Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Neoplasias

Pré-visualização | Página 1 de 2

O câncer é uma desordem genética causada por mutações do DNA: adquiridas espontaneamente, 
induzidas por agressões do ambiente (alterações epigenéticas) 
 Essas alterações genéticas e epigenéticas alteram a expressão ou função de genes-chave que regulam 
os processos celulares fundamentais, como crescimento, sobrevida e senescência. 
 O processo resultante é chamado de neoplasia, que significa crescimento novo, ou seja, crescimento 
de células mutadas. 
 
processo de divisão celular, é um processo adaptativo 
para o crescimento que substituirão células envelhecidas ou quando é 
necessária a formação de células adicionais --- proliferação bem 
exagerada no caso da neoplasia. 
 
células se tornam cada vez mais especializadas a cada 
divisão mitótica. --- tornar a célula cada vez, mais especializada. 
 
constituído de células transformadas ou neoplásticas. Estrutura que determina o 
comportamento biológico e é o componente pelo qual o tumor tem seu nome derivado. --- parte de dentro 
 
Promove sustentação. Constituído de tecido conjuntivo, vasos sanguíneos e células inflamatórias. 
O estroma é crucial para o crescimento da neoplasia, uma vez que contém o suprimento sanguíneo e dá 
suporte ao crescimento das células parenquimatosas. --- parte de fora 
 
É no núcleo do estroma que tem as células mutadas. 
 
Neoplasia benigna, tem um crescimento expansivo, ou 
seja, crescendo de uma forma limitada, já a Neoplasia 
maligna tem um crescimento invasivo, invadindo o 
tecido adjacente, vasos sanguíneos, formando ulcera 
e etc. 
 
É mais fácil tirar uma neoplasia benigna, pois a 
estrutura é delimitada, ficando mais fácil para 
retirada sem deixar um dano grande. 
 
Benignos: inocentes, indicando que permanecerá localizado, tratável com remoção cirúrgica. 
 
 
Malignos: referidos como câncer, lesão pode invadir e destruir estruturas adjacentes e disseminar-se para 
locais distantes (metástases) para causar morte. 
 
NEM TODOS OS CÂNCERES PROSSEGUEM EM UM CURSO MORTAL 
 
 
 
Células anaplásicas, são células diferentes das de origem 
Atípicas celulares e arquiteturas, tamanhos e formas diferentes, enormes e etc. 
Metástases, quando uma célula mutada vai para outros lugares distantes. 
Recidivas, pode voltar. 
 
Neoplasia epiteliais 
Epitélio de revestimento: 
 Benignas: papiloma 
 Malignas: carcinoma + tipo celular 
 
Epitélio glandular 
 Benignas: adenoma 
 Malignas: adenocarcinoma + tipo celular 
 
Neoplasias mesenquimais 
 Benignas: tipo celular + sufixo oma 
 Malignas: tipo celular + sufixo sarcoma 
• MelanOMA - neoplasia de melanócitos- sempre maligno 
• LinfOMA – neoplasia de linfócitos – sempre maligna 
• Leucemia – neoplasia de células do tecido hematopoiético, maligno. 
• MielOMA – neoplasias maligna de células do plasma. 
• MastocitOMA – neoplasia de mastócitos, com características geralmente malignas. 
• SeminOMA – células germinativas, maligno. 
• TeratOMAS – tumores que se originam de várias camadas germinativas do embrião que podem 
apresentar cabelos, tecido nervoso e até dentes. 
 
Diferença e anaplasia 
 Referente apenas as células parenquimatosas 
 Neoplasias benignas são compostas de células bem diferenciadas (semelhante ao tecido de origem) 
 Lipoma: célula com acúmulo de gordura 
 Condroma: célula cartilaginosa que sintetiza matriz extracelular de colágeno 
 Neoplasias malignas são caracterizadas por uma ampla variedade de diferenciação, indo desde bem 
diferenciadas até indiferenciadas. 
 
Anaplasia: perda de diferenciação 
As células anaplásicas apresentam pleomorfismo (variação de forma e tamanho). 
 
 Núcleo hipercorado e aumentado 
 Proporção núcleo: citoplasma 1:1 (normal 1:4 ou 1:16) 
 Células gigantes, maior que as vizinhas 
 Podem apresentar mais de um núcleo 
 
Displasia X Neoplasia 
 Displasia é um processo de proliferação desordenada, mas não neoplástica. Principalmente encontrada 
no epitélio. 
 Consiste na perda da uniformidade das células e da sua organização arquitetônica. Apresenta 
pleomorfismo considerável. 
 Lesão marcante e envolvendo toda a espessura do tecido é chamado de carcinoma in situ, e é conhecido 
como um estágio pré-invasivo do câncer. 
 
Taxa de crescimento 
 A maioria dos tumores benignos crescem lentamente enquanto a maioria dos tumores malignos cresce 
rapidamente 
 Exceção: Leiomioma: tumor benigno de músculo liso do útero é influenciado pelas concentrações de 
estradiol. 
 Aumentam rapidamente na gravidez e param de crescer na menopausa 
 
Invasão 
 Benigno: permanece localizado. Não possui capacidade para infiltrar, invadir ou metastatizar → cápsula 
fibrosa. 
 Malignos: infiltração progressiva, invasão, destruição e penetração do tecido circundante. 
 A característica de infiltração que direciona a cirurgia para remoção de uma grande área, afim de 
eliminar enraizamentos do tumor 
 
 
 
 
 
 
 
Metástase 
É o desenvolvimento de implantes secundários, 
separados do tumor principal, localizado em tecidos 
distantes. 
 Tumor osteogênico faz metástase para pulmão 
 Melanoma faz metástase para pulmão e cérebro 
 
Quanto mais anaplásica for a neoplasia primaria mais 
provável de ocorrer a disseminação metastática 
 
Vias de disseminação: 
 Implantação 
 Linfática 
 Hematogênica 
 
 Quanto mais anaplásica maior é a chance de a célula ter metástase 
 
Vias de disseminação da neoplasia: 
 Contato direto com a superfície ou com cavidades corpóreas 
 Disseminação linfática: é a forma mais comum e mais frequente de disseminação dos tumores 
 Disseminação hematogênica: através da circulação atingem outros tecidos 
 
Teratoma 
Formados por uma variedade de tipo de células parenquimatosas, que representam mais de uma camada 
germinativa, ou seja, muitos tipos de células que estão crescendo uma região que não tem nada a ver com 
a região. 
 
Processo de desenvolvimento de neoplasias, desde alterações moleculares mais precoces até as 
manifestações clínicas do tumor. É um processo de múltiplas etapas, tanto a nível fenotípico quanto 
genético, resultante do acúmulo de múltiplas mutações. 
 
Carcinógenos químicos: hidrocarbonetos aromáticos, hormônios, metais, aflatoxina B. 
Carcinógenos físicos: radiações ultravioletas e radiação ionizante (raios X, raios gama) 
Carcinógenos biológicos: vírus (papilomavírus, hepatite B) 
 
ALVO --- DNA 
 
Alterações em células germinativas --- neoplasias familiares 
Células germinativa é qualquer célula que dá origem aos gametas, o espermatozoide e óvulo 
 
 
Fatores ambientes ou genéticos podem agir em cima 
de uma célula normal tentando alterar o mecanismo 
de multiplicação provocando alguma lesão, porém, tem 
alguns genes faz um reparo do DNA, mas pode 
acontecer da célula perder o estado de se adaptar, 
causando uma mutação (alterações no genoma da 
célula) 
 
Quando tem uma mutação a primeira coisa que 
acontece é a inativação de genes supressores do câncer, se esse mecanismo for inativado não vai ter 
nada que segura, além disso vai ter a ativação dos oncogenes promotores de crescimento, causando uma 
proliferação celular desregulada, acelerando e tirando o freio das células, ou seja, as células começam a 
crescer muito, causando uma expansão clonal. 
 
Pode acontecer também a desregulação do 
apoptose, diminuindo a apoptose, ou seja, 
proliferando muitas células mutadas sofrendo 
expansão clonal das células mutadas. Dessa 
forma o crescimento das células vai ser de 
células mutadas e não de células normais. 
 
Uma vez que tema a expansão clonal, passando de 
uma alteração benigna para uma alteração maligna, 
podendo sofrer uma mutação adicional (progressão), 
pois, se essa formação não for sessada aquele tumor 
vai continuar aumentando, a célula vai continuar 
sofrendo mutações. Dessa forma, entra também no 
processo de angiogênese (formação de vasos 
sanguíneos) e escapando da imunidade fazendo a 
alterações dos genes pró-apoptótico, ocasionando 
uma neoplasia maligna --- invasão e metástase. 
 
Base molecular da carcinogênese 
Uma série de genes
Página12