém? Provavel-

mente, você mentiu um pouquinho sobre o seu 

gosto musical. Se todo mundo gosta daquela ban-

da, quem sou eu para não gostar? também deve 

ter mudado algumas vezes o seu jeito de se vestir. 

Porque, se você não acompanhar a moda, vai ser 

chamada de cafona. existe acusação mais grave?

não se assuste. todo mundo, alguns pouco, 

outros mais, faz esse tipo de coisa. mas, às vezes,  

o buraco é mais embaixo. e nós acabamos
Rayssa Cavalli fez um comentário
  • e as respostas???
    • 1 aprovações
    Carregar mais