A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
AULA 1 (Anatomia Aplicada a Enfermagem)

Pré-visualização | Página 1 de 1

RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS - EaD
	
AULA 01
	
	
	DATA:
10/11/2021
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS: ANATOMIA APLICADA A ENFERMAGEM –
 AULA 1
DADOS DO(A) ALUNO(A):
	NOME: CESAR FERREIRA GOMES
	MATRÍCULA: 01373413
	CURSO: ENFERMAGEM
	POLO: MANAUS
	PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A): LUCIANO MELLO
				TEMA DE AULA: SISTEMA NERVOSO 
RELATÓRIO:
1. Descrever a anamnese e exame físico neurológico.
ANAMNESE – ouvir atentamente ao paciente e às suas queixas! 
Quem é o paciente? Identificação, idade, sexo, raça, ascendência, profissão, contatos ambientais, procedência, etc. Época em que iniciaram os sintomas 1 semana; 6 meses; 2 anos. Modo de início e evolução cronológica agudo (minutos, horas, de “um dia para outro”) – doença vascular, causas infecciosas (meningite bacteriana, p. ex.) subagudo (dias ou 1 sem.) – doença inflamatória ou tóxica impreciso, de evolução gradual e progressiva: simétrica – doença degenerativa assimétrica – doença expansiva em surtos, com períodos de melhora e piora – Esclerose Múltipla acessos paroxísticos, de curta duração, com intervalos longos de normalidade, e que se repetem periodicam. – Epilepsia relação causa-efeito – traumas crânio-encefálicos e raquimedulares. “Considerando seu estado atual, e considerando a data do início da doença, você está piorando, melhorando ou continua igual?”
2. Apontar os principais sinais de um TCE.
Alguns dos principais sinais dos traumatismos cranianos são:
· Alteração no nível de consciência.
· Falas desconexas.
· Esquecimentos.
· Perda da orientação temporal.
· Náusea.
· Vômito.
· Ferimentos extensos.
· Sangue saindo pelo nariz ou pelas orelhas.
3.Descrever a escala de coma de Glasgow e Ramsay e sua aplicabilidade.
 Escala de Coma de Glasgow (ECG), publicada pela primeira vez em 1974, até hoje é usada como medida clínica objetiva da gravidade da lesão cerebral em pacientes, incluindo os politraumatizados. A Décima Edição do Advanced Trauma Life Suport (ATLS 10), trouxe mudanças no uso da escala.
Como é a escala de coma de Glasgow atualizada?
1. Ocular:
2. (4) Espontânea: abre os olhos sem a necessidade de estímulo externo.
3. (3) Ao som: abre os olhos quando é chamado.
4. (2) À pressão: paciente abre os olhos após pressão na extremidade dos dedos (aumentando progressivamente a intensidade por 10 segundos).
Escala de Ramsay
Escala de Sedação Ramsay: A sedação faz parte integral da rotina das unidades de terapia intensiva (UTI) por reduzir o desconforto e a ansiedade associados a este ambiente. Ela diminui a resposta ao estresse e a ansiedade, promove amnésia de eventos desagradáveis, aumenta a tolerância ao suporte ventilatório e facilita os cuidados de enfermagem.
1. Grau 1: paciente ansioso, agitado;
2. Grau 2: cooperativo, orientado, tranquilo;
3. Grau 3: sonolento, atendendo aos comandos;
4. Grau 4: dormindo, responde rapidamente ao estímulo glabelar ou ao estímulo sonoro vigoroso;
5. Grau 5: dormindo, responde lentamente ao estímulo glabelar ou ao estímulo sonoro vigoroso;
4.Descrever os casos de monitoramento da PIC e seus parâmetros ideais.
Indicações para medida da PIC
· Aumento do volume do encéfalo: edema cerebral, traumatismo, cirurgia, acidente vascular cerebral, tumor
· Aumento do volume de sangue: hematoma, malformação arteriovenosa (MAV), aneurisma, acidente vascular cerebral
· Aumento do volume de LCR: diminuição da reabsorção de LCR, hidrocefalia congênita
· Lesões: tumores e abscessos
· Glasgow inferior a 9 com tomografia computadorizada (TC) de crânio anormal
· Glasgow inferior a 9, com TC de crânio normal, porém com dois ou mais fatores associados como: idade superior a 40 anos, pressão arterial sistólica inferior a 90mmHg e postura anormal (decorticação ou descerebração) uni ou bilateralmente.
Parâmetros ideais de PIC:
O valor normal da PIC é de até 15 mmHg, e, de maneira geral, as medidas terapêuticas são iniciadas quando a pressão ultrapassa 15-20 mmHg. Valores entre 20 a 40 mmHg são considerados moderadamente elevados, e acima de 40 mmHg, gravemente eleva- dos.
			TEMA DE AULA: SISTEMA TEGUMENTAR 
RELATÓRIO:
1. Identificar os cuidados de enfermagem com o sistema tegumentar do paciente.
· Seja em ambiente hospitalar ou na residência do paciente, medidas preventivas podem reduzir em até 50% os riscos de as lesões progredirem causando complicações sérias, como infecções.
Prevenção e cuidados
· Manter o colchão piramidal sobre o colchão de cama do paciente;
· Mudar a posição do paciente acamado a cada 2 horas;
· Elevar os calcanhares colocando-se travesseiros macios embaixo do tornozelo;
· Uma vez ao dia, posicionar o paciente sentado em poltronas macias, ou revestidas com colchão piramidal;
2.Descrever a escala de Braden e sua aplicabilidade.
A escala de Braden analisa seis fatores principais no paciente: percepção sensorial, umidade, atividade, mobilidade, nutrição e, por último, a fricção e cisalhamento. Cada uma dessas características é testada e pontuada de 1 a 4, sendo maior quanto mais positivo for o estado do paciente. Sendo assim, conclui-se que a aplicabilidade da Escala de Braden é de grande importância para a prevenção de lesões por pressão, pois permite ao enfermeiro uma avaliação minuciosa sobre o grau de risco que o paciente apresenta para desenvolver LPP.
3.Definir lesão por pressão e classifica-las.
Saiba reconhecer as características da lesão por pressão
1. Lesão por Pressão Estágio 1: Pele íntegra com eritema que não embranquece. ...
2. Lesão por Pressão Estágio 2: Perda da pele em sua espessura parcial com exposição da derme.
3. Lesão por Pressão Estágio 3: Perda da pele em sua espessura total.
				TEMA DE AULA: SISTEMA CARDIOVASCULAR 
RELATÓRIO:
1. Descrever a circulação pulmonar e sistêmica.
Na circulação sistêmica, o sangue segue para o corpo e retorna ao coração. Já na pulmonar, o sangue segue em direção ao pulmão e retorna ao coração. Na circulação pulmonar, o sangue é levado do coração até o pulmão e, posteriormente, volta ao coração.
2. Identificar as indicações para realização do ECG.
As indicações mais comuns para o ECG são as arritmias, os defeitos cardíacos congénitos, problemas nas válvulas cardíacas, doença coronária, enfarte agudo do miocárdio em curso ou antigo.
3. Descrever a técnica para realização de um ECG.
O paciente deve estar deitado e os eletrodos são posicionados no peito, nos punhos e nos tornozelos. Os equipamentos colocados no peito devem estar nas posições de V1 a V6, formando o plano horizontal para o registro da atividade elétrica do coração. O ECG dura de 5 a 15 minutos para ser concluído.
4. Identificar os possíveis achados no ECG.
Resultados do eletrocardiograma
· Frequência cardíaca entre 60 e 100 batimentos por minuto.
· Onda P presente, indicando ritmo sinusal. ...
· Intervalo PR tem duração entre entre 0,12 e 0,20 segundos.
· Complexo QRS tem duração entre 0,06 e 0,10 segundos.
· Eixo elétrico normal situa-se entre -30º e +90º.
5.Descrever as indicações para aferição da PVC e seus objetivos.
As indicações principais são: choque de qualquer etiologia, desconforto respiratório grave, insuficiência renal aguda, sepse grave, cirurgia cardíaca, cirurgia torácica, transplante cardíaco, hepático e renal e outras cirurgias de grande porte, síndrome nefrótica, desidratação grave, insuficiência hepática e grande queimado.
Em termos fisiológicos, a mensuração da PVC é um método acurado da estimação da pressão de enchimento do ventrículo direito, de grande relevância na interpretação de sua função. É reforçado que o principal propósito de mensurar a PVC é estimar a pressão diastólica final do ventrículo direito.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.