A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
Unidade VII_Altimetria

Pré-visualização | Página 3 de 3

nos limites do perfil, marcando a eqüidistância
da carta, a partir de uma cota menor que a menor cota do perfil, até uma
imediatamente maior.
3) - Verificar a intercessão das curvas de nível com o perfil e levantar
perpendiculares até a cota marcada na horizontal.
4) - Ligar os pontos de intercessão das horizontais com as verticais, por uma
linha suavizada, não deixou de haver passagens bruscas de um declive para outro.
5) - Marcar todos os pontos notáveis(rios, estradas etc)
6) - Identificação do perfil.
- Colocação de título, escala vertical e horizontal, região, orientação do perfil e todas
as demais informações úteis.
Fases de traçado de um perfil
b) - Perfil Contínuo
- Utilizado em levantamentos de estradas, linhas telegráficas, microondas,
levantamento de perfis de rios etc.
- Difere para o perfil anterior pelo desenvolvimento ao longo de uma linha contínua
ou poligonal.
- Construção é idêntica a um perfil individual devendo ser construído em trechos,
sendo que sempre que houver uma mudança de direção brusca, deve ser indicado no
perfil.
Perfil Topográfico do Rio Curimataú
Escala Horizontal 1:50 000
Escala Vertical 1:10 000
2 km3 km4 km5 km1 km
50 m
100 m
150 m
200 m
250 m
300 m
450 m
350 m
Represa Bo
telho
Foz Rio Itararé
Ponte sobr
e
Rv BR 364
c) - Determinação de Zonas Ocultas (Escondidas)
A construção de um perfil permite, além de conhecer o relevo do terreno de uma
melhor forma, resolver problemas de visibilidade de um ponto a outro.
Permite verificar se de um ponto pode-se observar outro, quais as áreas que são
visíveis e não visíveis, o caminho a seguir de um ponto a outro sem ser visto de um
terceiro ponto, etc.
Observando-se o perfil tira-se tangentes a todos os pontos elevados B, C e D, cujo
prolongamento determina os pontos de intercessão com o perfil b, c e d. Conclui-se
facilmente que do ponto de observação A, são invisíveis, as partes da superfície do
terreno compreendida entre a tangente e a intercessão.
Essas regiões definem as regiões não vistas ou escondidas. As demais áreas são as
zonas vistas ou visíveis.
Através da elaboração de vários perfis, pode ser elaborada a carta de visibilidade. Os
perfis não devem ser em número regular, nem devem ser tanto mais quanto mais
difícil for a dedução da zona de visibilidade. Devem também passar pelo maior
número de acidentes importantes no terreno(colos, vales etc).
Elaboração do Perfil Topográfico
1ª Etapa: Selecionar o trecho da Carta Topográfica
2ª Etapa: Traçar a linha correspondente ao Perfil que será elaborado
3ª Etapa: Recortar uma tira de papel em branco ou milimetrado
4ª Etapa: Fixar o papel em branco ou milimetrado tangenciando a linha traçada no
fragmento
5ª Etapa: Transcrever para a tira de papel os valores encontrados das curvas de nível
6ª Etapa: A partir dos valores das curvas-de-nível representados na tira de papel,
desenhar um gráfico cartesiano e repassar estes valores para o eixo das abcissas,
segundo a escala horizontal definida
7ª Etapa: Escolher a escala vertical, em que será construído o perfil
topográfico