histologia - TECIDO EPITELIAL

@histologia-e-embriologia-geral---nut UFRGS

Pré-visualização

TECIDO EPITELIAL

Componentes: células e matriz-extracelular.

Parênquima: composto pelas células responsáveis pelas principais funções típicas do órgão; Estroma: tecido de sustentação.

Os epitélios são constituídos por células poliédricas justapostas, entre as quais há pouca substância extracelular; geralmente, as células aderem firmemente umas às outras por meio de junções intercelulares (permite que essas células se organizem como folhetos que revestem a superfície externa e as cavidades do corpo ou que se organizem em unidades secretoras).

Funções dos epitélios: revestimento de superfícies, absorção de moléculas, secreção, percepção de estímulos, contração.

Tipos:
- REVESTIMENTO: proteção e absorção.

- GLANDULAR: produção de secreção.

- NEUROEPITÉLIOS: função sensorial.

Características: células justapostas (próximas); muitas junções intercelulares; células semelhantes entre si; células polarizadas (noção de onde está o que precisa); presença de pouca substância amorfa; são AVASCULARES, sendo nutridos por difusão; separados do tecido conjuntivo por membrana basal; podem apresentar especializações de superfície.

Funções do TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO: separa compartimentos; revestimento; proteção; forma barreira contra bactérias; região de barreira seletiva (determina o que pode e o que não pode).

Classificação do TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO
- Quanto ao número de camadas de células:

> SIMPLES: uma camada de células.
> ESTRATIFICADO: mais de uma camada de células.
- Quanto à forma das células: (se vê na camada de células + longe)

> PAVIMENTOSO

> CÚBICO

> PRISMÁTICO
Membrana Basal: lâmina basal separa e prende o epitélio ao tecido conjuntivo adjacente.





Junções celulares
- JUNÇÕES DE ADESÃO: zônula de adesão, desmossos e hemidesmossomos (como se fosse velcro); contribui para aderência de células vizinhas.
- JUNÇÕES IMPERMEÁVEIS: zônula de oclusão; forma uma faixa ou cinturão que circunda a célula completamente; adesão das membranas; vedação que impeça o movimento de materiais entre as células epiteliais.
- JUNÇÕES COMUNICANTES: sistema de informações.





	EPITÉLIO ESTRATIFICADO PAVIMENTOSO QUERATINIZADO
	EPITÉLIO ESTRATIFICADO PAVIMENTOSO NÃO-QUERATINIZADO

	estrato basal (1ª camada)
	estrato basal

	estrato espinhoso (se afastando)
	estrato espinhoso

	estrato granuloso
	estrato intermediário

	estrato córneo (acima do granuloso); produto da célula: QUERATINA.
	estrato superficial (última camada); PERDE-SE uma célula.


Mais camadas de epitélio = mais longo o processo de renovação.

	EPITÉLIO ESTRATIFICADO PAVIMENTOSO QUERATINIZADO (células)
	EPITÉLIO ESTRATIFICADO PAVIMENTOSO NÃO-QUERATINIZADO (células)

	Camada Basal: células-fonte (fazem mitose) do epitélio; intensa atividade mitótica; contém hemidesmossomo (não dá pra separar); repousa sobre a membrana basal.
	Camada Basal: igual ao lado.

	Camada Espinhosa: várias camadas de células; presença de desmossomos que unem umas células às outras e protegem contra o atrito; aspecto espinhoso; mais volumosa; células poligonais com pequenas expansões citoplasmáticas.
	Camada Espinhosa: igual ao lado.

	Camada Granulosa: querato-hialina e lamelares (grânulos grosseiros no citoplasma); os grânulos são expulsos da célula; impermeabilidade à água e a outras moléculas; células poligonais achatadas e menores; última célula viva-pavimentosa.
	Melanócito: produzem melanina; mais clara a pele, + preguiçosos os melanócitos; células volumosas com prolongamentos dendríticos longos; localizados principalmente na camada basal; não apresentam ligações desmossômicas com os queratinócitos vizinhos; + corado o melanócitos, + protegido contra radiação celular.

	Camada Lúcida: delgada de células achatadas; processo de queratinização avançado; só é visível na pele espessa (grossa); o núcleo e muitas organelas citoplasmáticas desaparecem.
	Células de Langerhans: começo de proteção – barreira de proteção do organismo; encontram-se na camda espinhosa; forma nuclear irregular; fazem parte do sistema imunitário; participam do desencadeamente das reações de hipersensibilidade por contato cutâneo; não estabelecem desmossomas com os queratinócitos vizinhos.

	Camada Córnea: mais superficial; estrutura protéica; NÃO é célula (ñ tem núcleo ou outras organelas); citoplasma repleto de queratina; espessura variável.


	Células de Merkel: presentes na pele espessa (grossa) – planta dos pés, palmas das mãos; são mecano-receptoras, possuem terminações nervosas sensoriais; percepção tátil; não tem projeções citoplasmáticas; liberam neurotransmissores.




Especializações de superfície
- MICROVILOS: projeções que aumentam a superfície das células facilitando a absorção; no seu interior há grupos de filamentos de actina.
- CÍLIOS e FLAGELOS: cílios são estruturas móveis, alongadas que fazem a movimentação do muco; favorecem o fluxo de fluidos. Flagelos estão presentes somente nos espermatozóides, são mais longos e limitados a um por célula.
- ESTEREOCÍLIOS: aumentam a superfície celular; estruturas imóveis.










 



TECIDO EPITELIAL GLANDULAR
	Formam os órgãos denominados glândulas. Especializadas na atividade de secreção.

Moléculas secretadas pelo TECIDO EPITELIAL GLANDULAR
- Hormônios – proteínas (pâncreas)

- Lipídios (adrenal, sebáceas) = não se coram bem

- Carboidratos e proteínas (salivares)

- Lipídios, carboidratos e proteínas (mamárias)


			coram-se pelo HE.

Formação de uma GLÂNDULA


- EXÓCRINAS: liberam os seus produtos através de ductos; mantém sua conexão com o epitélio do qual se originaram.

	Têm uma porção secretora constituída pelas células responsáveis pelo processo secretório e ductos que transportam a secreção eliminada das células. 
- ENDÓCRINAS: liberam os seus produtos nos vasos sanguíneos ou linfáticos.


	GLÂNDULA
	DUCTOS
	

	EXÓCRINA
	Simples
	- Tubular

- Tubular enovelada: sudorípara

- Tubular ramificada

- Acinosa: idéia de “bolinha”

	
	Composta
	- acinosa: lacrimal, pâncreas

- túbulo-acinosa

	ENDÓCRINA: tireóide
	- Vesicular ou folicular

- Cordonal 
	





GLÂNDULAS EXÓCRINAS
	Classificação de acordo com a natureza da secreção:

- Glândulas MUCOSAS: é a célula caliciforme dos intestinos; forma piramidal; apresentam grânulos de secreção grandes e pouco corados; ápices voltados para o lúmen; núcleo achatado e localizado na parte basal da célula.
- Glândulas SEROSAS: células acionas do pâncreas e glândulas salivares parótidas; lúmen pequeno; forma piramidal; produto bem líquido/fluido; núcleo esférico localizado no terço basal da célula; citoplasma intensamente corado pela hematoxilina; grânulos de secreção acidófilos na parte apical da célula.

- Glândulas MISTAS ou SEROMUCOSAS

 

Células MIOEPITELIAIS: compressão de células para liberação de um jato rápido de fluido; abraçam as unidades secretoras da glândula; função de contrair-se em volta da porção secretora ou condutora da glândula e assim ajudar a impedir os produtos de secreção para o exterior.
PARÊNQUIMA: parte secretora da glândula.
ESTROMA: tecido conjuntivo que é responsável pela glândula (sustentação).

Forma de SECREÇÃO do produto
- Secreções exócrinas: 3 tipos – Merócrina, Apócrina, Holócrina.
- Secreção endócrina: 1 tipo – Endócrina.
Merócrina: liberação do produto de secreção das glândulas merócrinas ocorre via EXOCITOSE. Pâncreas.
Apócrina: liberação do produto de secreção das glândulas apócrinas, porção do citoplasma é liberado junto como produto da secreção. Mamária.
Holócrina: à medida que uma célula secretora amadurece, ela morre e forma o produto da secreção. Sebácea.
Glândula Exócrina SEM ducto – GLÂNDULA UNICELULAR
	Quando cada célula secretora aparece isolada, a glândula é unicelular. Exemplo: células caliciformes.